Fintechs – O que são, Serviços e Maiores do Mercado

As fintechs e a inovação do mercado financeiro.

A palavra “fintech” é originada da junção entre financial (finanças) e technology (tecnologia). O nome já é um pouco autoexplicativo sobre a área de atuação e o objetivo desse tipo de negócio, mas vamos explicar detalhadamente no texto abaixo.

As fintechs são basicamente, empresas que oferecem serviços financeiros com bases em facilidades proporcionadas pelo uso da tecnologia… mas não para por aí.

A empresa precisa ter base tecnológica e modelo de negócio altamente escalável, em outras palavras, empresa tem que usar tecnologia intensiva para oferecer produtos na área financeira.

Inclusive, tecnologia intensiva e escalabilidade são pontos fundamentais para entrar na Associação Brasileira de Fintechs.

As inovações do setor financeiro

O setor financeiro tem passado por grandes transformações nos últimos anos. A internet fez com que as agências bancárias se tornassem obsoletas e cresce em todo o mundo o investimento na área de tecnologia financeira, seja em conexões mais rápidas e em novas tecnologias como machine learning e inteligência artificial.

As fintechs surgiram com a inovação do setor financeiro possibilitadas pela internet.
As fintechs surgiram com a inovação do setor financeiro possibilitadas pela internet.

As fintechs utilizam a tecnologia para oferecer produtos e serviços financeiros de forma inovadora, com experiência diferenciada e processos simplificados, normalmente reduzindo a buracracia.

Fintech não é novidade

Este tipo de negócio, entretanto, não é uma novidade. A prova disso são as empresas como a Enova, fundada em 2003 nos Estados Unidos, e que já mostrava essa tendência em oferecer serviços financeiros com mais agilidade que os bancos tradicionais.

A Enova é uma empresa especializada em empréstimos online e chegou ao Brasil em 2015. Ao chegar aqui, a empresa identificou que os brasileiros possuíam somente duas opções para conseguir empréstimos, que eram os bancos, que já possuíam uma tecnologia desenvolvida, e as financeiras, que ainda estavam engatinhando nos aparatos tecnológicos.

Identificando esse espaço ainda pouquíssimo explorado, a Enova implementou sua plataforma que é completamente online, oferecendo valores de empréstimos entre R$ 500 e R$ 2,5 mil e usando mais de 200 fontes diferentes de avaliação de crédito, que vão desde ao SPC e Serasa até as redes sociais do usuário.

As Maiores Fintechs do Mundo

A maior fintech do mundo atualmente é a Lu.com que é uma startup chinesa de financiamentos e empréstimos entre pessoas.

lu.com a maior fintech do mundo atualmente
lu.com a maior fintech do mundo atualmente

Criada em 2011, a startup já recebeu US$ 1,7 bilhões em investimentos e hoje possui o valuation de US$ 18,5 bilhões.

Lista Completa das Maiores do Mundo:

  1. Lu.com – US$ 18,5 bilhões
  2. Stripe – US$ 9,2 bilhões
  3. PayTm – US$ 7 bilhões
  4. SoFi – US$ 4,5 bilhões
  5. Credit Karma – US$ 4 bilhões
  6. GreenSky – US$ 3,6 bilhões
  7. Oscar – US$ 3,2 bilhões
  8. Klarna – US$ 2,5 bilhões
  9. Adyen – US$ 2,3 bilhões
  10. Zenefits – US$ 2 bilhões

As Maiores Fintechs do Brasil

A Fintech que oferece cartão de crédito roxo sem tarifas, é um dos maiores cases de sucesso no mercado de fintechs, estamos falando do NuBank que revolucionou a forma de obter um cartão de crédito.

Fintech Nubank
Nubank a maior fintech legitimamente brasileira.

Além de oferecer o certão de crédito sem tarifas, o Nubank ofereceu um serviço unificado com o app que oferece uma ótima experiência ao usuário, e provavelmente foi esse o grande fator de crescimento.

Lista das 5 maiores fintechs do Brasil:

  1. Nubank – US$ 234 milhões
  2. Creditas – US$74,78 milhões
  3. Guiabolso – US$ 27 milhões
  4. Bidu – mais de US$ 8,9 milhões
  5. Picpay – US$1,2 milhões

Os serviços encontrados nas fintechs

Quando você precisa fazer um pagamento ou transferência de capital, sempre recorre a um banco, certo?

Sob esse ponto de vista, é provável que você não veja muita diferença entre os serviços dos bancos tradicionais, já que os mesmo já trabalham com tecnologias com o objetivo de favorecer segurança e acesso facilitado para às transações financeiras, como contas correntes, serviços de cartões de créditos, investimento e etc.

As fintechs disponibilizam aos usuários uma experiência diferenciada no que diz respeito ao modo de fazer transações financeiras.
As fintechs disponibilizam aos usuários uma experiência diferenciada no que diz respeito ao modo de fazer transações financeiras.

Entretanto, em uma fintech a tecnologia é usada imprescindivelmente como forma de trazer conveniência e segurança a partir da inovação.

Conveniência pode ser inclusive a redução da burocracia.

As empresas do ramo, como o Banco Inter, Original, Nubank dentre outros, usam processos e ferramentas que facilitam ao cliente o acesso a serviços financeiros, oferecendo custos baixos, maior praticidade, redução da burocracia e maior controle das operações financeiras.

Isso é possível, pois as fintechs oferecem uma grande variedade de serviços, que são direcionando tanto para pessoas físicas quanto para empresas e demais instituições, ou seja, pessoas jurídicas.

Provavelmente o principal diferencial de uma fintech está na experiência do usuário

Um dos exemplos mais claros disso é do próprio NuBank… quando você viaja ao exterior é bem provavél que seu cartão de crédito trave na primeira compra e lhe deixe envergonhado, tentando desbloquear e ligando para todos os telefones de contato que seu banco fornece.

Mas se você já usou um cartão roxo, sabe que ele libera a transação mas manda um aviso pelo app no smartphone, alertando sobre a transação e pedindo sua confirmação: caso confirme você libera para outras compras no país.

Como funcionam as fintechs?

As fintechs, apesar de cada uma ter seu modelo de operação, funcionam no sentido de desenvolver soluções que possam cobrir as limitações e deficiências dos serviços financeiros tradicionais.

Dessa forma, a tecnologia é usada para dar ao cliente recursos que as instituições financeiras tradicionais (banco) não oferecem ou oferecem com limitações.

As maioria das fintechs são formadas por startups, que são empresas com modelos de negócios escaláveis que buscam ter como diferenciais ideias criativas e serviços e produtos inovadores.

As fintechs são startups e buscam inovações e soluções criativas para atender as demandas dos usuários.
As fintechs são startups e buscam inovações e soluções criativas para atender as demandas dos usuários.

Por serem startups, as fintechs  buscam identificar oportunidades a partir de uma demanda não atendida ou para melhorar o que já é oferecido pelo mercado, a partir do uso da tecnologia.

Contudo, para não ficar para trás, é imprescindível que as startups busquem formas de aperfeiçoas a qualidade dos serviços e produtos oferecidos, ainda que isso signifique disponibilizar poucos, mas excelentes produtos específicos.

Assim, é comum que as fintechs ofereçam coisas bem específicas e, diferentes dos bancos, não possuírem uma ampla cesta de serviços.

Os principais tipos de fintechs

Muita gente pensa que as fintechs se restringem aos bancos digitais. Contudo, esse tipo de empresa também podem se expandir em outras áreas de atuação.

Fintechs de empréstimo ou crédito

As fintechs de crédito buscam aproximar quem precisa de dinheiro e quem pode emprestar.

A análise de crédito é feita a partir de soluções tecnológicas que visam melhorar as dinâmicas dos serviços financeiros a partir de uma estrutura mais enxuta e menos burocrática que as financeiras tradicionais.

Existem modelos tradicionais de empresa com pessoas físicas mas também os modelos de market places onde a fintech gerencia o empréstimo entre pessoas físicas.

Fintechs de pagamentos

As fintechs de pagamento facilitam a vida dos clientes quando o assunto é pagamento, podendo oferecer soluções como máquinas de cartão, cartão de crédito, pagamento por aplicativo dentre outros.

Nessa categoria, podemos citar o exemplo do Nubank, que inicialmente surgiu como uma empresa de cartão de crédito sem taxas e anuidade e, com o tempo, migrou também para a categoria de conta digital.

Também existem as opções de pagamento B2B que está crescendo e oferecendo uma dinâmica diferente para esse segmento tradicional.

Fintechs de crowdfunding

As plataformas de crowdfuding são um meio de arrecadar fundos, por meio de financiamento coletivo, para concretizar uma ideia, que pode ser a abertura de uma empresa, lançamento de livros, compra de equipamentos dentre outros.

As fintechs desse ramo são essenciais para se tirar uma ideia do papel. No Brasil, a Cartase foi a primeira plataforma de crowdfunding e até hoje continua sendo bastante usada.

Fintechs de investimentos

As fintechs de investimentos oferecem maior facilidade na hora que o usuário que fazer seu dinheiro render, ainda que não entenda muito de investimentos, esse tipo de empresa faz com que o processo seja facilitado e menos burocrático.

Em geral, as fintechs de investimentos também permitem que o cliente comece a investir com valores baixos.

Fintechs de criptomoedas

Com a febre das criptomoedas em todo o mundo, em especial os Bitcoins, surgiram as fintechs que facilitam as transações dos investidores em moedas digitais.

O Ripple também é um sistema de pagamento que visa menores taxas e maior agilidade nas transações.
O Ripple é uma criptomoeda e um sistema de pagamento que visa menores taxas e maior agilidade nas transações.

São diversas opções que giram em torno desse segmento e Bitcoin assim como Ripple são nomes que devem ser estudados quando estamos falando sobre as fintechs de criptomoedas.

Fintechs de serviços de câmbio e remessas internacionais

Fundada em 2014 pelos empresários Stefano Milo e Fernando Pavani, a Beetech veio ao mundo com o objetivo de revolucionar as relações das pessoas com o dinheiro a nível global.

Para atingir o objetivo de globalizar serviços financeiros, a primeira solução criada pela Beetech foi a BeeCâmbio, plataforma de compra e entrega de moeda estrangeira. Tudo isso com rapidez e segurança. O que fez da BeeCâmbio um sucesso foi a possibilidade de proporcionar o melhor preço para o usuário na hora de fechar a compra da moeda.

Fernando Pavani e Stefano Milo fundadores da BeeCâmbio
Stefano Milo e Fernando Pavani, fundadores da BeeCâmbio.

Após o sucesso da BeeCâmbio, os fundadores deram um passo além e entraram em um novo mercado: as remessas de dinheiro ao exterior.

A Remessa Online surgiu em 2016. Foi o segundo produto lançado pela Beetech e logo ocupou o status de protagonista dentro da fintech. O objetivo da solução é simplificar as relações financeiras oferecendo tanto a possibilidade de enviar dinheiro para o exterior, quando de receber dinheiro estrangeiro.

O que difere a Remessa Online de outros serviços de envio e recebimento de dinheiro a nível global é a rapidez dos serviços e as baixas tarifas cobradas. Ao longo desses anos de operação, a Remessa Online se aperfeiçoou e hoje entrega os valores acertados na conta combinada em até 1 dia útil.

A tarifa cobrada pelo serviço é de apenas 1,3%, a mais baixa do mercado, o que ajuda a explicar porque a Remessa Online cresce exponencialmente ano após ano. A dedicação da equipe e o atendimento de referência também somam como diferenciais da fintech.

Conheça mais sobre o serviço de envio de dinheiro para o exterior com a Remessa Online.

Fintechs de controle financeiro

Para quem deseja se organizar, surgiram as fintechs de controle financeiro, que ajudam no controle de despesas a partir do computador e smartphone.

Essas fintechs  permitem a categorização dos gastos e criação de estratégias, metas e objetivos em curto, médio e longo prazo.

O motivo do sucesso das fintechs

O setor financeiro vive uma reinvenção dos modelos de negócios. Com isso, a tendência é que os bancos e corretoras não sejam usados como eram há 30 anos, já que tudo pode ser resolvido pela internet, como pagamentos, transferências, empréstimos e investimentos.

O que vemos é que um celular com conexão à internet pode substituir toda a estrutura física de uma instituição financeira, que deixa o serviço mais caro e burocratizado.

O sucesso das startups no Brasil no ramo da tecnologia financeira se deve, entre outros motivos, à regulamentação do Banco Central em 2013, para realizar arranjos de pagamento.

Isso fez com que o pagamento a partir de celular e cartões pré-pago fossem facilitados sem que houvesse intermediação de instituições financeiras.

O aumento do acesso à internet é um dos fatores para a consolidação e sucesso das fintechs.
O aumento do acesso à internet é um dos fatores para a consolidação e sucesso das fintechs.

O aumento do acesso à internet e os smartphones também contribuem para que as fintechs cresçam, já que muitas empresas possuem os dispositivos móveis como sua principal plataforma de conexão.

As fintechs ameaçam os bancos?

Se no início dos anos 2000 o Internet Banking era visto com desconfiança, atualmente, cerca de uma década depois, o serviço se otimizou e cada vez mais é usado pelos clientes como uma alternativa às filas de bancos.

Uma prova disso é ficou até mesmo incomum esperar que boletos cheguem pelos Correios para fazer o pagamento na agência bancária.

Esta mudança mostra que o mercado financeiro está em evolução constante e os órgão reguladores estão atentos para as tecnologias que buscam oferecer melhores serviços aos clientes

A liberação do Conselho Monetário Nacional que permite que as fintechs concedam empréstimos sem a intermediação de bancos é um grande avanço nessa área, pois permite que o cliente consiga crédito de forma mais fácil e pagando taxas menores de juros.

Ainda que muitos bancos e instituições financeiras tradicionais se sintam ameaçados pelas inovações que as fintechs trazem, é um movimento de evolução no mercado que obriga os grandes e tradicionais a evoluirem ou morrerem.

Bancos Tradicionais vão evoluir ou morrer
Bancos Tradicionais vão evoluir ou morrer.

As fintechs costumam ter meios de estas mais próximas dos clientes e se diferenciam da impessoalidade e frieza das instituições financeiras tradicionais.

Isso porque, há um esforço em oferecer assessoria personalizada e que se adeque ao perfil do cliente, cobrar taxas menores (e até mesmo conseguir a insenção de taxas), oferecer maior segurança nas transações e também maior interatividade.

As fintechs são uma realidade no Brasil e no mundo e inegavelmente, transformaram a forma como lidamos com o dinheiro, a tornando mais dinâmica e segura.

Assim, é preciso buscar e utilizar produtos e serviços de fintechs confiáveis. Para saber essa informação, basta pesquisar se a empresa está devidamente registrada nos principais órgãos reguladores do mercado financeiro e não custa verificar suas informações no Google e em sites como Reclame-aqui.