Entenda porque este fundo aposta na queda do dólar

Entenda porque este fundo aposta na queda do dólar

Luis Stuhlberg, gestor do fundo Verde Asset Management, está operando vendido no câmbio, ou seja, aposta na queda do dólar. Esta decisão está na contramão do mercado, que vê o dólar acima de R$ 4 até o final do ano. Entenda suas razões.

Há algum tempo, diversos economistas e gestores de fundos de investimento, que inclusive ganham com o câmbio, vem dizendo que a tendência é termos um dólar mais alto. O patamar de R$ 3,90 a R$ 4 é visto como o novo normal.

Porém, tem um gestor que devido a sua visão mais otimista com o cenário brasileiro, está posicionado para ganhar com quedas da moeda forte. A referência aqui é a Luis Stuhlberg, o gestor do Verde Asset Management, um dos mais tradicionais e com uma longa história que sobreviveu a diferentes situações e reveses não só brasileiros, mas do front externo também.

Ele já apostou contra o mercado antes

O track record (histórico de rentabilidade) do fundo é reconhecido e a sua experiência e acertos corroboram para que todos prestem atenção no que é dito por ele e sua equipe.

Um exemplo clássico é de 1998, quando a única saída do governo brasileiro contra a deterioração de nossa economia era a desvalorização do real, mas ainda havia dúvida do que o Banco Central sob o comando de Gustavo Franco iria fazer (já que ele não era tão a favor da desvalorização do real).

Como Stuhlberg sairia de férias com as filhas, resolveu um dia antes da viagem investir todo o patrimônio do fundo em dólar, assim não perderia a oportunidade, mesmo ausente.

E veja só o que aconteceu, Gustavo Franco foi demitido e no seu lugar entrou Francisco Lopes, que permitiu a desvalorização do real. Com os próximos investimentos que fez a partir disso, o rendimento líquido do fundo em 1999 foi de 125%.

Depois, passou a atrair atenção de investidores, aumentou a equipe e destravou o caminho de sucesso do fundo.

É claro que erros de avaliação também fazem parte da sua trajetória. Em 2008, ele fez um investimento para a família. Comprou rúpia, a moeda indiana, na expectativa de que se valorizasse. Como isto não ocorreu, perdeu o equivalente a um apartamento.

Razões para apostar contra hoje

Mas vamos falar o que importa, qual é a visão da gestora para os dias atuais. Segundo eles, o crescimento brasileiro está aquém do ideal, o PIB por exemplo ainda não mostrou o seu potencial. Além disso, acreditam que o estímulo monetário tem chance de ser ainda maior do que o projeto anteriormente e que será um propulsor da demanda doméstica.

Por isso, mantiveram a posição em ações, juros e aumentaram a posição vendida em dólar. Ou seja, acreditam que o dólar cairá em comparação ao Real.

Segundo a gestora, o cenário global “desanuviou” ao longo de setembro. Como acreditam que um pequeno acordo entre EUA e China deverá ser alcançado, devido aos incentivos que os dois têm em buscar uma trégua, o dólar tenderá a parar de subir na escala global.

Portanto, agregando uma melhor perspectiva de crescimento brasileiro somado a possibilidade um pequeno acordo entre EUA e China para que a relação entre os dois países não se deteriore, culminará em um dólar mais controlado ao longo do tempo e não tão estressado como temos visto atualmente. Se uma das gestoras mais tradicionais fala, nós paramos, escutamos e fazemos as devidas ponderações.

Glenda Mara Ferreira é Economista, bacharel em Relações Internacionais com experiência e planejamento financeiro. Atualmente é especialista em investimentos na Levante e acabou de inaugurar um Instagram sobre finanças pessoais e economia:@glendamaraf.