MEI: como aumentar a sua lucratividade e economizar nas transferências internacionais

Você trabalha ou pretende trabalhar como MEI? Então, saiba como ganhar mais dinheiro e reduzir custos nas remessas internacionais.

MEI

Prestar serviços e vender produtos para o exterior como MEI (Micro Empreendedor Individual) é uma alternativa interessante para expandir o seu negócio. Mas para ter lucro, é importante analisar os custos das transações internacionais com atenção e buscar opções mais econômicas.

Se você também têm dúvidas, acompanhe nosso artigo e descubra quais são os impostos e taxas cobradas em transferências para outros países. Também veja um comparativo entre os preços aplicados em diferentes provedores disponíveis no mercado.

O que é MEI?

MEI é a sigla para Micro Empreendedor Individual. Criado em 2009, o MEI permite que uma pessoa física abra uma empresa legalmente em diversas atividades econômicas. Para ser MEI, é preciso ter uma empresa com faturamento anual de até R$81 mil e contratar até um funcionário.

O MEI é optante do Simples Nacional e isenta de impostos como IPI, PIS, COFINS e IRPJ. Contudo, ela paga um imposto fixo mensal de R$45, caso seja comércio ou indústria, R$49 para prestadores de serviços e R$50 para comércio e serviços.

A formalização do seu negócio oferece vantagens como benefícios previdenciários, emissão de nota fiscal, apoio do SEBRAE e impostos baratos. Além disso, para abrir um MEI, basta acessar o site do Portal do Empreendedor e fazer o cadastro gratuito. Isso, sem ser preciso contratar um contador.

Confira as taxas cobradas em transferências internacionais
Confira as taxas cobradas em transferências internacionais.

Taxas cobradas em transferências internacionais

E as vantagens vão além. Quem trabalha como MEI também pode vender produtos e prestar serviços para clientes fora do Brasil. Contudo, é importante ficar atento já que, para receber dinheiro do exterior, serão cobradas tarifas específicas referente às transferências internacionais.

Por isso, ao analisar o provedor para receber as suas remessas internacionais, o empreendedor deve analisar com atenção às principais taxas:

  • IOF: imposto federal que incide em operações financeiras com alíquota de 0,38% para transferências em contas de terceiros e 1,1% de titularidade própria;
  • Taxa de envio: taxa cobrada pelas instituições para custear as despesas do envio da remessa;
  • Taxa de câmbio: tarifa cobrada para converter moedas estrangeiras;
  • Tarifa de recebimento: alguns bancos cobram uma taxa para receber dinheiro do exterior;
  • Tarifa Swift: transferências bancárias são feitas por mensagem SWIFT e os bancos cobram uma taxa extra por isso.

Bancos tradicionais e suas cobranças

Os bancos tradicionais são uma alternativa popular para enviar e receber dinheiro do exterior. O motivo é simples: eles concentram a conta bancária dos clientes e isso traz a impressão de que o serviço é mais prático e econômico. Contudo, isso nem sempre acontece.

As transferências bancárias internacionais incluem tarifas altas que encarecem o valor das remessas. O câmbio usado na conversão da moeda é o comercial, mas os bancos incluem uma taxa extra sobre o valor da cotação. Além disso, o valor da transferência também inclui taxas de envio e SWIFT definidas pelo próprio banco.

Por isso, antes de realizar uma remessa internacional de dinheiro, lembre-se de comparar as tarifas cobradas pelo seu banco com outros provedores para encontrar a alternativa mais econômica.

Remessa Online com taxas justas

Enviar transferências internacionais pela Remessa Online é muito mais econômica do que os bancos porque são aplicadas taxas mais baratas na transação. Por isso, é uma alternativa para o MEI aumentar sua lucratividade. Além disso, a plataforma usa o câmbio comercial, sem margem de lucro, na conversão da moeda.

Ainda, cobra-se uma taxa de envio fixa de 1,3% no valor das transferências. A tarifa bancária é de apenas R$5,90 para envios de até R$2.500, ou valor equivalente em outra moeda e para valores superiores a esse, a tarifa é gratuita.

Além de ser uma opção econômica, os envios pela Remessa Online são transparentes. Isso porque, desde o início da operação, o cliente conhece o valor que pagará no final, assim como quanto o beneficiário irá receber.

Comparativo entre diferentes provedores

Confira a seguir os preços cobrados no envio de dinheiro para o exterior pela Remessa Online e outros provedores do mercado:

ProvedorValor enviadoTarifas cobradasBeneficiário recebe
Remessa OnlineR$ 1.000Câmbio comercial + 1,3% + R$5,90 + IOF (0,38%)155.90 EUR
TransferWiseR$ 1.000Câmbio comercial + R$27.03 (com IOF)155.34 EUR
Western UnionR$ 1.000Câmbio com lucro + R$30 + IOF152.61 EUR

Remessa Online para suas transações internacionais como MEI

Para enviar e receber dinheiro do exterior como MEI, é importante fazer transações internacionais de forma rápida, prática e econômica. Nesse momento, a Remessa Online é uma ótima opção.

As transferências realizadas pela plataforma brasileira são vantajosas porque são cobradas taxas mais econômicas em comparação aos bancos tradicionais. Além disso, o dinheiro é enviado em até 2 dias úteis para diferentes países. Também é segura porque as transações são criptografadas e regulamentadas pelo Banco Central do Brasil (BACEN).

Para enviar sua transferência, basta fazer o cadastro gratuito na Remessa Online e informar os dados do beneficiário. E para conhecer novas formas de enviar dinheiro, continue acompanhando o blog da Remessa Online.