Dólar: alívio na guerra comercial

tendências para o dólar

O Dólar comercial abriu a semana cotado a R$ 4,1444 e fechou o pregão de segunda-feira (2) cotado a R$ 4,1871 – uma depreciação do Real de pouco mais de 1%.As intervenções do Banco Central no câmbio  parecem ter surtido efeito, uma vez que o Real foi se fortalecendo na semana. 

É difícil dizer com toda certeza se as ações do Bacen foram assertivas, pois a Guerra Comercial trouxe algum alívio ao mercado nesta semana e, portanto, menos pressão ao Real e outras moedas emergentes.

Atente-se a expressão “algum alívio”, pois, no final das contas, a Guerra Comercial permanece ativa. Exemplo disso é a declaração de Donald Trump na quinta (5), sobre a situação da Huawei.

Para o presidente estadunidense, o embargo aos produtos chineses produzidos pela gigante tecnológica Huawei é questão de segurança nacional. 

A alegação de Trump é de que a empresa chinesa utiliza seus produtos para espionar os EUA e captar inadvertidamente dados da população americana.

Enquanto essa incerteza se prolonga, a moeda americana saiu de R$ 4,1444 na segunda-feira e abriu o pregão de sexta-feira (6) negociada na casa dos R$ 4,0955. O Real acumula uma apreciação de -1,18%.

Veja também o cenário do euro e da libra esterlina.

André Galhardo é economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário nos cursos de Ciências Econômicas. Mestre em Economia Política pela PUC-SP, possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, com passagens pelo setor público.