PMIs indicam retomada da economia europeia

Visão Geral O dólar comercial fechou a terça-feira (6) com variação de -1,3%, a R$ 5,5904, após ter começado o

Europa aliviada 750x375 - PMIs indicam retomada da economia europeia

Visão Geral

O dólar comercial fechou a terça-feira (6) com variação de -1,3%, a R$ 5,5904, após ter começado o dia cotado a R$ 5,6642. O Euro fechou o pregão a R$ 6,6386, e apresentou variação de -0,8% após ter iniciado o dia em R$ 6,6913. A moeda americana iniciou esta quarta-feira (7) cotada a R$ 5,5904 e o Euro abriu o dia cotado a R$ 6,6392. 

Agenda de hoje

Na agenda estrangeira teremos a divulgação, pela Markit, da leitura final do PMI da Zona do Euro, Alemanha, França e Reino Unido, todos relativos ao mês de março. Nos Estados Unidos, o Federal Reserve publicará a ata da última decisão de política monetária.

No Brasil, a FGV divulgará o IGP-DI do mês de março, a Anfavea publicará os dados de produção e venda de veículos no mês passado e o Banco Central divulgará o fluxo cambial semanal e o índice de commodities relativo ao mês anterior.

Perspectiva para o dia

Real x Dólar: a ata da última reunião do banco central americano deve reforçar o conteúdo dos últimos discursos do presidente Jerome Powell, de que, a despeito da retomada da atividade econômica americana, o estímulo monetário deve prevalecer por mais de dois anos. Apesar de um cenário internacional relativamente positivo, a deterioração das condições macroeconômicas no Brasil e o agravamento da pandemia no país devem trazer volatilidade ao mercado de câmbio neste meio de semana.

Real x Euro: na Europa, os PMIs vieram majoritariamente melhores que o esperado. Mesmo no Reino Unido, onde a leitura final veio abaixo das expectativas de mercado, houve indicação de uma expansão da atividade econômica no mês de março. Apesar dos indicadores econômicos, pesam sobre o real o aumento do clima de incerteza na Europa, que ainda digere o aumento do número de casos de covid-19 e das medidas de distanciamento adotadas pelas autoridades das principais economias do bloco econômico europeu. Tudo isso tem criado uma tendência de desvalorização de médio e longo prazo para o real.