Guerra Comercial pressiona mercados.

Cotação do Dólar, Euro e Libra

Cotação do Real x Dólar

Após apresentar variação marginalmente positiva no mês de abril (+0,08%) o Real voltou a perder valor rapidamente frente ao Dólar americano no mês de maio.

Do dia último dia de abril até o dia 16 de maio o Real já havia perdido 3,26% do seu valor frente ao Dólar.

Esse movimento forte de desvalorização da moeda nacional ocorre por diversos motivos, entre os quais podemos destacar: a crise política envolvendo declarações do Ministro da Educação, Abraham Weintraub, que culminou em grandes manifestações em diversas cidades brasileiras; a investida do Ministério Público sobre as contas de um dos filhos do presidente, Flávio Bolsonaro, que deve ser acusado de lavagem de dinheiro, organização criminosa e outros crimes, que de alguma forma podem impactar Jair Bolsonaro ou ainda a disputa pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) que imprimiu dura derrota ao Ministro da Justiça e Segurança pública, Sérgio Moro.

No cenário externo, a acentuação da guerra comercial tem trazido volatilidade às principais bolsas de valores. Com o Brasil não foi diferente, portanto, é correto atribuir parte da desvalorização cambial ao cenário externo mais incerto.

Cotação do Real x Euro

A Zona do Euro permanece envolta a fortes incertezas com o desempenho de sua economia. Além do Brexit, que amplia as perspectivas de queda da corrente de comércio com o Reino Unido, as dificuldades com a retomada de um crescimento econômico pujante alimentam uma desvalorização do Euro em relação ao Dólar

A escalada da disputa comercial entre Estados Unidos e China alimentam as incertezas com as exportações da União Europeia, com especial destaque para a Alemanha, a maior economia da região. As exportações são um importante motor do crescimento alemão e, por conseguinte, europeu.

Há forte expectativa dos principais analistas e bancos ao redor do mundo de uma trajetória bastante conturbada de crescimento econômico nos próximos meses para o bloco europeu. Esse movimento reforça a desvalorização do Euro, que já ronda a casa dos R$4,08.

Cotação do Real x Libra Esterlina

O Reino Unido segue em uma trajetória bastante inóspita. A cotação da Libra reflete claramente esse ambiente de incertezas e, mais ainda, inseguranças.

A ausência de direção quanto aos acontecimentos políticos da região, com especial destaque ao Brexit, alimentam a desvalorização da Libra Esterlina com relação ao dólar.

É importante lembrarmos que os investidores já precificaram o Brexit há tempos. Contudo, os movimentos da Libra estão embasados em alguns eixos, como o prolongamento das negociações, a deterioração da economia britânica e o ambiente externo mais hostil que reforça as dificuldades econômicas do Reino Unido.

As preocupações no momento, portanto, residem no prolongamento da agonia com o Brexit. Há indícios de que a Primeira Ministra Theresa May submeterá o mesmo plano de divórcio com a União Europeia para o Parlamento Britânico.

Caso isso se confirme no início de junho, as possibilidades de um Hard Brexit (saída sem acordo) voltam à cena com força.

No mais, cabe ressaltar que as dificuldades políticas brasileiras e a perpectiva de impacto negativo com a guerra comercial sino-americana são tão grandes que o Real tem seguido forte trajetória de desvalorização inclusive com relação a Libra, que segue no patamar de R$5,20.

Mercados Emergentes

A forte desvalorização cambial do Real nos últimos dias está condicionada principalmente aos fatores internos porque ao observarmos o comportamento do Real frente às principais moedas emergentes o quadro de desvalorização não é diferente daquele visto quando comparamos a nossa moeda com o Dólar americano, por exemplo.

Nos 16 primeiros dias do mês de maio, o Real perdeu força contra as moedas das dez maiores economias emergentes do mundo.

O Real conseguiu perder valor até mesmo na comparação com o Peso argentino, moeda que acumulava desvalorização há cinco meses frente ao Real.

No nível agregado a moeda brasileira está no menor nível desde agosto de 2018, quando o Brasil passava por um conturbado processo eleitoral. Excetuando-se o mês do agosto do ano passado, a moeda nacional está no menor nível desde o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Isso posto, dado o desenrolar dos acontecimentos internos e externos, ambos com desdobramentos por acontecer, esperamos maior desvalorização cambial do Real nos próximos dias.

André Galhardo é economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário nos cursos de Ciências Econômicas. Mestre em Economia Política pela PUC-SP, possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, com passagens pelo setor público.