Dólar abriu esta sexta-feira cotado a R$ 5,5689; o Euro, a R$ 6,6344

por André Galhardo
3 minutos de leitura

O dólar comercial fechou a quinta-feira (8) com variação de +0,74%, a R$ 5,5720, após ter começado o dia cotado a R$ 5,6136. O Euro fechou o pregão a R$ 6,6374, e apresentou variação de -0,4% após ter iniciado o dia em R$ 6,6628.

A moeda americana iniciou esta sexta-feira (9) cotada a R$ 5,5689 e o Euro abriu o dia cotado a R$ 6,6344. 

Agenda de hoje

No exterior, serão conhecidos a produção industrial alemã no mês de fevereiro e o relatório mensal da produção mundial de grãos, publicado pela USDA.

Na agenda doméstica os principais indicadores estão ligados à inflação. O IBGE divulgará o IPCA do mês de março e a FGV fará a divulgação da primeira prévia do IGP-M do mês de abril.

Perspectiva para o dia

Real x Dólar

Enquanto a inflação ao produtor americano aumentou 1% no mês de março, levando o indicador anual para o patamar mais elevado desde 2012, no Brasil o IPCA, índice de preços ao consumidor, registrou a maior variação para meses de março desde 2015 (+0,93). Com o número do terceiro mês do ano, o Brasil vê a inflação oficial romper o teto da meta pela primeira vez desde 2016.

Na China, o indicador de preços ao produtor também subiu rapidamente indicando que as pressões nos preços das commodities continuam elevadas. Apesar das reiteradas falas da autoridade monetária americana sobre a transigência com uma inflação mais elevada, o mercado avalia uma eventual antecipação do processo de “normalização” da política monetária no mundo e, consequentemente, no Brasil. A tendência diária é de desvalorização do real.

Real x Euro

Depois de registrar sete meses consecutivos de aumento da produção industrial, a Alemanha registrou, pelo segundo mês em sequência, retração da atividade no setor. Segundo dados da Destatis, a produção industrial alemã apresentou recuo de 1,6% no mês de fevereiro. A expectativa de mercado era de avanço de 1,5% na leitura mensal.

A despeito dos dados da produção industrial, uma eventual retomada de um ritmo mais forte de vacinação nas principais economias europeias, pode trazer fôlego ao mercado neste fim de semana. A tendência diária é de desvalorização do real.

Assuntos relacionados