O risco de novas paralisações globais

por André Galhardo
3 minutos de leitura

Visão Geral

O dólar comercial fechou a segunda-feira (19) com variação de +2,7%, a R$5,2526, após ter começado o dia cotado a R$5,1185. O Euro fechou o pregão a R$6,1962, e apresentou variação de +2,6% após ter iniciado o dia em R$6,0403.

A moeda americana iniciou esta terça-feira (20) cotada a R$5,2526 e o Euro abriu o dia cotado a R$6,1936.

Agenda de hoje

Exterior

Alemanha – Índice de preços ao produtor (jun)

Zona do Euro – Balanço de pagamentos (mai)

EUA – Licenças de construção de novas casas (jun)

Rússia – Vendas no varejo (jun)

Rússia – Taxa de desemprego (jun)

Japão – Balança comercial (jun)

Brasil

IGP-M – FGV (2º prévia – jul)

Perspectiva para o dia

Real x Dólar:

Em novo dia de agenda fraca, o mercado deve continuar respondendo ao aumento do número de casos de Covid-19 no Reino Unido e nos Estados Unidos.

O número de novos casos diários nos Estados Unidos alcançou o maior patamar desde o final de abril, quase 56 mil. Enquanto isso, estudos laboratoriais indicam que apesar da eficácia, as vacinas parecem ter menor capacidade de imunização em relação à variante Delta.

A tendência diária é de desvalorização do real, que pode ser revertida em função de alguma correção, uma vez que a desvalorização desta segunda (19) foi a maior desde o início do mês de março.

Real x Euro:

O número de novos casos diários no Reino Unido continuam rondando a casa dos 40 mil. Enquanto isso, Alemanha, França, Itália e Espanha, as quatro maiores economias da Zona do Euro, também estão reportando aumento dos casos diários. Sendo que entre os quatro, o caso mais agudo de novas infecções é o espanhol.

A tendência diária é de desvalorização da moeda brasileira.

Assuntos relacionados