Relativa tranquilidade pode favorecer o Real

Mercado na expectativa da ata da reunião do Copom que reduziu os juros. Crédito da foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

As atenções no Brasil estão voltadas para a ata da reunião do Copom da semana passada, que reduziu os juros. O cenário de maior tranquilidade favorece o valor do Real.

O Dólar americano fechou esta segunda-feira a R$ 4,0123 após ter aberto o dia cotado a R$ 3,9894, enquanto que o Euro, após ter aberto a semana cotado a R$ 4,4546, fechou o dia em R$ 4,4651, mesma cotação de abertura desta terça-feira. O Dólar americano abriu o segundo dia da semana cotado a R$ 4,0126.

Agenda de hoje

No Brasil as atenções estão por conta da divulgação da ata do Copom. Apesar da expectativa em torno do documento, na semana passada o Banco Central já havia deixado claro a intenção de novo corte nos juros de mais 0,5% na próxima reunião, que ocorrerá no começo do mês de dezembro. Além da ata do Copom, também serão aguardadas a evolução dos preços ao produtor brasileiro e o PMI composto da Zona do Euro referente ao mês de outubro.

No exterior o mercado estará atento às falas de membros locais do Federal Reserve (FED), e indicadores referentes à balança comercial dos Estados Unidos. Desde que a guerra comercial ganhou corpo este tem sido um importante indicativo da real situação envolvendo China e Estados Unidos.

Perspectivas para o dia

Real x Dólar

O Dólar americano deve retomar a trajetória de queda, interrompida nesta segunda-feira, em relação ao Real brasileiro. A ata do Banco central deixou mais clara a intenção da autoridade monetária brasileira e a expectativa em torno das novas reformas permanecem exercendo pressão pela valorização do Real. As falas dos membros do FED de Dallas e de Minneapolis podem trazer novos subsídios para a tomada de decisão dos investidores internacionais e isso implica dizer que podem vir mais elemento que reforçam o valor do Real nos próximos dias.

Real x Euro

na Europa, uma relativa tranquilidade pode trazer apreciação do Real frente ao Euro. A despeito de mais dados sobre a queda do nível de atividade industrial do bloco e da pressão por terminar o processo do Brexit no dia 31 de janeiro, mesmo que não haja acordo, há uma certa estabilidade econômica para esta semana.

André Galhardo é economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário nos cursos de Ciências Econômicas. Mestre em Economia Política pela PUC-SP, possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, com passagens pelo setor público.