Fairtrade: veja como funciona o Comércio Justo e empresas que já aderiram

por Remessa Online
3 minutos de leitura
Fairtrade: grupo de pessoas trabalhando em gráfico sobre fundo branco

Também chamado de Comércio Justo, o fairtrade é uma estratégia diferente das transações tradicionais. O objetivo é firmar parcerias com consumidores e produtores, a fim de tornar as operações mais benéficas para ambas as partes.

A partir dessa prática, é possível diminuir a pobreza e incentivar a realização de operações de alta responsabilidade social. Com isso, pequenos e médios produtores de negócios têm mais sustentabilidade e competitividade.

Para entender melhor o que é fairtrade e saber como aproveitar essa alternativa de comércio, neste post explicaremos o conceito e como você pode impulsionar sua empresa dessa forma. Saiba mais! 

O que é fairtrade?

O fairtrade é um modelo de negócio em que produtores e consumidores se tornam parceiros. O propósito é estabelecer práticas comerciais sustentáveis e éticas, que levem ao aumento da responsabilidade social.

O conceito foi criado nos anos 1960 e existe a Fairtrade Labelling Organization (FLO), uma sociedade comercial sem fins lucrativos que apresenta as diretrizes das negociações e preza pela igualdade no comércio internacional.

Da mesma forma, foi elaborada a certificação fairtrade. Os participantes devem cumprir as normas da Fairtrade International (FLO) para terem acesso ao selo e à rotulagem que garante as boas práticas.

Assim, é assegurado que os produtos desenvolvem oportunidades de mercado.

Por todos esses motivos, mais de 1,2 milhão de famílias de agricultores são beneficiadas. Elas estão presentes na África, na Ásia e na América Latina.

Quais são os principais aspectos do fairtrade?

Ao saber o que é fairtrade, é preciso entender que seu propósito principal é garantir o contato direto entre comprador e produtor, a fim de que ambos sejam beneficiados. Essa é uma forma de desburocratizar as operações e diminuir a dependência e as instabilidades do mercado.

Para chegar a esse patamar, é necessário implantar algumas boas práticas. Entre elas estão:

  1. Responsabilidade na gestão da cadeia produtiva e comercial, com foco na transparência;
  2. Relacionamento de longo prazo entre produtores e consumidores, com treinamento e apoio aos primeiros, assim como acesso a informações do mercado;
  3. Definição de um preço justo para o produto e de um bônus para beneficiar a comunidade. Também podem ser estabelecido o financiamento da produção ou do plantio e adiantamento do pagamento da safra, se necessário;
  4. Respeito às normas e à legislação do Brasil e de outros países;
  5. Segurança no ambiente de trabalho, com a garantia de frequência das crianças na escola;
  6. Respeito ao meio ambiente;
  7. Organização dos produtores em associações ou cooperativas;
  8. Compromisso com a não discriminação e garantia da igualdade de gênero e do empoderamento da mulher.

Como o fairtrade funciona no Brasil?

Apesar de ser bastante benéfico aos participantes, o fairtrade é pouco conhecido e adotado no Brasil. Já existe a Associação das Organizações de Produtores Fairtrade do Brasil, que reúne os produtores certificados.

Atualmente, os itens com esse selo são sucos de frutas, café, castanha, mel, uva para vinho e soja. No entanto, ainda é preciso desenvolver mais. Afinal, a FLO determina um preço mínimo por unidade do produto, o que evita que os fabricantes sejam alvo de especulação.

Esse preço mínimo tem o objetivo de cobrir os custos de produção e a margem de lucro dos investimentos. Ao mesmo tempo, assegura a competitividade por meio de um valor justo. 

Qual a influência do fairtrade no mercado agrícola e na moda?

Como você pôde perceber ao longo deste post, o fairtrade é muito usado no mercado agrícola. Esse não é o único setor. A prática também impacta a moda.

Em ambos os casos, os produtores são beneficiados. No mercado agrícola, os alimentos se tornam mais atrativos e, muitas vezes, são orgânicos. Assim, são adotadas práticas mais sustentáveis.

Na moda, há um incentivo aos pequenos produtores. Com o estímulo, há menos rotatividade de colaboradores e todos são pagos de forma justa — diferente do que acontece em muitas marcas de grande porte.

Assim, os participantes adotam medidas mais sustentáveis tanto no quesito econômico quanto para o meio ambiente. Da mesma forma, os produtores são empoderados e ganham mais possibilidade de participação no mercado.

Quais empresas já aderiram ao fairtrade?

Qualquer negócio interessado em comprar ou vender produtos com selo fairtrade pode entrar em contato com a Labelling Initiative. Também pode conversar com a FLO para ter assistência.

De todo modo, não precisa ser um pequeno negócio para participar. Até mesmo grandes empresas adotam as boas práticas. Veja alguns exemplos de marcas:

  1. Ben & Jerry’s: a marca de sorvetes foca a responsabilidade social e chegou a pagar 12 milhões de dólares em bônus sociais aos pequenos agricultores e cooperativas associados;
  2. Gallette Chocolates: a empresa de chocolates artesanais de São Paulo compra matérias-primas que não vêm do trabalho infantil nem da mão de obra escrava. Suas embalagens respeitam o meio ambiente;
  3. Vert Shoes: a marca é francesa, mas a produção ocorre no Rio Grande do Sul. Para seus calçados, usa algodão do sertão nordestino produzido sem transgênicos, adubos químicos ou agrotóxicos. Aproximadamente 700 famílias trabalham com a empresa. A borracha usada vem de associações de seringueiros da Amazônia ;
  4. Catarina Mina: a marca cearense cuida dos processos para garantir que eles sejam sustentáveis e responsáveis;
  5. Osklen: no interior do Rio de Janeiro, a marca é pioneira na sustentabilidade. Trabalha com algodão orgânico e garrafas PET recicladas.

Como você pôde perceber, é possível atuar até mesmo no mercado internacional ao entender o que é fairtrade. No caso das transações internacionais, basta contar com a plataforma de transferências certa.

Com a Remessa Online, você envia e recebe dinheiro do exterior no prazo de 1 dia útil e com o melhor custo do mercado: a partir de 1,3%. A cotação do câmbio é comercial, o que torna as operações ainda mais baratas.

Essa é a oportunidade para expandir o seu negócio e alcançar mais clientes. Então, o que acha de investir no fairtrade e ver sua empresa alcançar novos patamares?

Se gostou de ver essas dicas, aproveite e veja outras curtindo nossos perfis nas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter e LinkedIn.

Resumindo

O que é a certificação Fair Trad

É o selo recebido por empresas que seguem as diretrizes da FLO.

O que é o Comércio Justo?

É uma operação que beneficia produtores e consumidores a partir de uma relação de transparência.

Como o Comércio Justo funciona no Brasil?

Ele ainda é pouco conhecido, mas já tem empresas que adotam as práticas ambiental e socialmente responsáveis.

Assuntos relacionados