Entenda o que é o Big Mac Index

Saiba o que é o Big Mac Index

Imagina só usar um sanduíche para medir o poder de compra das principais moedas do mundo? Pois é isso o que o índice Big Mac Index faz. Continue lendo o artigo para descobrir mais sobre o indicador e quais os países com o Big Mac mais caro e barato do mundo.

Criado em 1986, o Big Mac Index compara o valor das moedas e mede a paridade do poder de compra (PPC) em mais de 100 países, usando o preço do Big Mac, famoso hambúrguer da rede de fast food americana McDonald’s como referência.

 O que é o Big Mac Index?

O Big Mac Index é um indicador elaborado pela revista The Economist que compara o preço do Big Mac do Mcdonalds em cerca de 100 países. O objetivo é comparar a Paridade do Poder de Compra (PPC) de cada nação, usando o Big Mac como referência. 

Em outras palavras, o Big Mac Index foi criado para medir as disparidades no poder de compra do consumidor entre os países pesquisados. Nesse caso, o hambúrguer substitui a “cesta de mercadorias” tradicionalmente usada pelos economistas para medir diferenças nos preços ao consumidor.

Mas você se pergunta agora? “Por quê usar o Big Mac para medir algo tão sério”? Bem, os especialistas afirmam que, em teoria, o preço de um sanduíche reflete uma série de fatores econômicos locais, variando do custo dos ingredientes ao custo da produção e publicidade local. 

Paridade do Poder de Compra

Apenas para deixar claro, a paridade do poder de compra é uma teoria econômica que afirma que, a longo prazo, qualquer mudança na taxa de câmbio entre as nações deve se refletir em uma mudança no preço de uma “cesta de produtos”. No entanto, é provável que uma “cesta de produtos nos EUA e no Japão contenham produtos muito diferentes. 

Por isso, um dos principais insights do Big Mac Index é que um Big Mac, no entanto, é sempre um Big Mac, permitindo pequenas diferenças locais nos ingredientes.

Como é o cálculo do Big Mac Index?

O Índice Big Mac é calculado dividindo o preço de um Big Mac em um país pelo preço de um Big Mac em outro país em suas respectivas moedas locais para chegar a uma taxa de câmbio. Essa taxa de câmbio é então comparada à taxa de câmbio oficial entre as duas moedas para determinar se uma das moedas está subvalorizada ou supervalorizada, de acordo com a teoria do poder de compra.

Na prática, se o Big Mac custa US$ 4,00 nos Estados Unidos e R$16,00 no Brasil, então a taxa de câmbio seria de 1 dólar para cada 4 reais.  No entanto, ao comparar com a taxa de câmbio real, percebemos que 1 dólar custa mais que 3 reais, o que revela que a moeda está desvalorizada em relação ao dólar.

Por que o Big Mac?

Pode parecer estranho usar um sanduíche como parâmetro econômico, mas a explicação é viável:

O Big Mac foi escolhido como referência do indicador por ser fabricado com os mesmos ingredientes e vendido em mais de 100 países. Por ter um processo de produção padronizado, fica mais fácil comparar o poder de compra de cada país.

Pela lógica, esse sanduíche deveria ter o mesmo preço em cada nação, respeitando a cotação do dólar. Porém, isso nem sempre acontece devido aos fatores econômicos e custo de vida de cada país.

Inspirado no Big Mac Index, existem outros indicadores que utilizam produtos  para avaliar o poder de compra e câmbio de cada país. Um bom exemplo disso, é o Iphone Index.

O Big Mac é usado como base do índice da The Economist porque ele usa os mesmos ingredientes em todos os países onde é comercializado, o que em tese faz com que ele devesse ter o mesmo preço em todos os países

 Últimos dados do Big Mac Index

O Big Mac Index é mensurado a cada seis meses e os resultados da pesquisa podem ser conferidos na página oficial da revista The Economist. A última análise foi realizada em junho de 2019 e os dados são classificados por país e pelos índices brutos e por PIB per capita.

Os resultados do índice bruto do Brasil indicam que o Big Mac custa, em média, R$17,50 e US$5.74 nos Estados Unidos. A taxa de câmbio aplicada é de US$ 3,05. A diferença entre a taxa de câmbio real de US$ 3,81 sugere que o real brasileiro está 19,9% subvalorizado em relação ao dólar.

Por outro lado, o índice por PIB per capita revela que o Big Mac custa 39% menos no Brasil do que nos Estados Unidos. Isso sugere que o real está supervalorizado em 31,9%.

País com Big Mac mais caro do mundo

A Suíça é um dos países com um dos sanduíches mais caros do mundo. O Big Mac custa  SFr 6,50 na Suíça e US$ 5,74 nos Estados Unidos. A taxa de câmbio aplicada era de US$ 1,13, o que sugere que o franco suíço está supervalorizado em 14%.

País com Big Mac mais barato do mundo

Segundo o levantamento do Big Mac Index de junho de 2019, o sanduíche mais barato do mundo está na Rússia. Em média, ele custa 130 rublos russos e US$ 5,74 nos Estados Unidos. Isso significa que a moeda está desvalorizada em 64,5% se comparada ao dólar.

Conheça a página de cotação da Remessa Online

Uma ótima alternativa para acompanhar a flutuação do câmbio é através da página de cotação da Remessa Online. Nela, você pode fazer a conversão online de até sete moedas para o real. As variações cambiais são atualizadas em tempo real, de acordo com a cotação oficial do mercado. 

Aproveite o acesso e faça a sua transferência internacional pela Remessa Online. O processo é simples, com taxas baratas e envio em até 1 dia útil.