Entenda a diferença entre dólar comercial e turismo

Para cada tipo de operação o dólar recebe uma nomenclatura: comercial, turismo ou paralelo. Entenda as diferenças entre dólar comercial e dólar turismo. Saiba também porque o dólar paralelo é ilegal.

Entenda as diferenças entre dólar comercial, turismo e paralelo

A moeda americana é considerada a mais utilizada para movimentações financeiras internacionais, com isso, a negociação é regida por duas categorias: o dólar comercial e o turismo.

Uma grande preocupação de quem pretende viajar ou realizar operações internacionais que envolvem o dólar, é justamente saber o que significa cada categoria e qual utilizar para comprar ou transferir, de acordo com o objetivo.

Pensando nisso, confira neste post a diferença entre o dólar comercial e o turismo, como funciona a cotação e onde comprar para entender tudo e acertar na hora que realizar transações internacionais.

O que significa cada nomenclatura do dólar?

O dólar estadunidense é uma referência monetária global, ou seja, é aceita na grande maioria dos países do mundo para câmbio e até no comércio. Também é muito usada em movimentações internacionais.

É fundamental estar familiarizado com essa moeda, que você como percebeu, é a mais utilizada no mundo, e entender o valor de cada categoria para poder programar viagens e negócios com mais segurança e tranquilidade.

Na hora de fazer uma transferência internacional, comprar moedas estrangeiras ou realizar negociações internacionais, a cotação do dólar é um fator determinante. Entenda cada uma das cotações:

Dólar Comercial

O valor do dólar comercial é usado para definir as taxas do mercado. A moeda é utilizada no pagamento ou recebimento de recursos das importações e exportações de bens e serviços do Brasil com o mundo.

Quando o mercado encerra suas atividades diárias, a taxa de câmbio média de todas as operações realizadas é definida e se chama Ptax. Quem fixa a Ptax é o Banco Central.

O dólar comercial tem cotação variável e pode mudar de valor diversas vezes por dia, por ter a taxa de conversão baseada na oferta e procura da moeda no mercado internacional. Há interferência do banco central para manter a estabilidade e determinar um valor que seja viável para a balança comercial brasileira.

Dólar Turismo

Já o dólar turismo é a moeda física, negociada nas casas de câmbio e correspondentes cambiais. O dólar turismo é mais caro do que o comercial, pois incorpora alguns custos, como impostos, importação do papel-moeda, custos administrativos, logística, entre outros.

Também é a cotação usada para transações em débito e crédito no exterior, emissão de passagens aéreas. Serviços muito comuns para pessoas que costumam viajar ao exterior.

Para transferências internacionais, o câmbio varia entre as naturezas de pessoa física e as naturezas de pessoa jurídica. O valor do câmbio divulgado nos sites, imprensa e nas casas de câmbio é referente ao dólar turismo.

Dólar Paralelo

O dólar paralelo é vendido no mercado informal, não supervisionado pelo Banco Central. Ele é comercializado por doleiros, casas de câmbio não-autorizadas pelo Banco Central e outros meios não regularizados. Por esse motivo, é considerado ilegal.

O dólar paralelo surgiu no Brasil na década de 90. Era uma maneira de tentar se proteger contra a oscilação da economia e as medidas tomadas pelo governo da época (principalmente o bloqueio da poupança).

Hoje em dia, com a economia mais estabilizada, não há porquê comercializar dólar de maneira paralela. Qualquer iniciativa nesse sentido é ilegal. Portanto, é aconselhável não adquirir a moeda nessas condições.

O dólar comercial é aquele usado em transações comerciais. Já o dólar turismo pode ser adquirido em espécie e tem funções relacionadas ao turismo.
O dólar comercial é aquele usado em transações comerciais. Já o dólar turismo pode ser adquirido em espécie e tem funções relacionadas ao turismo.

Qual é a diferença entre dólar turismo e comercial?

O mercado cambial é de extrema importância para a economia de um país, por isso, acompanhar o valor do dólar e a movimentação dele é relevante para regular o comércio entre os países. Devido a isso a cotação é observada em tempo real.

As principais diferenças entre o dólar comercial e o turismo é que a categoria comercial só pode ser comercializada por instituições financeiras e empresas e tem o valor mais barato em relação ao turismo.

Essa diferença no valor é devido ao volume de transações, como empresas e instituições financeiras movimentam quantias significativas acaba que o valor da moeda fica menor.

Já a categoria turismo pode ser livremente comprado e movimentado por pessoa física, um exemplo é quando há necessidade de adquirir dólar em espécie para uma viagem. Como é comercializado em menores quantidades o preço costuma ser mais caro. E ainda existe incidência de impostos nas operações nessa categoria.

A cotação do dólar comercial e do turismo podem sofrer variações ao longo do dia, tudo depende do volume negociado a cada transação. E a famosa lei da oferta e procura.

Como funciona a cotação do dólar turismo?

O dólar turismo tem fatores determinantes que influenciam diretamente no seu valor, como taxas de juros, oferta e procura e a movimentação da moeda por turistas no exterior.

Esses custos adicionados no valor do dólar turismo são cruciais para justificar a diferença na cotação em relação ao comercial. Em outras palavras, a diferença é para cobrir custos para ter a moeda disponível em espécie no mercado.

As casas de câmbio de todo o mundo, que comercializam o dólar para o consumidor, adquiriram a moeda para revenderem o que agregar mais valor que é necessário para cobrir custos do processo, que são:

  1. taxas relacionadas a movimentação da moeda;
  2. custos de movimentação e logística do dinheiro em espécie;
  3. margem de lucro.

É importante ressaltar que sobre as movimentações financeiras internacionais é aplicado o IOF – Imposto sobre Operações Financeiras, logo é preciso ficar atento ao VET – Valor efetivo Total, para realizar transações relacionadas com o dólar.  O IOF aplicado nas transações são:

  1. em espécie: 1,1%;
  2. cartão de crédito: 6,38%;
  3. cartão de débito: 6,38%;
  4. transferências internacionais por meio da plataforma digital: 0,38%.

Como funciona a cotação do dólar comercial?

Utilizado em transações comerciais, como compra, venda, exportações, importações e investimentos, realizadas por empresas e instituições financeiras é uma categoria de movimentações significativas, que influenciam diretamente na cotação.

O valor da cotação do dólar turismo oscila durante o dia e depende do cenário do mercado exterior e do brasileiro. O principal fator que faz o valor alterar é a demanda pela moeda, ou seja, quanto maiores as transações, menor fica a cotação.

O dólar paralelo representa negociações ilegais de moeda e não é uma prática legalmente aceita.
O dólar paralelo representa negociações ilegais de moeda e não é uma prática legalmente aceita.

Como e onde comprar?

Independente do objetivo da pessoa, se para negócios ou turismo, uma grande preocupação é como e onde comprar o dólar por um meio econômico e ter um planejamento financeiro mais eficaz.

Dólar comercial

O dólar comercial é destinado a operações de empresas e bancos, logo, não é possível pessoa física comprar a moeda em espécie com o valor de câmbio comercial. Por ser um valor de cotação mais barato e sem a aplicação de muitas taxas e custos adicionais.

Através da Remessa Online, você pode enviar dinheiro ao exterior tendo como base o câmbio comercial, o que deixa a operação mais barata. Além disso, na plataforma – que é credenciada pelo Banco Central – opera com o custo de serviço de 1,3%, muito mais baixo do que o praticado pelo mercado.

Dólar turismo 

Existem muitas possibilidades no mercado financeiro para comprar o dólar turismo, por esse motivo é preciso ter atenção a variação de custos aplicados em cada forma de comercialização da moeda. Os meios disponíveis para movimentar a moeda são:

  1. cartão de crédito e débito (saques);
  2. carregamento de cartão pré-pago de viagem;
  3. transferência internacional com bancos;
  4. em espécie;
  5. transferência internacional Remessa Online.

É possível comprar dólar turismo em espécie nos seguintes estabelecimentos:

  1. casas de câmbio;
  2. bancos;
  3. BeeCâmbio.

A BeeCâmbio é um produto da Beetech (assim como a Remessa Online). Por meio da plataforma, você pode comprar moeda em espécie e receber os valores no conforto da sua casa. Faça o cadastro e aproveite!

É essencial salientar que cada forma de movimentar e comprar a moeda em espécie tem custos, taxas e impostos como o IOF, por esse motivo, é fundamental procurar meios mais econômicos para adquirir o dólar.

A melhor opção para ter a moeda a um custo baixo é a plataforma de transferência digital Remessa Online, que oferece as melhores condições do mercado, além de agilidade, segurança e praticidade.

Agora que você está bem informado sobre as diferenças entre dólar comercial e turismo, leia o artigo sobre as perspectivas de menos volatilidade do dólar em 2020 e confira mais informações importantíssimas!

Resumindo:

Qual a diferença do dólar turismo e comercial?

As principais diferenças entre o dólar comercial e o turismo é que a categoria comercial só pode ser comercializada por bancos e empresas e tem o valor mais barato em relação ao turismo, devido a grande movimentação. Por ter operações menores e incidência de taxas administrativas e impostos a categoria turismo é mais cara.

Como e onde comprar o dólar americano?

É possível comprar dólar turismo em espécie nos seguintes estabelecimentos:
1) casas de câmbio;
2) bancos
3) BeeCâmbio.

Qual o jeito mais prático de comprar dólar em espécie?

A BeeCâmbio oferece a facilidade de comprar moeda física e receber em casa. Basta se cadastrar na plataforma, realizar a compra, fazer uma transferência TED e aguardar o dinheiro chegar em casa. Simples assim.

Como fazer transações em dólar?

A movimentação internacional do dólar pode ser efetuada por meio das seguintes formas:
1) cartão de crédito e débito (saques);
2) carregamento de cartão pré-pago de viagem;
3) transferência internacional com bancos;
em espécie;
4) transferência internacional Remessa Online.

Qual o meio mais barato de enviar dinheiro ao exterior?

A Remessa Online é o meio mais barato. Além de usar o câmbio comercial, a plataforma ainda tem o menor custo de serviço do mercado: apenas 1,3%.