Comércio eletrônico: saiba como adaptar sua empresa à essa realidade

Acompanhar as tendências do mercado é uma necessidade de qualquer negócio, e o comércio eletrônico é uma das principais para quem trabalha com venda de produtos e serviços. Acompanhe este post e veja como se adaptar!

As compras online fazem cada vez mais sucesso, então é importante saber como adaptar sua empresa para investir no comércio eletrônico. Confira dicas!

Acompanhar as tendências do mercado é uma necessidade de qualquer negócio, e o comércio eletrônico é uma das principais para quem trabalha com venda de produtos e serviços. Acompanhe este post e veja como se adaptar!

Cada vez mais, os consumidores buscam as opções de compras online. A praticidade de encontrar produtos pela internet, comparar preços e recebê-los em casa é extremamente atrativa e, sem dúvidas, a pandemia de COVID-19 tornou essa prática ainda mais recorrente.

Desse modo, é importante que as empresas saibam como se adaptar à realidade do comércio eletrônico e se organizem para superar as barreiras que podem surgir. Para auxiliar nessa tarefa, separamos as principais informações sobre o assunto, acompanhe!

O que é o comércio eletrônico e quais os seus desafios?

Também conhecido como e-commerce, o comércio eletrônico trata das transações comerciais que são realizadas pela internet, sem que o cliente precise comparecer à loja física para realizar as compras desejadas.

Com o uso cada vez maior da tecnologia, o crescimento das compras online é evidente. Em abril de 2020, por exemplo, o crescimento foi de 81% em relação ao mesmo período em 2019. É certo que isso tem relação com a pandemia, no entanto, os dados demonstram a necessidade de se adaptar.

Por outro lado, as empresas que buscam entrar no mercado de vendas online enfrentam alguns desafios, principalmente para se adequar ao novo modelo de negócio e as necessidades específicas que ele traz. Veja os principais:

  • barreiras tecnológicas;
  • logística de entrega;
  • meios de pagamento;
  • controle de estoque;
  • criação de um suporte;
  • adequação às normas legais.

Desse modo, é importante saber de que forma é possível superar as barreiras para investir no seu e-commerce, fazendo com que o seu negócio se mantenha competitivo no mercado e atenda às necessidades dos consumidores.

Como adaptar à empresa ao comércio eletrônico?

Apesar da adaptação do negócio para funcionar como e-commerce trazer alguns desafios, existem medidas que podem ajudar nessa mudança. Confira as principais!

Contrate uma empresa para desenvolver o site

O primeiro passo é encontrar uma empresa especializada para ajudar no desenvolvimento do e-commerce ou trabalhar com uma plataforma de vendas.

Conte com suporte para as adaptações legais

Um dos pontos importantes ao lidar com comércio eletrônico é cumprir as exigências legais de segurança do usuário, direito à informação, privacidade e termos de uso. Aqui, vale a pena entender as regras Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) para não correr o risco de ser penalizado no futuro.

Outro ponto de atenção é o Código de Defesa do Consumidor (CDC), que garante direitos específicos, como o arrependimento da compra em até 7 dias. Toda a estrutura do site e a logística devem ser desenvolvidos para garantir o atendimento à legislação. Para não errar, procure suporte jurídico para desenvolver as estratégias da melhor forma.

Tenha selos de segurança

O site deve ser desenvolvido com foco na segurança do consumidor, evitando a ocorrência de fraudes ou o vazamento de dados. Para isso, existem diversas certificações que podem ser adquiridas pela empresa para aumentar a proteção do e-commerce.

Em complemento, é possível obter alguns selos que demonstram a confiabilidade da loja e são avaliados pelos consumidores antes da realização da compra. Por isso, vale a pena realizar os procedimentos necessários para ser considerado um local seguro para comprar.

Invista na responsividade

Um site responsivo se adapta aos diferentes tamanhos de tela e dispositivos utilizados pelos usuários durante a navegação. Ao desenvolver o seu comércio eletrônico, é importante ter atenção a esse requisito para que os clientes tenham uma boa experiência ao realizar compras, garantindo que ele terá acesso a todas as funcionalidades para concluir as transações desejadas.

Encontre um serviço de entrega

A entrega dos produtos comprados pela internet, é um dos assuntos que mais traz preocupações. Prazos muitos longos ou fretes altos, por exemplo, afastam os consumidores e podem fazer com que você perca oportunidades de vendas.

Além disso, a empresa responsável deve adotar os cuidados para que o item chegue dentro do prazo estipulado e em boas condições, sem qualquer dano. Por isso, procure serviços de transporte eficientes e que ofereçam um bom custo-benefício para evitar prejuízos decorrentes de problemas na entrega.

Crie canais de atendimento

Um dos principais erros ao investir no comércio eletrônico é não ter canais de atendimento adequados para os clientes. Busque oferecer meios para que os consumidores solucionem dúvidas, enviem reclamações e recebam o suporte necessário diante de qualquer problema.

A demora no atendimento pode resultar em reclamações feitas em sites de consumidores e outras páginas da internet, ou ações judiciais para reparação de danos. Além disso, existem normas específicas a respeito do SAC das empresas e os prazos para atendimento ao cliente.

Ofereça diversas opções de pagamento

Por fim, é preciso avaliar as opções de pagamento disponíveis. Nas compras online, o cartão de crédito é uma das principais alternativas, então vale a pena buscar parcerias para ofertar essa condição. Opções como boleto bancário, transferências e cartões de débito também são comuns.

Aqui, um atrativo interessante é oferecer condições especiais em determinados casos, como desconto para pagamento à vista, parcelamento sem juros ou valor mínimo para garantir acesso ao frete grátis.

Se as vendas forem feitas para o exterior, uma forma de receber o valor com taxas baixas, proporcionando mais comodidade para os consumidores, é contar com a Remessa Online. O cliente consegue fazer o pagamento seguindo os dados bancários informados na sua conta, para que ele consiga quitar a compra com praticidade.

Ao receber o dinheiro, a conversão da moeda será feita utilizando os valores do câmbio comercial do momento da transação, sem outras taxas referentes às operações cambiárias. O custo total será de 1,3% do valor recebido, com tarifa adicional de R$ 5,90 apenas se a transação for inferior a R$ 2.500. Por fim, o IOF será de apenas 0,38%.

Com essas condições de pagamento, ficará mais fácil atrair consumidores do exterior para o seu comércio eletrônico, garantindo o melhor custo-benefício nesse tipo de venda.

Então, gostou das nossas dicas? Acesse o site da Remessa Online para entender como é possível enviar e receber dinheiro do exterior com as melhores condições do mercado!

Resumindo

O que é comércio eletrônico?

Ele engloba as transações comerciais realizadas pela internet.

Quais os desafios?

Os principais desafios para as empresas são:

  • barreiras tecnológicas;
  • logística de entrega;
  • meios de pagamento;
  • controle de estoque;
  • criação de um suporte;
  • adequação às normas legais.

Como se adaptar?

Existem algumas dicas importantes que ajudam na adaptação. São elas:

  • contratar uma empresa ou plataforma especializada para desenvolver o site;
  • ter suporte jurídico para as adaptações legais;
  • contar com selos de segurança no e-commerce;
  • investir na responsividade do site;
  • encontrar um serviço de entrega;
  • criar um canal de atendimento;
  • diversificar as opções de pagamento.