Por que começar seus investimentos em outros países?

Começar a investir no exterior pode ser muito vantajoso. Neste artigo, mostramos porque começar seus investimentos em outros países. Confira!

Porque-realizar-investimentos-em-outros-países

Começar a investir é uma possibilidade de ter um segundo rendimento, guardar dinheiro para a aposentadoria, conquistar um sonho ou até se profissionalizar no ramo. Nesse sentido, os investimentos em outros países são uma oportunidade interessante, os rendimentos em outra moeda, em geral, são mais interessantes.

Por medo de arriscar em um mercado desconhecido, muitos brasileiros evitando os investimentos em outros países. Neste artigo, mostraremos porque essa pode ser uma grande oportunidade para você. Acompanhe!


3 motivos para ter investimentos em outros países

1. Carteira diversificada

Criar uma carteira de investimentos diversificada é uma estratégia importante para quem quer investir e correr menos riscos. Isso porque, quando o dinheiro está aplicado em papéis diferentes e um deles apresenta queda, você perde dinheiro ou ganha menos em apenas um investimento.

Quando você aplica tudo em um só lugar, o risco de perder tudo ou ter uma desaceleração em seus rendimentos é bem maior. Por isso, pode ser interessante ter investimentos em outros países e no Brasil.

2. Equilíbrio entre diferentes contextos econômicos

Situações em que a economia não vai bem no mundo todo não são comuns, pelo contrário. É preciso ter um problema de impacto mundial para prejudicar as economias no Brasil e em outros países.

Investindo em ações de empresas internacionais, você terá um equilíbrio maior entre os contextos econômicos. A economia no Brasil pode estar enfraquecida, mas nos Estados Unidos ou na Europa estarão vivendo outras realidades. 

3. Ganhos mais expressivos

O dólar e o euro sempre foram moedas muito valorizadas na economia mundial. Diferentemente do real, que desde que foi criado, vive altos e baixos. Ter investimentos em outros países vai proporcionar ganhos mais expressivos devido a valorização de outras moedas. 

Ou seja, quando decidir vender suas ações ou resgatar parte do que foi investido, você, com certeza ganhará mais do que foi aplicado.

Conheça as instituições que influenciam o mercado financeiro internacional

Para que o mercado financeiro internacional consiga atuar no mundo todo, atendendo as demandas dos clientes e das empresas, é preciso que um grupo de instituições interfiram em alguns processos.

Essas instituições regem normas, seguem condutas e fiscalizam diferentes aspectos desse ambiente. A seguir, você vai conhecer as principais instituições que influenciam o mercado de investimentos em outros países e como atuam. Confira!

FED

O Federal Reserve é o banco central dos Estados Unidos, do qual cabe criar a política monetária do país, regulamentar e fiscalizar todo o sistema bancário. Assim como é o Banco Central brasileiro.

Administrado pelo Conselho de Governadores (Board of Governors), cabe ao FED regular todas as atividades bancárias e manter o sistema bancário saudável e controlar o volume de moedas disponíveis na economia do país (oferta de moeda).

FMI

O Fundo Monetário Internacional é uma organização que ajuda na recuperação da economia internacional. O órgão atua como um ambiente de cooperação financeira, formado por 189 países-membros e é, também, uma grande reserva monetária. Ou seja, os países depositam e emprestam dinheiro do fundo quando estão em situação de risco financeiro.

Além disso, o FMI faz análises econômicas, de políticas de desenvolvimento e criam regulamentações para promover a estabilidade da economia.  

Banco Mundial

O Banco Mundial é uma das organizações mais importantes do mundo. A instituição faz empréstimos para países que estão em desenvolvimento e tem o papel de observar as ações de outras organizações internacionais, como Grupo de Desenvolvimento das Nações Unidas, G-20 financeiro e outras.

SEC (Securities and Exchange Commission)

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, Securities and Exchange Commission em inglês, é uma agência federal que atua de forma independente regulando e controlando os mercados financeiros. A instituição conta com funções semelhantes às da CVM brasileira e de outras no mundo, sendo uma guardiã da bolsas de valores.

Banco Central Europeu

O Banco Central Europeu, ou BCE, é o banco central que atua apenas na Zona do Euro, atendendo os países que utilizam essa moeda. Uma de suas missões é preservar o poder de compra da moeda. Para isso, precisa garantir a estabilidade de preços na área de atuação do euro. 

Banco da Inglaterra

O BoE, também conhecido como The Old Lady of Threadneedle Street, é o banco central do Reino Unido. Assim como o banco central de outros países, cabe ao BoE manter o poder de compra de sua moeda, a libra esterlina.

Além de ajudar as empresas e famílias britânicas a terem uma economia mais estável e organizada.

Conhecer cada uma dessas organizações é importante para quem quer começar seus investimentos em outros países. Quer mais dicas? Veja como investir em ações no exterior.