Conheça as 5 das principais métricas para startups

por Remessa Online
3 minutos de leitura
Métricas para startups: homem segurando caderno escrito "startup"

A definição de métricas para startups é vital para acompanhar o desempenho e desenvolver estratégias para melhorar os resultados. Independentemente do segmento do negócio, são elas que apontam se a gestão está indo bem ou não.

Em um modelo de negócio moderno e inovador como as startups, métricas bem aplicadas ajudam a demonstrar a escalabilidade da ideia. Dessa forma, além de facilitar a obter investimentos, contribui para ter maior competitividade.

Toda empresa que deseja começar bem e alcançar uma trajetória de sucesso, deve considerar estratégias para melhorar a gestão e elevar o desempenho. Pensando nisso, confira neste post 5 métricas para startups e saiba como acompanhar esses indicadores no seu negócio!

O conceito startup e como elas vêm crescendo no mercado

O mercado evoluiu bastante nos últimos anos, favorecendo o desenvolvimento de modelos de negócio cada vez mais modernos e inovadores, que revolucionaram a forma de gerar lucratividade, lidar com os clientes e funcionários.

A exemplo disso, as startups que são modalidades de negócio que desenvolvem produtos inovadores e com grande potencial para um crescimento significativo e rápido. Para tanto, esses negócios utilizam a tecnologia e a conectividade como elementos principais.

As características mais comuns nas startups são:

  1. Escalabilidade;
  2. Inovação;
  3. Flexibilidade.

Elas podem atuar em diversos segmentos da economia, como bem-estar, saúde, agronegócio, tecnologia, finanças, educação e outros, que geralmente contam com investidores que injetam capital e experiência, por concluir que a ideia da empresa é promissora.

Em outras palavras, as startups são empresas modernas que criam ideais e soluções inovadoras utilizando recursos digitais e tecnológicos. É um tipo de negócio que está ganhando espaço no cenário das empresas e fintechs.

Qual a importância das métricas para empresas

As métricas podem ser definidas como um conjunto de valores reais e mensuráveis, que são caracterizados em forma de indicadores e índices. Elas permitem que gestores e diretores avaliem e acompanhem o desempenho das ações e o comportamento do negócio.

Nesse contexto, as métricas são indispensáveis para todo modelo de negócio, especialmente para as startups, pois elas contribuem para que as decisões sejam pautadas em fatos e indicadores realistas.

Quando bem compreendidas e interpretadas, as métricas têm a capacidade de orientar mudanças bem-sucedidas, que agregam valor para impulsionar os resultados.

Ou seja, contar com boas métricas pode determinar se a ideia da startup é de fato promissora, se é escalável e quais processos devem ser focados para melhorar a performance.

Como definir métricas

As métricas são ferramentas que ajudam a avaliar o desempenho dos processos, por isso, defini-las é uma atividade que deve ser executada considerando os fatores internos do negócio, resultados, os objetivos e a relação com os clientes.

Os passos básicos para definir as métricas são:

  1. Identificar os objetivos do negócio;
  2. Conectar seus objetivos com a realidade
  3. Criar metas para avaliar o desempenho;
  4. Elaborar relatórios personalizados.

Por outro lado, é preciso avaliar a rentabilidade e a aceitação da ideia pelo público-alvo, partes essenciais para um bom plano de negócios. Com essas informações é possível definir os indicadores da empresa, analisando o reconhecimento e engajamento com a marca.

5 principais métricas para startups

Existem diversos indicadores que avaliam muitos resultados em uma startup, por esse motivo, é fundamental saber quais são os mais importantes e quais têm maior capacidade de reunir informações relevantes para ajudar a atingir os objetivos.

Para ter orientações precisas para definir suas métricas, veja ótimos exemplos abaixo:

1. Custo de aquisição de clientes

Uma das métricas mais relevantes para a startup é o custo de aquisição de clientes, principalmente se o foco está no consumidor. É calculado com base nos custos de marketing dividido pelos clientes conquistados em um determinado período.

Quanto maior a redução do custo de aquisição de clientes melhor será a escalabilidade da startup, e isso não significa reduzir os investimentos em divulgações e ações de marketing, mas demonstra que a marca já está se consolidando no mercado.

2. Lifetime Value

O Lifetime Value, termo em inglês que significa valor do tempo de vida de um cliente, tem o objetivo de medir o faturamento de um cliente proporcionado ao negócio após ser conquistado e fidelizado no mercado.

Para entender essa métrica, é preciso avaliar quanto tempo um cliente permanece usando os serviços e produtos da startup e multiplicar pelo valor das compras. O resultado, combinado com outras métricas, pode ajudar a compor um planejamento financeiro inteligente e constatar se a ideia está dando certo ou precisa ser melhorada.

3. Receita recorrente mensal

A receita recorrente mensal corresponde ao valor que a empresa fatura com os clientes fidelizados, ou seja, clientes fixos. Para calcular, basta levantar o valor gerado com esses clientes sem o custo das taxas, adesões ou descontos.

Essa métrica é mais indicada para empresas que trabalham com planos periódicos, mensais, assinaturas ou com a comercialização de softwares. Essa é outra métrica essencial para o planejamento financeiro da startup, pois ao saber o volume da receita recorrente é possível prever futuros faturamentos.

4. Rentabilidade

Relação básica entre o investimento e o retorno financeiro, a rentabilidade é uma métrica relevante e demonstra se o negócio está realmente dando lucros. Para fazer o cálculo, basta dividir o lucro pelo valor investido inicialmente.  

A rentabilidade é diferente da lucratividade, se calcula pelo lucro menos os custos obtidos em um determinado período. Por isso, é essencial ter atenção e fazer um cálculo preciso para um diagnóstico eficiente da situação financeira da startup.

5. Índice de cancelamento

O índice de cancelamento oferece informações relevantes para as estratégias do negócio, pois não basta apenas investir em conquistar novos clientes se não fidelizar os que você já tem, até porque a empresa tem mais chances de fazer negócios com os clientes que já conhecem os serviços.

Essa métrica avalia o número de clientes que deixaram a sua empresa em um período, para você saber se é um processo normal ou se exige alguma ação específica para reter os clientes. Para calcular, divida o número de clientes que cancelaram ou saíram e pelos ativos.

Transações internacionais Remessa Online

Toda startup que deseja crescer e alcançar o mercado internacional deve contar com serviços financeiros inovadores, modernos e econômicos. É uma forma de economizar para transferir ou receber dinheiro do exterior.

Para tanto, a Remessa Online é a melhor alternativa no mercado, oferecendo uma taxa baixa, a partir de 1,3%, e um processo moderno totalmente online. Além da comodidade, as operações são credenciadas pelo Banco Central do Brasil e são 100% seguras.

Basta fazer um cadastro na plataforma digital que em poucos minutos tudo estará pronto para fazer operações financeiras internacionais com o menor custo do país. Tudo com transparência e livre de burocracias.

Como você percebeu no contexto desse artigo, as métricas para startups são importantíssimas para promover um crescimento sólido do negócio. São ferramentas de gestão que auxiliam a tomar decisões corretas, levando o negócio a um caminho de sucesso.

Curtiu o post sobre métricas para startups e quer continuar se informando por meio de conteúdos relevantes? Não perca tempo, leia agora mesmo sobre ecossistemas de startups e entenda como esses ambientes ajudam os negócios a crescerem!

Resumindo

Quais as principais métricas para startups?

Custo de aquisição de clientes
Lifetime Value
Receita recorrente mensal
Rentabilidade
Índice de cancelamento

Assuntos relacionados