As principais diferenças culturais entre Brasil e Estados Unidos

Conheça as diferenças culturais entre Brasil e Estados Unidos

As diferenças culturais entre Brasil e Estados Unidos são bastante evidentes e quem pretende viajar ao país norte-americano deve observar alguns aspectos importantes para ter uma experiência incrível!

Para não passar vergonha, se sentir desconfortável ou até mesmo ofender os cidadãos norte-americanos, é essencial saber o básico sobre as diferenças de costumes do país.Algo que pode ser normal ou corriqueiro para gente, nos EUA pode significar até mesmo implicações com a justiça. Certamente, você não vai querer passar por essa situação em um país estrangeiro, não é mesmo?

Pensando nisso, fizemos uma lista sobre principais diferenças culturais entre Brasil e Estados Unidos. Confira!

A importância cultural de um país

A cultura é um fator muito importante para qualquer país e, cada um tem suas particularidades e influências que precisam ser compreendidas e respeitadas pelos turistas e imigrantes — primordiais para um bom relacionamento e melhor adaptação.

Em relação ao Brasil e Estados Unidos, as diferenças são notáveis, muito fortes e vão além das questões financeiras. É fundamental para quem for viajar aos EUA, independentemente do motivo, conhecer previamente as diferenças culturais para evitar transtornos.

Cabe ressaltar, que em um país imenso como os Estados Unidos, as leis, regras e a cultura podem mudar conforme a região, cidades e estados. Sabendo disso, vale se inteirar antes de desembarcar em qualquer destino americano.

Conheça 10 diferenças culturais relevantes entre Brasil e EUA:

1. Afetividade

Os brasileiros são conhecidos por ser um povo muito caloroso e afetivo, que faz amizade facilmente com desconhecidos, pois conservam na essência o costume de puxar conversa facilmente.

Em qualquer ambiente, o brasileiro encontra oportunidade de conhecer alguém novo e conversar sobre vários assuntos — política, esporte, religião, valores pessoais — ou seja, no Brasil as relações entre as pessoas são afetuosas e receptivas, mesmo quando desconhecidas.

Nos Estados Unidos, entretanto, é bem diferente, pois os norte-americanos prezam pelo seu espaço e individualidade, por isso são mais fechados. Nem mesmo as despedidas com abraços e beijos no rosto são comuns.

Ter um comportamento apático e distante não quer dizer que o americano seja mal-educado ou indiferente. Apenas a forma de abordagem e nível de conversa no início, quando as pessoas ainda são desconhecidas, é menos intimista e caloroso.

Ao conhecer alguém, na saudação, nada de beijinhos no rosto, o mais usado é um simples aperto de mão.

2. Comida

As diferenças culturais entre Brasil e Estados Unidos são marcantes e a comida é uma das coisas que mais causam estranhamento para quem vai passar um longo período no país.

Isso porque, nos Estados Unidos fast foods e as comidas enlatadas fazem parte das refeições e exercem grande influência na culinária. O arroz pode ser difícil de ser encontrado e o feijão costuma aparecer enlatado.

A gastronomia é importante no Brasil e os brasileiros estão acostumados com comidas típicas, gostos e sabores marcantes, além do popular arroz com feijão. Pode ser que você sinta essa diferença, por isso, já saia do país preparado para uma nova experiência.

Grande parte dos ingredientes da culinária americana é proveniente de outros países, o que compromete o frescor do alimento. Devido à rotina, muitas vezes acelerada, o mais comum são os alimentos pré-preparados.

Apesar dos fast foods serem muito comuns, a gastronomia americana não se baseia somente neles — a maioria das cidades conta com um vasto cardápio gastronômico com estabelecimentos que oferecem pratos para todos os gostos e de muitas nacionalidades, inclusive a brasileira.

Em muitas cidades há lojas e restaurantes especializadas em comidas brasileiras, o que pode contribuir para diminuir o estranhamento e a saudade da comida de casa.

Considerado uma das principais refeições do dia, o café também sofre grandes alterações em comparação ao servido no Brasil. Não é uma missão fácil encontrar café nos moldes brasileiros.

É comum encontrar cafeterias que servem café expresso, na maioria das vezes, colombiano, considerado um dos melhores pelos americanos. Eles costumam beber em grande quantidade e o café é bem mais fraco, o que pode causar estranheza para quem está acostumado ao cafezinho forte de sabor marcante.

3. Identificação pelo sobrenome

Em ambientes mais formais, os norte-americanos costumam se chamar pelo sobrenome.

Pode parecer estranho, mas os americanos ainda prezam pela formalidade principalmente nas relações profissionais. Em ambientes mais formais, os norte-americanos costumam se chamar pelo sobrenome.

No Brasil isso não é comum, o que às vezes deixa as pessoas que viajam aos EUA em situação constrangedora. Nas relações com pessoas desconhecidas em ambientes educacionais ou de trabalho é fundamental manter os hábitos pertencentes ao país.

Em universidades, por exemplo, o aluno jamais deve tratar seus professores pelo primeiro nome, pois isso é visto como sinal de desrespeito — essa é uma dica valiosa para quem planeja fazer intercâmbio.

Outro exemplo clássico considerado como falta de respeito e intimidade nos Estados Unidos é chamar uma pessoa mais velha pelo primeiro nome. O tratamento correto é Mr. para homens, Mrs. para mulheres casadas e Ms. para mulheres em geral

4. Gorjeta

Ao contrário do Brasil, em que a gorjeta é vista como algo opcional, nos Estados Unidos espera-se que ela seja paga de acordo com a satisfação pelo serviço prestado. É uma forma de gratificar e motivar quem prestou o serviço.

Também é um indicador da qualidade, pois quando o serviço não agrada o cliente ele simplesmente não paga a gorjeta. É praticamente uma regra deixar gorjeta para garçons e taxistas, por exemplo.

Por isso, sempre tenha um valor a mais no bolso, pois se você não paga a gorjeta a pessoa vai entender que você ficou insatisfeito com o serviço.

5. Maioridade

Nos EUA a maioridade ocorre em fases, pois eles acreditam que o jovem vai criando senso de responsabilidade conforme envelhecem. A maioridade se divide da seguinte forma:

  • 16 anos: Pode responder criminalmente por crimes hediondos, pode ser interrogado pela polícia sem a presença de um responsável, possuem o direito de voto e a permissão para tirar carteira de motorista;
  • 18 anos: Alcance da maioridade penal, sendo responsável pelos atos civis e criminais;
  • 21 anos: Permissão para entrar em casas noturnas e para o consumo de bebidas alcoólicas.

Outro aspecto muito interessante: é natural para as famílias que os jovens saiam da casa dos pais aos 18 anos, quando vão para a faculdade, assumindo o controle e independência nas suas decisões. No Brasil isso pode acontecer bem mais tarde. 

6. Consumo de bebida alcoólica somente em estabelecimento fechado

No tópico anterior, falamos que a idade mínima para beber é 21 anos. Outro ponto importante sobre o consumo de bebidas alcoólicas é que não pode ocorrer em vias públicas, ainda que seja uma celebração ou data comemorativa.

No Brasil não há essa restrição, apenas a venda e consumo para menores de 18 anos — é muito comum as pessoas circularem em vias públicas e em quase todos os lugares portando algum tipo de bebida.

Nos Estados Unidos as bebidas alcoólicas devem ser consumidas somente no interior de estabelecimentos fechados (nem na calçada de um bar, restaurante ou pub é permitido).

Caso você seja pego infringindo a lei, pode ser detido e/ou ter que pagar multa correspondente ao delito, que pode variar dependendo do estado.

Em alguns estados as leis para consumo de álcool são mais brandas e permitem a circulação de bebidas alcoólicas em locais públicos sem ter problemas com as autoridades. Os estados que permitem são:

  1. Georgia
  2. Montana
  3. Tennessee
  4. Louisiana
  5. Missouri
  6. Texas

7. Escola pública de qualidade para todos

Se comparar as escolas públicas brasileiras com as americanas será notável as diferenças em estrutura e equipamentos, além da metodologia de ensino que é diferente da brasileira.

diferenças culturais entre Brasil e Estados Unidos: os colégios públicos norte-americanos oferecem uma ótima qualidade de ensino
Os colégios públicos norte-americanos oferecem uma ótima qualidade de ensino

Ao contrário do Brasil, os colégios públicos norte-americanos oferecem uma ótima qualidade de ensino, tendo professores qualificados e bem remunerados, além da infraestrutura que sem dúvida é muito melhor.

A seleção para a escola ocorre de acordo com o bairro que o aluno reside. Contudo, em caso de a distância entre a escola e a residência ser acima de dois quilômetros, o aluno tem direito ao transporte escolar gratuito.

Outro pronto que se diferencia do Brasil é que as escolas públicas são integrais, pois apresentam diversas atividades extracurriculares e também não possuem uniformes.

8. Pagamento de salário

As diferenças são inúmeras se tratando das condições de trabalho de cada país e das leis trabalhistas que também são muito distintas. Isso reflete muito na forma de pagamento de salário e benefícios.

No Brasil, é comum que o trabalhador receba um salário fixo mensal. Já nos Estados Unidos, a remuneração é paga de acordo com as horas trabalhadas cuja periodicidade é negociada com o empregador.

Isso quer dizer que se você não trabalhar, não recebe. O pagamento é um acordo decidido entre o empregado e o empregador e pode ser feito de forma semanal, quinzenal ou mensal.

9. Horário de festas

Assim como há regras em alguns estados para o consumo de bebidas alcoólicas, há também restrição nos horários das festas. Enquanto no Brasil as comemorações rompem a madrugada, em muitos lugares nos Estados Unidos as festas encerram logo após as 22 horas.

As famosas baladas nos Estados Unidos são bem diferentes das brasileiras, apesar dos ambientes serem semelhantes com muita música, bebidas e pessoas bem vestidas.

As baladas americanas têm horário para começar e para terminar, que são rigidamente seguidas. Independente do estado e do tipo de estabelecimento, os horários são cumpridos e quando está perto do fim, as luzes se acendem e os seguranças instruem as pessoas a irem embora — e elas vão.

10. Leis e regras

O jeitinho brasileiro às vezes consegue ajustar e sobressair às normas e regras, mas nos Estados Unidos é muito diferente. Os americanos costumam ser corretos e seguir com rigidez as normas e regras, não importa o que seja.

É muito importante que as pessoas que pretendem visitar os EUA saibam desse ponto para evitar transtornos com autoridades, implicações legais e comprometimento de todos os objetivos da viagem.

Certamente você já teve algum tipo de contato com os costumes e tradições americanos, mesmo que seja por meio de filmes e séries — é muito perceptível que existem estranhezas, tanto para brasileiros, quanto para americanos.

As diferenças culturais entre Brasil e Estados Unidos são muito relevantes e é essencial conhecê-las, por isso pesquise bastante para saber respeitar todas as regras — assim a adaptação a uma cultura totalmente diferente será muito mais fácil.

Curtiu saber as principais diferenças culturais entre Brasil e Estados Unidos? Certamente que de início alguns pontos podem lhe causar estranheza, mas logo você se adapta. Veja também quais as oportunidades de trabalho nos Estados Unidos.

Resumindo

Por que é tão importante considerar a diferença cultural entre os dois países?

A cultura é um fator muito importante para qualquer país e, cada um tem suas peculiaridades e influências que precisam ser entendidas e respeitadas pelos turistas e imigrantes.
Em relação ao Brasil e Estados Unidos, as diferenças são notáveis e vão além das questões financeiras. É fundamental que quem viaje aos EUA, independentemente do motivo, conheça antecipadamente as diferenças culturais para evitar transtornos.

Quais são os aspectos mais relevantes e diferentes entre Brasil e Estados Unidos?

Os costumes, o modo de vida e as regras em um geral formam a personalidade de cada país. Os principais fatores de diferenciação entre Brasil e EUA estão presentes em situações do dia a dia, como:
* na forma de demonstrar afetividade;
* na comida;
* no tratamento dispensado;
* na valorização dos serviços;
* nas questões legais para maioridade;
* nas regras para consumo de bebida alcoólica em locais públicos;
* na qualidade do ensino escolar;
* nos laços empregatícios e tipos de remuneração;
* nos limites de horário das festas;
* nas leis e regras.