O Discurso de Jair Bolsonaro em Davos

Quem está no centro do palco mundial é o Brasil. Após anos ofuscado em busca de seu espaço, os holofotes viraram para o país.

Já havia comentado que em uma pesquisa da Bloomberg (maior plataforma de investimentos) realizada com investidores, o Brasil foi apontado como o país emergente preferido para aplicação em ações, títulos de dívida e moeda.

Ponto positivo para nós pois isto promete trazer um grande fluxo de recursos para cá.

Contudo, para que isto ocorra, os investidores estrangeiros precisam de mais confiança e certeza do que está acontecendo. As principais dúvidas passam em torno da capacidade do novo governo realizar as mudanças prometidas e em relação ao ajuste fiscal (já que do jeito que está as contas não fecham).

Em meio a tantas dúvidas, a estreia de Jair Bolsonaro em um evento global merece atenção.

O Discurso de Jair Bolsonaro em Davos

O presidente foi para Davos, na Suíça, para o Fórum Econômico Mundial, participando inclusive da abertura. Foi a primeira vez que um presidente latino americano participou deste momento. O público estava atento a cada palavra dita.

O discurso passou pelo comprometimento com a agenda liberal, com destaque para privatizações e priorização das reformas que são necessárias ao país, como a da Previdência e tributária. No entanto, os (tão esperados) detalhes ainda não foram esclarecidos e o tempo de fala foi breve.

Cá entre nós, ele seguiu a linha correta. A sua opção foi falar sobre os temas em linhas gerais, enfatizando que a reforma é prioridade no seu governo. Poderia ter empolgado um pouco mais, sem dúvidas, mas conseguiu passar a imagem que já era esperada.

Paulo Guedes se reúne com executivos e investidores

Depois disso, pudemos contar com um excelente reforço. O superministro da economia, Paulo Guedes, entrou em cena para dar os detalhes tão aguardados.

A agenda de encontros com CEOs e executivos de algumas das maiores empresas do mundo foi intensa e marcada por um tom mais forte e direcionado.

Ele tem se mostrado fundamental para a construção da nossa imagem internacional e para dar mais credibilidade às propostas e aprovações. Não há dúvidas de que é um ótimo complemento à dupla, passando aos investidores a seriedade necessária.

Valorização do Real

Para nós, o resultado de uma boa apresentação internacional e aumento da confiança se refletirá em maior fluxo de investimentos e recursos para cá. A consequência para o câmbio culmina, inevitavelmente, na valorização do real.

Portanto, a minha visão é bem otimista para o câmbio em 2019. Porém, é preciso ter mais paciência para começarmos a sentir a diferença no preço. Por ora, seguiremos no patamar atual com perspectiva de quedas mais acentuadas do dólar em meados de abril.

Glenda Mara Ferreira é Economista, bacharel em Relações Internacionais com experiência em planejamento financeiro. Atualmente é especialista em investimentos na Levante e acabou de inaugurar um canal no YouTube sobre finanças pessoais, Glenda Mara.