Europa e Estados Unidos atestam recuo econômico

Dolar hoje abre esta quinta-feira cotado a R$ 5,3361 e o euro hoje abriu o dia cotado a R$ 5,8046.

Dólar hoje e euro hoje

Visão Geral

O Dólar americano fechou a quarta-feira cotado a R$ 5,3261, após ter começado o dia em R$ 5,5019.

O Euro fechou o dia em R$ 5,8029, após ter iniciado o pregão em  R$ 5,9531.

Dolar hoje abre esta quinta-feira cotado a R$ 5,3361 e o euro hoje abriu o dia cotado a R$ 5,8046.

Agenda de hoje

A agenda externa está repleta de indicadores nesta quinta-feira.

Na Europa serão divulgados os dados preliminares do PIB e do índice de preços ao consumidor da Zona do Euro, amanhã também é dia da decisão da política monetária do bloco europeu.

Nos Estados Unidos serão conhecidos os dados de rendimentos e de gastos pessoais referente ao mês de março, além do aguardado número de novos pedidos de seguro-desemprego semanal.

Para finalizar, conheceremos o PIB mexicano relativo ao primeiro trimestre e a decisão de política monetária da Colômbia.

Na agenda doméstica teremos: a divulgação do índice de preços ao produtor, a PNAD contínua e os resultados fiscais consolidados.

Todos os dados referentes ao mês de março.

Perspectivas para o dia

Real x Dólar

As agendas econômicas enviaram sinais ambíguos nesta quinta-feira.

Enquanto os dados do PIB italiano apontaram recuo menor que o consenso de mercado previa, os dados do PIB francês e o volume de novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos vieram piores que as estimativas.

Neste sentido, deve haver movimentos alternados de compra e de venda mais forte da moeda americana no Brasil.

Tendência de desvalorização do dólar em relação ao real.

Real x Euro

Os dados de atividade econômica apontam para quedas mais relevantes na França, Alemanha (dados de desemprego), Espanha e Zona do Euro como um todo, e para queda menor na economia italiana.

De modo geral, a tendência pela valorização do real permanece principalmente pela desvalorização especulativa que aconteceu na semana passada.

No entanto, o movimento de alta da moeda brasileira pode ser comprometido pelo eventual aumento da aversão ao risco na Europa.