Entenda a diferença entre dólar comercial e turismo

dólar comercial e turismo

Para cada tipo de operação o dólar recebe uma nomenclatura: comercial, turismo ou paralelo. Entenda as diferenças entre dólar comercial e dólar turismo. Saiba também porque o dólar paralelo é ilegal.

Na hora de fazer uma transferência internacional, comprar moedas estrangeiras ou realizar negociações internacionais, a cotação do dólar é um fator determinante. Entenda cada uma da cotações:

Dólar Comercial

O valor do dólar comercial é usado para definir as taxas do mercado. A moeda é utilizada no pagamento ou recebimento de recursos das importações e exportações de bens e serviços do Brasil com o mundo.

Quando o mercado encerra suas atividades diárias, a taxa de câmbio média de todas as operações realizadas é definida e se chama Ptax. Quem fixa a Ptax é o Banco Central.

Dólar Turismo

Já o dólar turismo é a moeda física, negociada nas casas de câmbio e correspondentes cambiais. O dólar turismo é mais caro do que o comercial, pois incorpora alguns custos, como impostos, importação do papel-moeda, custos administrativos, logística, entre outros.

Para transferências internacionais, o câmbio varia entre as naturezas de pessoa física e as naturezas de pessoa jurídica. O valor do câmbio divulgado nos sites, imprensa e nas casas de câmbio é referente ao dólar turismo.

Dólar Paralelo

O dólar paralelo é vendido no mercado informal, não supervisionado pelo Banco Central. Ele é comercializado por doleiros, casas de câmbio não-autorizadas pelo Banco Central e outros meios não regularizados. Por esse motivo, é considerado ilegal.

O dólar paralelo surgiu no Brasil na década de 90. Era uma maneira de tentar se proteger contra a oscilação da economia e as medidas tomadas pelo governo da época (principalmente o bloqueio da poupança).

Hoje em dia, com a economia mais estabilizada, não há porquê comercializar dólar de maneira paralela. Qualquer iniciativa nesse sentido é ilegal.