Câmbio acompanha evolução da crise EUA e Irã na semana

Enquanto o mundo olha com atenção para os desdobramentos do conflito entre Estados Unidos e Irã, o câmbio do dólar se valoriza. A Europa respira aliviada após dados positivos da economia do bloco no Reino Unido, termos do Brexit são definidos.

Câmbio acompanha evolução da crise EUA e Irã na semana

Cenário global é bastante volátil: enquanto o mundo olha com atenção para os desdobramentos do conflito entre Estados Unidos e Irã, o câmbio do dólar se valoriza. Europa respira aliviada após dados positivos da economia do bloco e no Reino Unido, termos do Brexit são definidos.

Entre ameaças e mísseis, a Terceira Guerra Mundial não se iniciará em 2020. A Zona do Euro, em suas idas e vindas, teve uma semana positiva em termos de dados econômicos. O Reino Unido conseguiu aprovar o Brexit com louvor. Acompanhe os desdobramentos desses acontecimentos sobre as principais moedas globais.

Tensão entre Estados Unidos e Irã afeta cotação do Dólar

As tensões entre EUA e Irã parecem ter arrefecido no mesmo ritmo em que escalaram. É praticamente um consenso entre especialistas que a ação do presidente Donald Trump, por mais descoordenada que possa ter sido, era esperada pelo Irã.

Por outro lado, a resposta do Irã ao atacar as bases americanas no Iraque também era esperada, especialmente por ter sido comunicada diplomaticamente. Desse modo, como diz o ditado, “chumbo trocado não dói”, e Trump já veio a imprensa com tom mais ameno, falando em sanções econômicas e calmaria no regime iraniano.

Não obstante a relativa calmaria diplomática entre quarta e quinta-feira, o “privilégio exorbitante” do Dólar se manteve firme, fortalecendo a moeda estadunidense em meio ao conflito. 

Por outro lado, a moeda brasileira perdeu força especialmente após o resultado da produção industrial brasileira referente a novembro que registrou queda forte de 1,2% em meio a expectativas de recuperação.

Isso posto, o câmbio do Dólar saiu dos R$ 4,0565 na abertura do pregão de segunda-feira (6) e atingiu R$ 4,0905 na abertura do pregão desta sexta-feira (10). Trata-se de uma depreciação do Real de aproximadamente 0,84%.

Dados econômicos positivos da Europa valorizam Euro

Olhando para o Velho Continente, a semana parece ter sido um pouco mais positiva. A confiança de empresários e consumidores, subiu de 101,2 em novembro para 101,5 em dezembro. Apesar da alta sutil, ela veio acompanhada de outros indicadores.

O índice de preços ao consumidor subiu 1,3% na comparação anual de dezembro, ganhando força em relação ao aumento de 1% observado em novembro. A alta de 1,3% se repetiu no núcleo da inflação, que exclui alimentos e energia. 

Por fim, a taxa de desemprego da zona do euro referente ao mês de novembro de 20019 se manteve inalterada em 7,5%, segundo dados com ajustes sazonais divulgados pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. 

O dado é importante, pois revela que ainda não há motivos para celebrar, uma vez que há pouca mudança na economia “real”. Mas sob a perspectiva econômico-financeira, há indícios de mudanças à frente. 

Isso posto, a moeda europeia abriu a semana cotada a R$ 4,5418. Na abertura desta sexta-feira (10), a cotação foi de R$ 4,5478, uma depreciação de 0,13% do Real frente à moeda europeia. 

Termos do Brexit são definidos e Libra Esterlina sobe

O Parlamento Britânico finalmente votou o texto final com os termos da saída do Reino Unido da União Europeia, formalizando o divórcio e suas condições. A aprovação, na quinta-feira (9) encerra uma crise que se arrastava há três anos e meio.

Dentre os pontos mais importantes aprovados pelo parlamento, estão: 

  1. O prazo de transição será, oficialmente, 31 de dezembro de 2020;
  2. Os cidadãos europeus que vivem no Reino Unido e vice-versa continuarão gozando de seus benefícios;
  3. O Reino Unido cumprirá suas obrigações financeiras junto a União Europeia referente ao orçamento 2014-2020;
  4. A Assembleia da Irlanda do Norte terá palavra final nos termos do acordo que afetam o seu território;
  5. Há intenções claras de estabelecer um acordo de livre comércio.

Agora, o desafio é ajustar os acordos nesse período de transição. É um desafio menor do que o galgado até aqui, mas ainda assim, pode gerar desgastes políticos que devem impactar na cotação da Libra Esterlina e na economia britânica.

Com isso, a Libra Esterlina abriu a semana cotada a R$ 5,3177. Nesta sexta (10), o Real seguiu trajetória de depreciação em relação à Libra, registrando, na abertura, a cotação de R$ 5,3502, uma variação semanal de 0,61%.

Perspectivas

O câmbio das principais moedas globais, especialmente o Dólar, viveu uma semana de bastante volatilidade graças a questões geopolíticas. A moeda americana se fortaleceu no período, mas logo arrefeceu após declarações de Trump.

Tirando o aspecto do “privilégio exorbitante” do Dólar, dados econômicos europeus e os avanços britânicos garantiram um fortalecimento das moedas dos países centrais em detrimento dos emergentes.

Isso posto, os dados econômicos brasileiros surpreenderam negativamente analistas e economistas. Desse modo, câmbio do Dólar deve se manter acima dos R$ 4,05 ao longo da semana. 

Seguimos de olho.

André Galhardo é economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário nos cursos de Ciências Econômicas. Mestre em Economia Política pela PUC-SP, possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, com passagens pelo setor público.