Mercado financeiro: como fazer transferências internacionais com facilidade

Quer começar a investir em empresas do mercado financeiro internacional, mas ainda tem dúvidas sobre como transferir o dinheiro? Aprenda como neste artigo!

De uns anos para cá, o brasileiro médio se aproximou mais do mercado financeiro no que diz respeito a investimentos em ações, títulos nacionais e internacionais. O tema foi ganhando espaço nas discussões, a procura começou a crescer e o valor inicial para quem quer investir diminuiu. 

Hoje, o brasileiro está mais próximo do mercado financeiro nacional e internacional. Neste artigo, você vai entender melhor sobre esse assunto e descobrir como fazer transferências internacionais com facilidade. Confira!

Globalização e acesso ao mercado financeiro de países mais desenvolvidos

Dados da Segunda edição do Raio X do Investidor Brasileiro, publicado em 2019 pela Anbima, revela o percentual de brasileiros que tinham algum valor aplicado em investimentos no ano de 2018. De acordo com o relatório, o percentual permaneceu o mesmo do relatório anterior (2017), em 42%. 

Por outro lado, o relatório mostra que 33% dos brasileiros que economizaram em 2018, 48% aplicaram em produtos financeiros. No ano anterior, esse número não passou de 42%. Outro dado interessante é que 23% apenas apostaram em uma nova aplicação em 2018 e 59% aplicaram em produtos financeiros que já tinham dinheiro investido em outros anos.

A Anbima também registrou que, em 2019, os investidores brasileiros começaram a diversificar mais suas carteiras de investimentos. Para isso, optaram por ações de empresas internacionais. No passado, esse comportamento estava mais ligado aos grandes investidores. 

O que os dados da entidade mostram é que o número de cotistas de fundos com classificação de “investimento no exterior” contam com cerca de 88 mil investidores.

No Brasil, o tipo de investimento que mais atrai o investidor médio são os BDRs (Brazilian Depositary Receipts). Esse tipo de papel não é exatamente uma ação estrangeira, são papéis que representam as ações de uma empresa de outro país. 

Assim, o brasileiro não precisa se preocupar em abrir uma conta em outro país, transferir dinheiro ou comprar outras moedas. As transações são realizadas no Brasil, dentro da corretora onde ele já tem conta.

A desvantagem é que o investidor não ganha o mesmo valor que ganharia se investisse diretamente na ação, é apenas uma porcentagem.

Remessa Online e a facilidade para realizar transações

Transferências internacionais

Se você já investe há algum tempo e acredita que está preparado para fazer investimentos mais arrojados, o mercado financeiro internacional pode ser o que precisa. Principalmente, para quem já investiu em BDRs e quer algo mais rentável ou até para diversificar a moeda que está rendendo. 

Nesse caso, o primeiro passo é abrir uma conta em uma corretora de investimentos no exterior. O processo é bem simples e online. Não há grandes mistérios.

Feito isso, você terá que fazer uma transferência da sua conta no Brasil para a conta da corretora para começar a investir. É nesse momento que o processo pode ser mais incômodo, devido às altas taxas cobradas pelos bancos tradicionais e pela demora. Por mais que o Banco Central determine alguns prazos e teto de cobrança, cada banco tem sua própria política de transferência internacional.

Com a Remessa Online você consegue fazer a transferência de forma rápida, fácil e com o melhor custo do mercado. Você paga a menor taxa administrativa do mercado, a partir 1,3%. Tudo isso sem fazer contato com o banco. É só se cadastrar na plataforma e fazer a transferência.