Economia e mercado

Real x Dólar: depreciação do Real

Começando nossa análise semanal olhando para o Brasil, esta semana o IBGE divulgou os dados das vendas no varejo do mês de abril. Segundo o Instituto, o volume de vendas do comércio varejista avançou cerca de 1,8% no mês após ter registrado um recuo de 1,1% em março. 

Acompanhe diariamente a cotação do Dólar com a Remessa Online

Economistas e analistas de mercado aguardavam um aumento marginal na comparação mensal, portanto, o dado surpreendeu e, sob nossa perspectiva reflete a demanda reprimida dos brasileiros acumulada nesses meses todos de pandemia.

Nesse sentido, o índice de preços ao consumidor amplo (IPCA) referente ao mês de maio aumentou 0,83%. Trata-se da maior alta dos preços ao consumidor em comparação com os meses de maior desde 1996. 

Com a inflação registrada no quinto mês do ano, a variação acumulada em 12 meses atingiu +8,06%. Neste nível, ficou praticamente impossível encerrar o ano com a inflação dentro do intervalo da meta perseguida pelo Banco Central. 

De olho nos EUA, a inflação estadunidense no mês de maio foi de 0,6%. Essa também é a maior variação para meses de maio, mas desde 2008 – uma proporção bastante distinta da brasileira. Em doze meses, a inflação estadunidense registrou variação de 4,9% (sem ajuste sazonal).

Mas para entender o cenário da inflação dos EUA, precisamos olhar atentamente para o núcleo da inflação, que desconsidera a variação dos preços dos alimentos e dos combustíveis.

Sob essa perspectiva, a taxa é a mais elevada desde junho de 1992 e representa uma variação de 3,8% só nos cinco meses de 2021. O núcleo da inflação é o indicador mais relevante para o Federal Reserve, porque ele tenta eliminar aumentos transitórios e auto reajustáveis da inflação. 

Esse é o cenário que se desenha para as decisões de política monetária que acontecerão no Brasil e nos Estados Unidos na próxima quarta-feira (16). Podemos esperar manutenção da taxa de juros dos EUA, mas aumento da Selic no Brasil. 

Com este pano de fundo, a moeda estadunidense abriu a segunda-feira (7), cotada a R$ 5,047. Já nesta sexta-feira (11), a moeda abriu o pregão cotada a R$ 5,0539. Com isso, vimos uma leve depreciação do Real de aproximadamente 0,1% ao longo desta semana.

Confira o De Olho no Câmbio #125, a relação Real vs Libra e do Real vs Euro.

André Galhardo

Economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário nos cursos de Ciências Econômicas. Mestre em Economia Política pela PUC-SP, possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, com passagens pelo setor público.

Artigos recentes

  • Economia e mercado

Giro de Notícias: #29 – confira as principais notícias desse começo de semana

Espante o frio com informação nesse começo de semana. Hora de conferir o Giro de…

18 horas ago
  • Economia e mercado

Indústria europeia e chinesa em direções opostas

Hora de conferir a análise de hoje de André Galhardo sobre o mercado.

18 horas ago
  • Economia e mercado

Real x Libra Esterlina

Saiba agora como foi o embate da semana entre Real e Libra Esterlina, na análise…

4 dias ago
  • Economia e mercado

Real x Euro

Saiba como foi o embate do Real frente ao Euro ao longo dessa semana. Confira…

4 dias ago
  • Economia e mercado

Real x Dólar

Como foi o comportamento do Real frente ao Dólar ao longo da semana. Confira na…

4 dias ago
  • Economia e mercado

De olho no Câmbio #131: Semana de otimismo no mundo

Confira o De Olho no Câmbio dessa semana e veja as análises de André Galhardo…

4 dias ago

Simule suas transferências internacionais com as melhores taxas e prazos!

Simule como PJ
Simule como PF