Dólar em alta: antecipar operações e manter a programação de remessas é a dica para PMEs

O diretor de estratégia da Remessa Online, Alexandre Liuzzi, orienta PMEs e pessoas físicas a manterem a programação de suas remessas devido à volatilidade do câmbio

Alta do Dolar

São Paulo, 22 de fevereiro de 2021 – Pequenas e médias empresas (PMEs) e pessoas físicas que têm pela frente operações de remessa de dinheiro para o exterior devem, se possível, antecipar suas operações.

A instabilidade recente no câmbio gerada a partir da troca do presidente da Petrobras pelo governo federal tem força para desvalorizar o real no curtíssimo prazo.

A avaliação é do economista Alexandre Liuzzi, diretor de estratégia da fintech Remessa Online, especializada em remessas e soluções de pagamento internacionais. 

“Como não é possível prever qual será a atuação do Banco Central no mercado de câmbio hoje e nos próximos dias, estamos orientando nossos clientes a ‘não pagar pra ver’”, explica Liuzzi.

A empresa assessora PMEs e pessoas físicas em operações de remessa e pagamentos internacionais. São 350 mil clientes que têm, em sua maioria, pouca bagagem para analisar os fatores envolvidos em situações como esta.

Segundo estimativa feita pela Remessa Online, baseada em dados do Banco Central, PMEs e pessoas físicas movimentam mais de R$ 1 trilhão por ano em operações desse tipo. 

Liuzzi é incisivo em orientar seus clientes a manter a programação e evitar qualquer aposta sobre como ficará a cotação do real frente às principais moedas internacionais.

“A experiência recente mostra que momentos como este dificultam o entendimento entre governo e mercado, provocando incertezas que afetam o câmbio. O importante agora é olhar para o Banco Central e avaliar como vai reagir. Uma medida possível seria vender dólares para tentar segurar uma alta muito expressiva da moeda norte-americana, porém o efeito é apenas pontual e a tendência de alta pode continuar se não tivermos mudanças no cenário político”, completa.

O economista traz algumas dicas de como atuar nesse momento:

  • – Mantenha as operações já programadas e antecipe aquelas que forem possíveis; 
  • – Evite fazer apostas sobre câmbio enquanto a volatilidade não passar;
  • – Fique de olho na atuação do Banco Central, pois ela indicará se a deterioração do Real pode “contaminar” a inflação, o que levaria a mais perdas frente ao dólar. 
  • – Tome suas decisões baseadas em um dólar mais caro no curto prazo.

Dias complicados 

Desde a semana passada, pessoas físicas e PMEs vêm enfrentando turbulência para realizar as suas transferências internacionais.

O problema começou na quinta-feira, quando um operador internacional suspendeu temporariamente transações envolvendo Reais.

A medida levou a base de clientes a migrar para outros agentes financeiros, atrasando remessas programadas.