Vacinas apresentam proteção relevante contra variante Delta

por André Galhardo
3 minutos de leitura

Visão Geral

O dólar comercial fechou a quarta-feira (21) com variação de -0,6%, a R$5,1874, após ter começado o dia cotado a R$5,2413. O Euro fechou o pregão a R$6,1170, e apresentou variação de -0,5% após ter iniciado o dia em R$6,1519.

A moeda americana iniciou esta quinta-feira (22) cotada a R$5,1890 e o Euro abriu o dia cotado a R$6,1185.

Agenda de hoje

Exterior

Zona do Euro – Decisão de política monetária

EUA – Novos pedidos de seguro-desemprego semanal

EUA – Venda de casas usadas (jul)

Brasil

Sem indicadores.

Perspectiva para o dia

Real x Dólar:

Segundo dados do Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, os novos pedidos de seguro-desemprego ficaram em 419 mil na última semana, o valor mais elevado desde 20 de maio deste ano. A expectativa de mercado era de que o número ficasse em torno de 350 mil.

É importante lembrar que os representantes do banco central norte-americano têm dito reiteradas vezes que uma mudança na postura em relação à taxa de juros depende da recuperação do mercado de trabalho.

Depois dos satisfatórios resultados de eficácia das vacinas da Pfizer e da Astrazeneca contra a variante Delta, deve haver novo episódio de valorização da moeda brasileira.

O ambiente político doméstico continuará influenciando o câmbio e a reforma ministerial proposta pelo chefe do poder executivo poderá influenciar negativamente o valor da moeda brasileira sobre o dólar.

Real x Euro:

O Banco Central Europeu decidiu manter inalteradas as condições da política monetária, refletindo os discursos feitos pela presidente, Christine Lagarde e demais membros da instituição, de que a recuperação econômica precisa ser muito mais evidente para que haja qualquer tipo de mudanças nas taxas de juros e no volume de dinheiro injetado mensalmente pela autoridade monetária.

A tendência é de que o BCE comunique ações na direção de maior flexibilização da política monetária nas próximas reuniões. Esse eventual movimento  seria exigido para enfrentar os efeitos da propagação da nova variante do coronavírus pela Europa.

Assuntos relacionados