Giro de Notícias #15: especial Relatório Focus

por Gustavo Esteves
3 minutos de leitura

Inicie a semana de olho nas informações do Relatório Focus, divulgado nesta segunda-feira, 26, pelo Banco Central (BC).

  • 1. Produto Interno Bruto (PIB): 3,09%;
  • 2. IPCA, a inflação oficial do país: 5,01%;
  • 3. Taxa básica de juros (Selic): 5,50%;
  • 4. Taxa de câmbio: R$ 5,40.

A seguir, acompanhe os dados que podem influenciar o mercado nos próximos dias! 

1. Produto Interno Bruto (PIB): 3,09%

O PIB, o Produto Interno Bruto, é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Para 2021, a expectativa dos economistas do mercado financeiro foi elevada de 3,04% para 3,09%. Enquanto para 2022, o mercado manteve em 2,34% a projeção do índice.

Mais sobre o PIB

De acordo com um estudo publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a adesão do Brasil à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) poderia elevar PIB em R$ 38 bilhões por ano, o que corresponderia a um crescimento econômico de 0,4%.

Vale lembrar que, recentemente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que espera que o Brasil se junte à OCDE até o final de 2021.

2. IPCA, a inflação oficial do país: 5,01%

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, é a inflação oficial do país. O índice possui uma meta anual, que é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para 2021, pelo sistema atual, a meta central para a inflação no Brasil é de  3,75%. No entanto, será considerada cumprida se ficar entre 2,25% e 5,25%.

Nesta semana o mercado registrou a terceira alta seguida da projeção para o IPCA: a expectativa passou de 4,92% para 5,01%. Ou seja, acima da meta central, porém ainda dentro do intervalo estabelecido pelo CMN para considerá-la cumprida.

Histórico recente do IPCA:

  • 2020: 4,52%
  • 2019: 4,31%
  • 2018: 3,75%

Para o próximo ano, a expectativa do mercado financeiro para a inflação permaneceu em 3,60%. A meta central de inflação para 2022 é de 3,50%; e assim como para este ano, já foi estabelecido o intervalo de tolerância pelo CMN: 2% a 5%.

3. Taxa básica de juros (Selic): 5,50%

Quando o assunto é a Selic, a taxa básica de juros, o olhar do mercado financeiro também é de preocupação. Em março, o Comitê de Política Monetária do Banco Central elevou a taxa básica de juros em 0,75%. Foi a primeira elevação em quase seis anos, fazendo com que a taxa básica de juros passasse de 2% para 2,75% ao ano.

Dado o contexto recente, no Relatório Focus desta semana, os economistas do mercado financeiro elevaram a previsão para a Selic de 5,25% para 5,50% no fim de 2021.

Houve também crescimento da expectativa para a taxa Selic ao fim do próximo ano. A projeção saltou de 6% para 6,13% em 2022.

4. Taxa de câmbio: R$ 5,40

Diferente dos três índices apontados acima, a projeção para a taxa de câmbio permaneceu a mesma: R$ 5,40 ao final de 2021. 

Para o fim de 2022, avançou de R$ 5,26 para R$ 5,40 por dólar.

Detalhes sobre o cálculo da projeção

Em janeiro, para alcançar maior precisão, o Banco Central anunciou uma mudança no cálculo das projeções cambiais do mercado financeiro.

Desde então, o índice publicado no Relatório Focus é calculado com base na média para a taxa no mês de dezembro, não mais no valor projetado para o último dia útil de cada ano.

Para ficar por dentro do que pode mudar o rumo do mercado, inscreva-se gratuitamente na newsletter Café com Remessa, além de acompanhar o blog da Remessa Online.

Assuntos relacionados