6 dicas de planejamento financeiro para freelancers e pequenas empresas

por Fabiana Lima
3 minutos de leitura
6-dicas-de-planejamento-financeiro-para-freelancers-e-pequenas-empresas

O planejamento financeiro para freelancers e pequenas empresas é . Esses dois perfis podem ter dificuldade em se organizar, misturando as contas de pessoa física com pessoa jurídica e outras situações que podem prejudicar o negócio.

Se você quer organizar as finanças do seu negócio e ter uma contabilidade mais equilibrada, continue lendo este artigo. Vamos apresentar 6 dicas que vão te ajudar a ter um planejamento financeiro mais organizado e saudável. Confira!

Planejamento financeiro para freelancers e pequenas empresas: 6 dicas para organizar o seu negócio

1. Faça uma análise das suas contas

Liste todas as suas contas recorrentes, contas fixas, contas variáveis etc. Em seguida, levante todos os seus ganhos dos últimos seis meses. Com base nessas informações, faça uma média dos ganhos e gastos desse período, assim você vai saber quanto gasta e quanto precisa ganhar para pagar esses custos.  

Lembre-se de adicionar em sua lista os custos com impostos e despesas extras que podem surgir ao longo do período.

2. Mantenha o pagamento dos impostos em dia

Todo empreendedor precisa manter suas contribuições em dia, declarar sua renda e pagar os impostos que vão proporcionar acesso aos seus direitos de trabalhador. Todos os trabalhadores têm direito a aposentadoria, licença maternidade, auxílio-doença etc.

O não pagamento desses tributos impedem que o profissional tenha acesso aos seus direitos e podem causar punições para o profissional.

3. Cuide do seu fluxo de caixa

Quem trabalha como freelancer ou tem uma pequena empresa pode ficar alguns meses sem ter nenhum rendimento. Em outros, porém, a renda pode ser bem maior do que a esperada. É preciso ter muito cuidado com esse tipo de situação, que pode consumir todas as reservas da empresa. 

Por isso, prepare-se para os períodos de baixo rendimento. Comece a fazer uma reserva e tenha uma planilha de controle de ganhos e gastos. Isso vai te ajudar a ter um fluxo de caixa para se programar, organizar seus investimentos e adiantar pagamentos.

4. Construa uma carteira de clientes fixos

Você pode criar produtos e serviços de uso recorrente, aproveitando as demandas do mercado e os interesses dos clientes. Uma forma de estimular o cliente a continuar comprando com você ou se manter em sua carteira é oferecer benefícios, como descontos, entregar mais do que foi contratado etc.

Pense em formas de encantar seu cliente e fazer com que ele queira manter o relacionamento com você.

5. Atente-se para a precificação do seu trabalho

A precificação pode ajudar o negócio a crescer ou prejudicar os seus ganhos. Faça uma pesquisa de mercado, analise seus concorrentes, pontue suas vantagens e desvantagens em comparação com outros profissionais.

Além disso, defina um valor que você considera justo para receber. Em seguida, levante todas essas informações para chegar em um valor que pague o valor do seu trabalho e permita que você consiga fazer uma reserva de caixa.

6. Tenha uma reserva de emergência profissional

Além de ter uma reserva de emergência pessoal, faça uma reserva para o seu negócio. O ideal é ter o suficiente para manter a empresa por três ou seis meses. Com essa reserva, você consegue evitar dívidas e se manter em momentos de baixa nas vendas. 

Se conseguir construir uma reserva maior do que seis meses, use a diferença para fazer investimentos. Quer saber como investir no seu negócio? Confira as nossas dicas!

Assuntos relacionados