A palavra Hedge pode ser traduzida como proteção. Como o significado indica, trata-se de uma operação do mercado financeiro com o objetivo de proteger investimentos. Em outras palavras, a ideia é diminuir ao máximo a perda de dinheiro com as variações do dólar em importações, exportações, investimentos no exterior e negociações na bolsa de valores, apenas para citar alguns exemplos.

Como funciona na prática

Para evitar o impacto da variação do dólar nas operações, a prática mais comum são negociações com base no mercado futuro. Complicou? Vamos por partes.

O mercado futuro, como o nome já diz, é aquele que faz uma estimativa de como estará a cotação do dólar nos próximos meses. As negociações levam esse valor em conta para estimar o valor de uma venda, compra ou rendimento de uma operação a longo prazo.

Veja um exemplo:
Uma empresa exportadora fabricante de aviões recebe um pedido para construir um jato no valor US$ 10 milhões, mas o pagamento só vai acontecer daqui a seis meses. Para saber qual será o lucro real dessa venda em reais, é preciso considerar a variação cambial nesse período.

Se o dólar chegar a custar R$ 3,40, a empresa pode garantir o faturamento de R$ 34 milhões. Mas se o dólar estiver em R$3,00 perderá R$ 4 milhões e a receita passar a ser de R$30 milhões.

Para evitar o risco, a empresa faz um planejamento de Hedge. Como? Ela busca no mercado financeiro interessados em pagar até R$ 3,30 na moeda nos próximos seis meses. Assim ela garante o preço de venda da fabricação do avião, evitando perda de dinheiro e o impacto negativo nos negócios.

Como é feita a negociação no mercado futuro

Para que a proteção cambial seja possível foram criadas práticas, chamadas de instrumentos, no mercado financeiro. Cada Instrumento segue suas próprias diretrizes e, no geral, é bem complexo. Para saber um pouco mais sobre cada um deles, acesse o Guia da Remessa Online.

+ CONTEÚDOS RELACIONADOS