O que são juros compostos e como usá-los a favor dos seus investimentos

por Remessa Online
3 minutos de leitura
Homem mexendo no notebook e segurando um celular.

A taxa de juros é um fator considerado em diversos tipos de negociação, já que eles podem servir para remunerar ou penalizar o descumprimento de obrigações. Contudo, existem diferentes modalidades de cobrança que podem ser utilizadas, o que torna essencial entender as diferenças entre elas.

Aqui, um dos pontos de atenção trata dos juros compostos, que contam com uma regra de cálculo específica que pode aumentar o montante da cobrança. Assim, compreender como eles funcionam é essencial para adotar os cuidados necessários nos contratos e, ainda, aproveitar as oportunidades.

Para esclarecer o assunto, preparamos este conteúdo. Continue a leitura para aprender o que são os juros compostos e como eles funcionam!

O que são os juros e como funcionam?

Primeiramente, vale a pena entender o que são, de fato, os juros. Existem dois tipos: os remuneratórios, que visam pagar por determinado serviço, como um empréstimo ou financiamento. Eles são representados por um percentual, que pode ser simples ou composto, e também chamados de compensatórios.

Ademais, eles também estão presentes em investimentos. Por exemplo, ao aplicar em títulos do Tesouro Direto, a União se compromete a pagar o valor adicionado de juros compensatórios, tendo em vista que se trata de um empréstimo feito ao governo. 

Outra possibilidade são os juros moratórios, que são aqueles decorrentes do atraso no cumprimento de obrigações financeiras. Geralmente acompanhados por uma multa, eles são uma espécie de penalidade pelo descumprimento do que foi acordado com o credor. 

Porém, quando se trata de investimentos, entender a diferença entre juros simples e compostos se torna essencial. Isso porque é possível encontrar boas oportunidades a partir disso. 

O que são juros compostos?

Para compreender melhor o conceito, antes vale entender o que são os juros simples. Nesse caso, a taxa indicada no contrato incide apenas sobre o valor inicial, mudando apenas o total da taxa aplicada conforme o prazo, se for o caso.

Por exemplo, em uma dívida de R$1.000, com juros de 1% ao mês, com 6 meses de atraso o devedor deverá quitar o valor com adicional de 6% de juros, totalizando R$1.060. Fácil de entender, não é? Isso também faz com que o valor total devido seja menor quando comparado aos juros compostos. 

Aqui, o valor da taxa é calculado sobre o valor devido no mês anterior. Seguindo o mesmo exemplo, seria necessário calcular a dívida mês a mês. Primeiro, o saldo devedor seria atualizado para R$1.010, já que adicionou 1%. Porém, no segundo mês, a atualização é feita sobre os R$1.010, aumentando a base de cálculo e, consequentemente, o total atualizado. 

Assim, ao contratar empréstimo, essa modalidade de juros pode aumentar o custo efetivo total e, se não for bem analisada, trazer grandes prejuízos no atraso de parcelas. Por outro lado, nos investimentos eles podem se tornar mais atrativos. 

Quais são os cuidados ao contratar um serviço com juros?

Antes de assinar o contrato e assumir qualquer obrigação financeira que envolva juros, avalie as cláusulas sobre os juros para entender se eles são simples ou compostos. No segundo caso, o valor devido pode sofrer aumentos significativos, com impactos ainda maiores diante da inadimplência.

Basicamente, eles funcionam como juros sobre juros, fazendo com que o devedor pague valores sobre a correção que já foi aplicada. Sem dúvidas, isso pode fazer com que o montante alcance altos valores, trazendo ainda mais dificuldades para regularizar a situação.

Infelizmente, muitas pessoas deixam de avaliar essa questão ao analisar as taxas de juros aplicadas e acabam sendo obrigadas a arcar com obrigações excessivas. Em alguns casos, o tema pode ser discutido judicialmente, no entanto, nem sempre essa estratégia trará os resultados esperados. 

Como os juros compostos podem ser usados a seu favor?

Se, por um lado, os juros compostos são um dos grandes vilões do endividamento, eles também podem trazer benefícios para os investidores que sabem aproveitar essas oportunidades. Nesse caso, buscar aplicações financeiras que trabalham com essa modalidade de correção potencializa os rendimentos obtidos. 

Portanto, antes de fazer aplicações financeiras, busque aquelas que trabalham dessa maneira, como do Tesouro Direto. Ele é um empréstimo feito ao Governo Federal que consegue potencializar a rentabilidade ao longo do tempo por remunerar com o cálculo de juros sobre juros, e pelo próprio reinvestimento. 

Quer entender o motivo? Uma prática comum diante de resgates nos investimentos é reinvestir, incluindo o valor dos juros obtidos, aumentando o capital inicial e, consequentemente, o potencial de rentabilidade, não é mesmo? Então, contar com opções de juros compostos é a maneira de aproveitar esse potencial de maneira ampla.

Em vez de precisar reaplicar os valores resgatados, o próprio funcionamento do investimento faz a contabilização dos juros incluindo o rendimento que já foi recebido. Com valores baixos, a diferença pode parecer pequena, porém, quanto maior o capital investido, maior o retorno obtido. 

Quer um exemplo? Em um investimento de R$ 100 mil por 10 anos, totalizando 120 meses, com 0,5% de correção ao mês, totalizam um retorno de R$ 10 mil. Porém, com juros compostos de 0,5%, o mesmo investimento daria um retorno de R$ 81.939,67.

Percebeu a diferença? Dessa forma, quando se busca renda fixa, que já traz uma rentabilidade limitada, enquanto proporciona mais segurança, ainda é possível encontrar opções que aumentem o potencial de retorno. 

Potencialize ainda mais os seus investimentos

Além de saber como utilizar os juros compostos a seu favor, vale procurar outras maneiras de potencializar os seus investimentos e renda. Para quem tem negócios ou aplicações no exterior, é interessante contar com boas alternativas para receber os valores.

Afinal, eles sofrem impactos com as taxas cobradas, com o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e com a conversão da moeda. Nesse caso, quem busca o melhor custo-benefício, com segurança e agilidade, pode contar com a Remessa Online.

Temos uma plataforma especializada em transações internacionais, ideal para quem precisa enviar ou receber dinheiro do exterior por transações comerciais, investimentos e outras origens. 

Depois de aprender o que são juros compostos e como eles podem ser usados a seu favor nos investimentos, aproveite para avaliar as oportunidades e potencialize os seus ganhos

Gostou do conteúdo? Se você quer aprender mais sobre o mercado financeiro, confira nosso post sobre contas públicas, juros, política e reflexos no câmbio!

Resumindo

O que são juros compostos?

Os juros compostos são aqueles que incidem sobre o valor da parcela referente ao mês anterior — o chamado juros sobre juros —, fazendo com que o valor total seja superior quando comparado aos simples.

Quais cuidados adotar nos contratos?

Nos contratos é importante verificar como se dá a incidência de juros e avaliar se vale a pena aceitar empréstimos com essas características. Isso aumenta o custo efetivo total e pode aumentar os riscos diante de atrasos. 

Como usar juros compostos a seu favor?

Apesar de o endividamento desses juros resultar em impactos negativos, aumentando a dívida, eles podem ser usados a favor do investidor. Nesse caso, a ideia é buscar aplicações financeiras que contem com essa modalidade de remuneração. Com a atualização mês a mês, é possível otimizar os rendimentos. 

Assuntos relacionados