O que é fundo de capital estrangeiro e como funciona?

por John
3 minutos de leitura

Investir no capital estrangeiro é uma oportunidade para ganhar em dólar e aumentar sua remuneração. Neste post explicamos a modalidade e quais são suas vantagens.

Ao falar em investimentos, existem várias possibilidades. Os fundos de capital estrangeiro estão entre as melhores alternativas, já que consistem em uma forma de diversificar os ganhos e receber em dólar — que chega a estar quase 6 vezes mais valorizado do que o real.

publicidade:
Confira cotação do dólar, do euro e demais moedas mundiais em tempo-real nas páginas de cotação do Remessa Online – Transferências Internacionais.

Para aplicar seu dinheiro nessa modalidade, é importante entender como ela funciona, conhecer suas vantagens e desvantagens, assim como os requisitos exigidos. Esses são os aspectos que vamos abordar neste post. Saiba mais e veja se é o investimento certo para você.

O conceito de fundo de capital estrangeiro

Para começar, é preciso entender que capital estrangeiro é a entrada de qualquer tipo de investimento no Brasil. Ele pode ser executado por pessoas físicas ou jurídicas e precisa ter registro no Banco Central.

Em 2019, o investimento estrangeiro no Brasil aumentou 26%. Em 2020, devido às condições econômicas mundiais, ocorreu uma retirada significativa que chegou a R$ 34,9 bilhões entre janeiro e fevereiro.

Dentro desse contexto, existem os fundos de investimento no exterior. Eles são carteiras com ativos financeiros internacionais. Por isso, são negociados no mercado nacional, mas seus papéis, ações e títulos são derivados de outros países. Desse modo, existe a possibilidade de proteger seu patrimônio, já que a moeda utilizada como referência costuma ser o dólar. 

O funcionamento do fundo de capital estrangeiro

Qualquer fundo de investimento funciona de maneira similar a um condomínio, em que você compra uma cota e os títulos são administrados por um gestor especializado. Ele segue uma política e tem metas a alcançar. Em troca, você paga uma taxa para remunerar o trabalho.

No caso dos fundos de capital estrangeiro, eles podem ter ativos alocados na renda fixa, variável ou serem lastreados pelo câmbio. Veja a diferença entre eles:

  1. renda fixa: recebem proteção do câmbio e costuma estar relacionados ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI), mas há chance de renderem mais. Podem ser uma debênture de uma companhia multinacional ou títulos públicos de outros países, por exemplo;
  2. renda variável: costumam ter uma proteção do câmbio para evitarem os efeitos mais agressivos da variação do dólar;
  3. cambial: estão referenciados pela cotação das moedas estrangeiras, principalmente o dólar.

Qualquer uma dessas possibilidades é válida, mas é preciso pensar nos seus objetivos e no seu perfil de investidor. Entre os países que mais se destacam sobre os fundos de capital estrangeiro, está os Estados Unidos.

As vantagens e as desvantagens dessa modalidade

Os fundos de investimento no exterior são recomendados para a diversificação da carteira. Essa é uma forma eficiente de diminuir os riscos e aumentar o potencial de remuneração.

Ainda é preciso considerar que os atrelados à renda fixa são mais seguros. Portanto, são destinados a quem tem perfil conservador ou moderado.

Apesar disso, existem vantagens e desvantagens ao investir nos fundos com capital estrangeiro. Entre os benefícios estão:

  1. segurança, já que o Brasil é um país mais arriscado do que os Estados Unidos, por exemplo. Portanto, esses fundos ajudam a proteger seu patrimônio;
  2. diversificação, porque o mercado nacional é pequeno e existem mais possibilidades no exterior;
  3. possibilidade de aproveitar as perspectivas de economias diversas, que podem aumentar a remuneração;
  4. flexibilidade, pois é possível fazer algumas personalizações;
  5. competitividade, considerando a tributação única e os custos mais baixos.

Por outro lado, esse tipo de investimento tem alto custo de oportunidade e volatilidade, principalmente quando não ocorre hedge cambial. Por isso, é preciso ter um cuidado maior para evitar prejuízos. Vale a pena ter um bom conhecimento, já que é difícil entender a complexidade do mercado global.

Os requisitos para investir 

Pessoas físicas e jurídicas podem realizar transferências internacionais ou comprar e vender moedas estrangeiras. O Banco Central não impõe limitação de valores, mas exige o cumprimento de algumas medidas, como sua declaração à Receita Federal.

Além disso, é necessário realizar o Registro Declaratório Eletrônico (RDE) para empresas que realizam investimentos no exterior. Pessoas físicas devem fazer a declaração anual ou trimestral de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE), de acordo com as regras:

  1. 100 mil dólares exige entrega do CBE anual no dia 31 de dezembro;
  2. 100 milhões de dólares requer apresentação trimestral do documento, sempre em 31 de março, 30 de junho e 30 de setembro.

Em caso de não declaração, a multa varia entre R$ 2,5 mil e R$ 250 mil. Você ainda precisa ter uma conta em uma corretora de investimentos no exterior.

Pode ser exigido um valor mínimo para operar. Normalmente, a quantia é de 30 mil dólares. Para ter uma carteira de renda fixa, o mínimo é de 100 mil dólares.

Por fim, a constituição de uma offshore — empresa jurídica que tem o tributo indeferido por período indeterminado — é válida a partir de 300 mil dólares. Assim, é possível pagar o Imposto de Renda apenas na repatriação da quantia para o Brasil.

Nesse processo, você precisa contar com uma plataforma de transferências internacionais. A Remessa Online permite enviar e receber dinheiro do exterior de forma rápida e sem burocracia. O custo é de 1,3% e o câmbio é comercial.

Com todas essas dicas, você já pode investir em fundos de capital estrangeiro e aproveitar para ganhar mais. Basta cumprir as obrigações e aproveitar os conhecimentos deste post, para colocar a ideia em prática.

Você ainda tem dúvidas sobre o assunto? Veja então como trazer ganhos de capital no exterior para o Brasil.

Resumindo

O que é capital estrangeiro no Brasil 2019?

Capital estrangeiro é qualquer modalidade em que investidores de outros países aportam dinheiro no Brasil.

Qual foi o impacto da entrada de capital estrangeiro na sociedade brasileira?

O Brasil recebe muitos investimentos, que resultam em geração de empregos e realização de projetos de infraestrutura.

Quais problemas podem acontecer quando o capital estrangeiro sai do Brasil?

O país é visto como mais arriscado e, com isso, há dificuldades econômicas e na relação com outras nações.

Assuntos relacionados