Como comprar ações no Brasil e no exterior? 5 dicas para começar a investir

por Remessa Online
3 minutos de leitura
Homem de negócios pesquisando em tablet como comprar ações

Você já pensou em como comprar ações? É possível fazer esse processo tanto no Brasil quanto no exterior. Ambas as possibilidades têm pontos positivos e estão em alta. 

Um dos motivos é a queda na taxa básica de juros, a Selic. Isso fez a atratividade da renda fixa diminuir e da variável aumentar. Por isso, o número de pessoas físicas cadastradas na bolsa de valores brasileira, a B3, atingiu 2 milhões em abril de 2020.

O número de contas chegou a 2,4 milhões, porque um mesmo CPF pode ter mais de uma. Além disso, há mais de 28 mil contas de pessoas jurídicas.

Esses dados mostram que o perfil de investidor está mudando no Brasil. Com isso, mais gente quer saber como comprar ações, seja no País, seja no exterior. É o que vamos apresentar neste post. Entenda mais.

O que são ações?

Para saber como comprar ações, é preciso entender que esse ativo representa a parte de uma companhia negociada na bolsa de valores. Essa é uma empresa de capital aberto. Ao adquirir uma cota, é como você se tornasse sócio do negócio.

Por isso, existem dois tipos de ações. As ordinárias garantem o poder de voto. Por isso, há uma influência mais direta nos resultados da empresa. Já as preferenciais favorecem o pagamento de dividendos.

A remuneração obtida depende diretamente dos resultados da companhia. Por isso, quanto mais houver valorização, mais você ganha. Todas as negociações são feitas pela bolsa de valores.

Quais são as vantagens de comprar ações?

O investimento em ações traz vários benefícios aos investidores. Entre os principais estão: 

  1. Rentabilidade no longo prazo: que permite construir um patrimônio e obter bons resultados;
  2. Flexibilidade: porque você pode vender as ações no momento que desejar. Ou seja, a liquidez desse investimento é alta;
  3. Ganho de uma renda extra: devido ao pagamento dos dividendos. Eles são partes do lucro distribuídos pelos acionistas e são pagos conforme a quantidade de cotas que você tem;
  4. Isenção de Imposto de Renda: para vendas de ações cuja soma das operações é menor do que R$ 20 mil. Se ficar acima disso, é preciso pagar entre 15% e 20%.

Com a queda na Selic, a rentabilidade da renda fixa também ficou bastante baixa. Com isso, a renda variável se tornou ainda mais atrativa.

E os riscos?

Quem está inserido no mercado financeiro sabe que a renda variável é mais arriscada do que a renda fixa. Além disso, o retorno é proporcional à chance de perdas. Ou seja, quanto maior é o potencial de rentabilidade, mais ameaças você corre.

Ao saber como comprar ações e colocar essa ideia em prática, você precisa tomar cuidados. Afinal, não existe garantia de rendimento. Em alguns casos, você pode até perder dinheiro.

Outros riscos corridos são: 

  1. De liquidez: acontece quando você não consegue vender seus ativos da carteira. É possível ser superado com o investimento nas melhores ações da B3 ou de bolsas no exterior;
  2. De mercado: está relacionado à desvalorização da ação. É o caso da perda de dinheiro porque você comprou o papel por R$ 10 e agora ele vale R$ 8.

Apesar de existirem outras ameaças, essas são as principais. De toda forma, o risco pode ser diminuído pela diversificação de investimentos.

A ideia é simples: nunca colocar todo o seu dinheiro em apenas uma categoria de ativos. Portanto, vale a pena ter ações, títulos de renda fixa e outros da renda variável. Se quiser optar mais pelas cotas das companhias, busque ter de várias empresas.

Essa é a regra de ouro para evitar perdas e garantir o máximo retorno. Isso porque, se houver prejuízo de um lado, há ganhos de outro.

Como comprar ações?

Para efetivar esse processo, você deve ter uma conta em uma corretora de valores. As transações de compra e venda podem ser feitas pela mesa de operações, mas é mais comum ocorrerem pelo home broker.

Basicamente, essa é uma plataforma de negociação que oferece várias opções de ações. Dessa maneira, você paga menos taxas e faz todas as movimentações pela internet.

Se não quiser ter uma conta em uma corretora de valores, você também pode investir com o seu banco. No entanto, essa opção tende a ser mais limitada e pode prejudicar o seu desempenho.

Como começar a investir?

Agora que você já sabe o fazer e tem a sua conta na corretora de valores, chega o momento de saber efetivamente como comprar ações. Veja outras dicas que ajudam a alcançar esse objetivo.

1. Inicie comprando apenas lotes

Comece aos poucos. Nunca invista todo o seu dinheiro logo de cara. Para iniciar, pegue prática com o home broker e compre apenas um ou alguns lotes.

Eles podem ser fracionados, ou seja, divididos para facilitar a compra de uma quantidade menor de ativos. Outra alternativa é o lote padrão, que sempre segue múltiplos de 100, ou seja, 1.000, 10.000, por exemplo. O ideal é começar com o primeiro modelo.

2. Selecione uma corretora

Existem várias corretoras de valores. Para saber qual é a melhor, faça uma análise da reputação. Para isso, pesquise sobre a instituição financeira no Google e sites como o Reclame Aqui.

Além disso, confira as taxas cobradas. Algumas têm valores mais altos, que nem sempre compensam e podem até corroer o seu lucro. Por outro lado, há várias opções gratuitas, que são mais competitivas.

3. Entenda seu perfil de investidor

Cada pessoa tem um perfil de investidor diferente. Por isso, as instituições financeiras são obrigadas a aplicar o teste de suitability. Geralmente, o resultado é colocado em uma de três categorias: 

  1. Conservador: é aquele que prioriza a segurança sobre o rendimento. Por isso, investe mais na renda fixa;
  2. Moderado: é quem prefere equilibrar a carteira e aceita correr mais riscos, se o potencial de retorno for maior;
  3. Arrojado: é quem prioriza o retorno sobre a segurança. Por isso, tem alta tolerância ao risco.

Mesmo que você seja conservador, vale a pena investir na renda variável. Basta diversificar.

4. Atente às taxas

As corretoras do Brasil e do exterior podem cobrar várias taxas para efetivar as operações. As principais são: 

  1. De administração: é voltada para a gestão de fundos, inclusive, quando eles são voltados para ações;
  2. De corretagem: é uma porcentagem ou um valor fixo sobre as operações;
  3. De custódia: serve para custear a manutenção das ações na bolsa;
  4. De performance: pode existir nos casos em que o título tem resultado acima do esperado. Costuma aparecer apenas nos fundos.

Novamente, é importante destacar que algumas corretoras isentam essas taxas.

5. Conte com uma boa plataforma de transferências internacionais

Para quem quer saber como comprar ações no exterior, é necessário entender das operações de câmbio. Além das taxas da corretora internacional, você precisará pagar para que o dinheiro seja recebido ou enviado do Brasil para o outro país.

Nesse processo, vale a pena atentar à reputação, às taxas e à confiabilidade da plataforma de transferências internacionais. A melhor opção é a Remessa Online.

Com a Remessa Online, você movimenta seu dinheiro com custo a partir de 1,3%. Em alguns casos, a tarifa bancária é zerada. Além disso, a quantia chega em apenas 1 dia útil para evitar que você perca boas oportunidades.

Entendeu melhor sobre como comprar ações? Agora você já sabe o que fazer, mesmo no exterior. É só aplicar as mesmas dicas para as corretoras internacionais e ter acesso a uma plataforma de transferências internacionais.

Achou interessante e quer fazer operações em outro país? Acesse o site da Remessa Online, veja como o serviço funciona e cadastre-se na plataforma!

Resumindo

Onde posso comprar ações?

Você precisa de uma conta em uma corretora de valores e fazer a movimentação via mesa de operações ou home broker.

Qual o valor mínimo para começar a investir em ações?

Você pode adquirir um lote padrão, que é mais caro, ou fracionado. Nesse segundo caso, depende do valor do ativo. No entanto, há opções bastante acessíveis.

Como comprar ações pela internet 2020?

É preciso ter acesso ao home broker da operadora. Assim, você poderá negociar em qualquer dispositivo com conexão à internet.

Assuntos relacionados