Giro de Notícias #12: confira o que pode impactar o mercado

Abril começa com redução na previsão de alta do PIB 2021 e 2022, além de reajustes no preço do gás natural no Brasil e o anúncio de encerramento na produção de aparelhos móveis de uma gigante do mercado.

Comece a semana de olho no que pode influenciar o mercado nos próximos dias!

No Giro de Notícias de hoje, confira:

1 – Petrobras anuncia 30% de reajuste no preço do gás natural
2 – Mercado reduz a previsão de alta para o PIB 2021 e 2022
3 – LG deixará de produzir smartphones no mundo após prejuízos
4 – Novo auxílio emergencial deve injetar R$ 44 bilhões na economia
5 – Crise deixa 29 fábricas de veículos paradas no Brasil

A seguir, acompanhe a nossa seleção de notícias e os principais acontecimentos do Brasil e do mundo.

1 – Petrobras anuncia 30% de reajuste no preço do gás natural

A semana começa com a informação divulgada pela Petrobras sobre o aumento nos preços do gás natural para as distribuidoras. A alta será de 39% em R$/m3, com relação ao último trimestre. Medido em US$/MMBtu, o aumento será de 32%.

Essas atualizações ocorrem a cada três meses, diferentemente do reajuste no preço de outros combustíveis como diesel e gasolina. A Petrobras informa que o petróleo acumulou alta de 38% entre janeiro e março, meses que são referência para o atual reajuste.

De acordo com a estatal, outros fatores interferem no preço do gás natural repassado ao consumidor, como por exemplo as margens das distribuidoras, além de tributos estaduais e federais.

2 – Mercado reduz a previsão de alta para o PIB 2021 e 2022

O Boletim Focus, do Banco Central, dessa segunda-feira apresenta dados de um relatório realizado na semana passada com mais de 100 instituições financeiras. Segundo os dados, os analistas do mercado projetam agora um crescimento menor do Produto Interno Bruto, o PIB, para 2021 e 2022.

A estimativa para 2021 passou de 3,18% para 3,17%, representando a quinta queda seguida nesse indicador. Já para 2022 a expectativa em relação ao PIB baixou de 2,34% para 2,33%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

3 – LG deixará de produzir smartphones no mundo após prejuízos

Nesta segunda-feira, dia 05, a LG Eletronics anunciou que encerrará a produção mundial de celulares no mundo, tornando-se assim a primeira gigante do mercado de aparelhos móveis a deixar completamente o mercado. 

A decisão, segundo a empresa sul-coreana, vem após sucessivos prejuízos na área, representando um acúmulo, desde 2015, por volta de 4,1 bilhões de dólares. Houve uma tentativa anterior de venda de todo o setor da empresa, mas sem sucesso.

As duas fábricas da LG no Brasil, uma em Taubaté, interior de São Paulo, e a outra em Manaus, no Amazonas, não devem ser diretamente afetadas, pois produzem outros aparelhos, como ar condicionado, geladeiras e monitores.

4 – Novo auxílio emergencial deve injetar R$ 44 bilhões na economia.

Segundo estimativas do Governo Federal as novas parcelas do chamado “novo auxílio emergencial” devem injetar cerca de R$ 44 bilhões na economia brasileira, beneficiando aproximadamente 45,6 milhões de pessoas. 

O novo pagamento começa a ser feito nesta terça-feira, dia 06. Serão quatro parcelas com valor médio de R$ 250, sendo que mulheres chefes de família receberão R$ 375 e pessoas que vivem sozinhas, R$ 150.

Os valores são inferiores aos do ano passado, quando as cinco primeiras parcelas foram de R$ 600, seguidas por mais quatro parcelas de R$ 300, representando cerca de R$ 293,1 bilhões injetados na economia e 67,9 milhões de pessoas assistidas. 

Segundo Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, o pagamento do novo auxílio vai refletir em aumento do consumo e aquecimento da economia. 

5 – Crise deixa 29 fábricas de veículos paradas no Brasil

Uma inédita crise no fornecimento de componentes, somada à queda da demanda no mercado interno com o agravamento da pandemia vem afetando as montadoras de veículos no Brasil. 

Segundo dados da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) há paralisação total ou parcial de 13 das 23 montadoras de automóveis, que somam 29 fábricas paradas, de um total de 58 fábricas no país.

Em janeiro e fevereiro desse ano, durante a crise da falta de oxigênio em Manaus, já havia ocorrido paralisação da indústria no Brasil. De acordo com a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), no período, ao menos quatro fabricantes de motocicletas da Zona Franca de Manaus, paralisaram sua produção. 

A estimativa de especialistas do setor automotivo é que cerca de 300 mil veículos podem deixar de ser produzidos em 2021. Os reflexos dessa paralisação ajudam a piorar a projeção para o desempenho da economia brasileira no ano, já agravada e em queda devido à crise da pandemia da Covid-19.

Para ficar por dentro do que pode mudar o rumo do mercado, inscreva-se gratuitamente na newsletter Café com Remessa, além de acompanhar o blog da Remessa Online.