Peso argentino: tudo sobre a moeda da Argentina

por Remessa Online
3 minutos de leitura
peso argentino: peso argentino saindo da carteira em cima de uma mesa de madeira

Se você pretende viajar para a Argentina, deve começar a planejar as finanças para a viagem. Afinal, sempre surgem dúvidas, como:

  • Levar peso argentino ou dólar?
  • Será que o ideal é fazer uma remessa para uma conta no país de destino?

O peso argentino é a moeda oficial do país. Conhecer suas principais características e um comparativo de sua relação com as outras moedas, vai ajudar na sua escolha. Por isso, vamos mostrar a diferença entre ela e o real, o dólar e o euro.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura e descubra!

A história dessa moeda

Ele está em circulação no país há mais de trinta anos. Também conhecido pela sigla ARS, quando entrou em vigor sua cotação era bem próxima ao dólar americano. Porém, em 2002 essa moeda começou a sofrer uma desvalorização significativa frente ao dólar.

Hoje, você encontra no país notas em papel de 2, 10, 20, 50, 100, 200 e 500 pesos e moedas de 5, 10, 25 e 50 centavos. 

Desde a sua entrada em circulação, os maiores impactos negativos sofridos foram no ano de 2018, quando a moeda chegou a valer 2,5 centavos de dólar. Nesse ano, ela teve a menor cotação de sua história e isso está diretamente relacionado às escolhas políticas, econômicas e a crise vivida no país ao longo dos anos.

Países que utilizam a moeda

Ela é aceita exclusivamente na Argentina. Por isso, não adianta viajar para outros países com a  moeda, pois não será aceita na maior parte das transações. Para cada país da América do Sul é importante pesquisar sobre as moedas usadas. 

O peso argentino e o real

Frente ao real, ele é bastante desvalorizado. Em janeiro de 2021 a cotação de um peso argentino girou em torno de R$ 0,0618.

Mas se você é brasileiro e pretende viajar para o país apenas com real, fique atento e troque suas moedas antes da viagem ou escolha outra para fazer suas compras.

A moeda argentina e o dólar

Assim como acontece com o real, o peso também está desvalorizado diante do dólar e  essa desvalorização é significativa. Hoje, em janeiro de 2021, um dólar equivale a 85,45 pesos argentinos.

Trata-se assim de uma moeda altamente valorizada no país, não é por acaso que muitos turistas viajam para a Argentina com dólares. A moeda norte-americana é aceita em inúmeros estabelecimentos por todo o país.

A moeda da argentina e o euro

Entre o real, o dólar e o euro, o terceiro é o mais valorizado. Em janeiro de 2021, um euro teve equivalência a 104,32 pesos argentinos. Entretanto, não é muito comum a utilização dessa moeda pelos turistas, que geralmente dão preferência ao dólar em suas compras.

Aspectos econômicos de valorização e desvalorização da moeda  

A desvalorização da moeda argentina está principalmente associada às escolhas políticas e às crises econômicas do país.

Além disso, como a economia do país está ancorada no dólar, a desvalorização acaba se tornando um ciclo em constante crescimento, já que quanto menos ela vale, maior será a inflação e os juros, o que acaba influenciando na atividade econômica.

Antes de escolher a moeda que vai levar para o país, vale a pena consultar as cotações atualizadas e avaliar a possibilidade de viajar com dólar ou de ter uma conta internacional e fazer transferências.

Além disso, conhecer os serviços oferecidos pela plataforma Remessa Online fará toda a diferença nas suas operações de envio e recebimento de dinheiro do exterior.

Gostou deste artigo? Então, aproveite para acessar o nosso site e saber mais sobre a Remessa Online.

Resumindo

A história 

O peso argentino está em circulação no país há mais de trinta anos. Também conhecido pela sigla ARS, quando a moeda entrou em vigor sua cotação era bem próxima ao dólar americano. Porém, em 2002 começou a sofrer uma desvalorização significativa frente ao dólar.

Aspectos econômicos de valorização e desvalorização da moeda

A desvalorização da moeda argentina está associada principalmente às escolhas políticas e crises econômicas do país.

Assuntos relacionados