Desafios para o crescimento do PIB brasileiro

O desafio para o PIB brasileiro crescer passa pela frente tecnológica

O PIB brasileiro cresceu 0,4% no segundo trimestre do ano. No acumulado dos últimos doze meses, o crescimento foi de 1%. Isto confirma que estamos no ciclo mais lento de retomada de uma recessão de nossa história. E precisamos entender quais os desafios que estamos enfrentando, especialmente em relação à competição na frente tecnológica.

O Brasil cresceu aproximadamente 1% por ano nos últimos dois anos. Os países mais desenvolvidos economicamente passam por dificuldades para retomar um crescimento mais pujante na última década. A Zona do Euro é um caso importante já que estímulo após estímulo permanece patinando.

Isso não é aleatório. Por mais que ainda exista desigualdade (basta olhar para parcelas da população latino americana ou ainda para o continente africano), o consumo já atingiu certos limites.

Quarta Revolução Industrial

O que a chamada Quarta Revolução Industrial tem impulsionado são novos modelos de negócio de base tecnológica, como a própria Remessa Online. Os países mais desenvolvidos estão atentos a isso e direcionando seus esforços para este caminho.

A Alemanha, por exemplo, maior economia do bloco europeu, é também uma das líderes no que diz respeito a chamada Internet das Coisas (IoT), Indústria 4.0 e automatização. A China já busca alternativas para conciliar crescimento econômico com sustentabilidade e tecnologia.

O Brasil tem um enorme potencial e, mais importante, tem uma longa trajetória nessa discussão sobre crescimento sustentável. Desse modo, poderíamos assumir um papel bastante distinto do atual, liderando o movimento que busca conciliar crescimento econômico com sustentabilidade. 

O que os últimos meses, em especial, as últimas semanas mostraram para nós é que há riscos e custos elevados em não trilhar esse caminho. No final das contas, não estamos nem trilhando o caminho do crescimento já que a economia encontra-se em um ritmo muito lento e, em 2019, certamente cresceremos por volta de 0,7%. 

Nesse contexto, qual a trajetória possível para a relação Dólar-Real? Simples: menos investimentos estrangeiros. De janeiro a agosto de 2019, já saíram do país mais de US$ 21 bilhões. Recursos suficientes para fazer o PIB brasileiro crescer entre 0,3% e 0,8%. Esses recursos simplesmente deixaram o país.

Seguimos de olho.

Franklin Lacerda é diretor de estudos econômicos da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário no curso de Ciências Econômicas. Mestre em Economia Política pela PUC-SP, possui experiência em análises de mercado, conjuntura econômica, estudos de viabilidade econômico-financeira e avaliações de impacto.