4 cuidados que você precisa tomar para não perder o direito ao AdSense no YouTube

Cuidados para não perder o direito ao adsense no Youtube

Veja 4 cuidados que um influenciador precisa tomar para seu conteúdo não perder o direito ao Adsense no YouTube. Entenda quais cuidados devem ser tomados em relação ao conteúdo e à gestão da sua conta.

Os pequenos canais do YouTube, com baixa a média influência, estão se adaptando às novas e rigorosas regras da plataforma quanto aos critérios de monetização dos vídeos postados.

O direito ao adsense no YouTube pode ser comprometido, já que quem produz conteúdo com o objetivo de ganhos deve agora adquirir um mínimo de mil inscritos e quatro mil horas de visualizações nos últimos 12 meses de vídeos postados.

Se você utiliza o YouTube como forma de fazer dinheiro — em ambiente nacional e internacional — deve atentar às exigências e adequar o seu canal para não sofrer penalizações. Confira neste post 4 cuidados a tomar para manter o seu AdSense!

O que é o AdSense do YouTube?

O Google já dispunha da ferramenta AdSense para sites, Com a compra do YouTube em 2006, incorporou também no canal. Com isso, as empresas pagam para fazer publicidade dentro dos sites ou canais e a remuneração é efetivada pela quantidade de cliques nesses anúncios.

O processo é cíclico e simples, as marcas pagam ao Google e o Google remunera o dono do canal que hospedou a publicidade.  O que muda é que o gigante da internet está mais rigoroso, pois o AdSense filtra as propagandas antes de irem ao ar analisando sua relevância.

O Adsense no YouTube conta com quatro modalidades de anúncios:

  • anúncios gráficos: aparecem à direita do vídeo em destaque e acima da lista de sugestões de vídeo;
  • anúncios de sobreposição: exibidos nos 20% da parte inferior do seu vídeo;
  • Cartões patrocinados: conteúdo que pode ser relevante para a audiência, como produtos exibidos no vídeo;
  • anúncios in stream: exibidos antes ou depois dos vídeos .

Quais os 4 cuidados que você deve considerar para não perder a monetização do canal?

Embora as regras estejam severas será possível manter o canal no ar com a normalidade da remuneração. Para isso, é fundamental ter a ciência do que não deve ser postado para evitar problemas, atender aos critérios e continuar recebendo pelo conteúdo do seu canal.

São diversos conteúdos não permitidos para proteger quem visita os sites e canais.

O intuito maior é evitar que menores de idade tenham acesso a conteúdos inapropriados que possam alterar ou influenciar um comportamento para a agressividade, o ódio ou atentado contra a própria vida.

Confira:

  • spam, práticas enganosas e esquemas;
  • roubo de identidade;
  • links no seu conteúdo;
  • falsa interação;
  • nudez e conteúdo de natureza sexual;
  • miniaturas personalizadas;
  • segurança infantil;
  • automutilação;
  • conteúdo nocivo ou perigoso;
  • conteúdo violento ou explícito;
  • organizações criminosas violentas;
  • incitação ao ódio;
  • assédio e ciberbullying.

Ao menor sinal de um conteúdo com essas características, o AdSense emite um aviso de violação das regras que pode comprometer o seu canal e consequentemente a remuneração que você espera dele.

Para evitar contratempos e continuar gerando a monetização do seu canal, é importante tomar os 4 cuidados a seguir e assim, garantir mais seguidores e um crescimento vertical longe de problemas.

 Ao menor sinal de um conteúdo que possa incitar comportamentos de ódio, agressividade ou atentado contra a própria vida, o AdSense emite um aviso de violação das regras
Ao menor sinal de um conteúdo que possa incitar comportamentos de ódio, agressividade ou atentado contra a própria vida, o AdSense emite um aviso de violação das regras

1. Tenha apenas uma conta

Ter mais de uma conta no YouTube sugere que você pode estar tentando alguma manobra para enganar o AdSense e isso acarretar a perda da monetização em ambas as contas.

O ideal é investir recursos e tempo em apenas um canal e garantir que ele seja alimentado de conteúdo relevante para os visitantes. Mesmo que não haja a intenção, uma conta duplicada pode sugerir uma ação duvidosa.

2. Insira informações verdadeiras

Jamais insira informações falsas em seu canal. A visibilidade e o número de acesso crescem exatamente pela confiança que o seguidor tem no canal.

Em muitos casos o conteúdo do canal é responsável pelas mudanças no comportamento do seguidor, por isso, qualquer informação que não seja verdadeira, quando descoberta fará com que o dono do canal seja penalizado e perca o direito à monetização.

Atualmente há vários canais de fact checking, como o boatos.org, e-farsas, Agência Lupa e outros. Conferir nesses canais se a informação procede ajuda a evitar questionamentos sobre a veracidade da informação.

3. Produza conteúdos autorais

Se o conteúdo do seu canal não for de autoria própria e sofrer reclamações de plágio ou uso não autorizado sua conta, será enquadrada por ato ilegal e você poderá perder a monetização dos vídeos ou conteúdos em definitivo.

Os direitos autorais existem para garantir que o “dono” do conteúdo tenha poder legal sobre a criação e a utilização por terceiros implica em concessão do direito solicitado previamente, portanto, seja original.

4. Evite assistir seus próprios vídeos

Se a condição para a monetização é a quantidade de inscritos e horas de visualização, ao assistir os próprios vídeos você pode sugerir um ranqueamento fictício, visto que não será entendido como um usuário interessado nos conteúdos e sim uma tentativa de aumentar os números para driblar o AdSense.

Você percebeu que, embora esteja mais complexa a relação com o canal e a forma de monetização, o AdSense tem a missão de proteger e resguardar a visualização de conteúdo impróprio e assim, garantir um comportamento saudável em todas as esferas da sociedade.

Mantendo o seu direito à monetização no YouTube, você pode receber os pagamentos do Google AdSense pela Remessa Online. Somos a melhor opção para os influenciadores, porque temos o menor custo do mercado e disponibilizamos o pagamento em um dia útil.

Resumindo

Quanto se ganha com um canal no YouTube?

Os valores recebidos no canal do YouTube pelo Google AdSense são calculados com base no CPM (custo por mil impressões). Como o YouTube paga em dólares, a média é de U$ 1,65 no Brasil e U$ 4,5 nos Estados Unidos a cada mil visualizações — os canais de destaque e de maior relevância têm ganhos superiores.