Cenário internacional mais tranquilo para o câmbio

cenário internacional está mais ameno, com menor risco de desaceleração global

O cenário internacional está mais tranquilo, com sinais de que a desaceleração econômica não será tão acentuada. O cenário interno, contudo, permanece de incerteza por conta da política.

O Dólar americano fechou a segunda-feira cotado a R$ 4,1529 após ter começado o dia cotado a R$ 4,1679. O Euro fechou o dia cotado a R$ 4,5825 após ter iniciado o dia cotado a 4,5896. A moeda europeia abriu esta terça-feira cotada a R$ 4,5826 e o Dólar americano a R$ 4,1514.

Agenda de hoje

No exterior são esperados os discursos do P. T. Harker e do N. Kashkari, presidentes do FED em Filadélfia e Mineápolis, respectivamente. Na Europa, o dado mais aguardado é o sentimento econômico, divulgado pela ZEW. Em resumo, o cenário internacional está mais brando que de costume.

No Brasil, o dado mais importante da agenda econômica é o resultado do setor de serviços referente ao mês de setembro, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na agenda política doméstica as atenções estarão voltadas para a reunião da cúpula do governo para a tomada de decisão de sair do PSL.

Perspectivas para o dia

Real x Dólar

Dados mais positivos da economia internacional indicam que uma desaceleração mais pronunciada está descartada em 2019 o que deve trazer algum alívio na taxa de câmbio de países emergentes. Neste sentido, nesta terça-feira o Dólar deve operar em baixa frente ao Real, reproduzindo o comportamento frente às principais moeda asiáticas.

No entanto, a agenda política doméstica traz uma ambiente de incerteza. Neste sentido, o mercado responderá de acordo com o modo como membros do PSL reagirão à saída do presidente brasileiro da sigla.

Real x Euro

Uma eventual apreciação do Real frente ao Dólar deve se propagar para as demais moedas europeias e asiáticas. Esse movimento pode ser explicado pelo processo de desvalorização da divisa brasileira nos últimos dias.

Além disso, a despeito de uma nova leitura negativa do sentimento econômico alemão, o dado do mês onze mantém a trajetória de melhora e é o número menos baixo desde a leitura referente ao mês de maio deste ano.

André Galhardo é economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário nos cursos de Ciências Econômicas. Mestre em Economia Política pela PUC-SP, possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, com passagens pelo setor público.