Dólar abre em queda, mas impeachment põe pressão

por André Galhardo
3 minutos de leitura
Dólar a bre em queda, mas impeachment de Trump põe pressão nas cotações

O dólar abriu em queda nesta segunda-feira com o avanço do acordo comercial EUA China, mas impeachment de Trump pode pressionar alta.

O Dólar americano fechou a sexta-feira cotado a R$ 4,1082, após ter começado o dia em R$ 4,0912. O Euro fechou o dia em R$ 4,5688 após ter iniciado o pregão em  R$ 4,5530. A moeda americana abriu esta segunda-feira cotada a R$ 4,1083 e o Euro abriu o dia cotado a R$ 4,5702.

Agenda de hoje

No Brasil, a segunda-feira será menos agitada no que diz respeito aos indicadores econômicos. Com destaque apenas para a balança comercial semanal e a divulgação do IGP-10.

Na Europa as atenções estarão por conta dos PMIs compostos da Zona do Euro e do Reino Unido. O dado antecedente é preliminar e referente ao mês de dezembro.

Nos Estados Unidos o indicador econômico mais relevante será do da atividade industrial referente ao mês de dezembro. No entanto, o indicador ficará em segundo plano em função da tramitação do processo de impeachment contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Perspectivas para o dia

Real x Dólar

O Real deve responder positivamente ao acordo realizado entre China e Estados Unidos, ainda que haja pressões pela alta da moeda brasileira como, por exemplo, o processo de impeachment contra o presidente estadunidense. De modo geral, a cotação da moeda brasileira estará condicionada aos indicadores econômicos e desdobramentos políticos externos nesta segunda-feira.

Real x Euro

na Zona do Euro, os impactos relacionados à vitória de Boris Johnson no Reino Unidos ainda são incertos e podem trazer comportamento anômalo a cotação da moeda da Zona do Euro. São muitas as dúvidas que permeiam a saída do Reino Unido da União Europeia, e esse clima de incerteza pode trazer mais volatilidade para o Euro, Libra e demais moedas envolvidas.

André Galhardo é economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário nos cursos de Ciências Econômicas. Mestre em Economia Política pela PUC-SP, possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, com passagens pelo setor público.

Assuntos relacionados