Dólar ainda é impactado pela incerteza quanto ao acordo comercial

entenda como o dólar se comportou na semana

Acordo comercial entre China e Estados Unidos ainda é uma incerteza, o que deixa o mercado em alerta. Além disso, processo de impeachment do presidente Trump também causa impactos na cotação do dólar.

Nos EUA, além do processo de impeachment de Donald Trump, o ponto alto desta semana ficou para o discurso do presidente na Base de Andrews, antes de uma visita ao Alabama. Trump salientou que as negociações com a China estavam indo bem, mas que os EUA só fechariam um acordo se fosse o “certo”.

Isso trouxe preocupação para o mercado, uma vez que ampliou as incertezas em torno do conflito sino-americano que, até pouco tempo, estava caminhando para um acordo. De todo modo, tais incertezas foram marginais perto das dificuldades na AL.

Os conflitos políticos que assolam os países latino americanos são reflexo da insatisfação da sociedade com as dificuldades socioeconômicos enfrentadas nos últimos anos. Isso é evidente na Argentina, Chile e Peru, por exemplo.

Não bastasse essa problemática que ronda o Brasil, o presidente Jair Bolsonaro também trouxe alguma insegurança ao ambiente interno com a mudança de partido. Bolsonaro decidiu oficialmente sair do Partido Social Liberal (PSL) e iniciar o partido “Aliança pelo Brasil”.

O movimento divide analistas políticos, mas parece consenso que essa transição pode ampliar instabilidades políticas em um momento importante para o governo, com diversos projetos de lei transitando pelo Congresso.

Nesse contexto, o dólar saiu de R$ 4,1518 na segunda-feira (11) e abriu o pregão desta quinta-feira (14), véspera de feriado, negociada na casa dos R$ 4,1698. Após a forte depreciação do Real na semana anterior, a moeda brasileira persistiu no movimento e acumula depreciação de aproximadamente 0,45%.

Leia também as análises de câmbio para o Euro e para a Libra Esterlina.

André Galhardo é economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário nos cursos de Ciências Econômicas. Mestre em Economia Política pela PUC-SP, possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, com passagens pelo setor público.