Trabalhar no Canadá: tudo o que você precisa saber sobre

por Remessa Online
3 minutos de leitura
Tudo o que você precisa saber sobre trabalhar no Canadá

Quer trabalhar no Canadá? Saiba como conseguir o visto e o que fazer para ter seu perfil escolhido pelo governo do país.

Trabalhar no Canadá é a escolha de milhares de brasileiros. Para você ter uma ideia, a concessão do visto de residência permanente para brasileiros apresentou alta de 128% em 2017 e 2018. Para estudos, mais de 10 mil pessoas conseguiram a autorização somente em 2018.

Por que essa procura grande? A resposta passa por múltiplos fatores. De um lado, é a qualidade de vida e a segurança do país. De outro, a busca por pessoas de outros lugares, a fim de aproveitar as oportunidades existentes nas empresas canadenses.

Para entender melhor o que é preciso fazer para conseguir um trabalho no Canadá e quais são os pontos que merecem atenção nesse processo, criamos este post com tudo que você precisa saber sobre essa mudança.

Tem interesse em saber mais? Confira o conteúdo!

Quais são as características do Canadá?

O Canadá é um país localizado na América do Norte, que fica entre os Estados Unidos e o território do Alasca. Em área total, é o segundo maior país do mundo e também tem a fronteira terrestre mais longa, na divisão com a nação que fica logo abaixo. 

A população nativa é aborígene, mas expedições francesas, inglesas e até portuguesas colonizaram o país. Hoje, existem 10 províncias e três territórios.

No Canadá, a moeda utilizada é o dólar canadense, que é mais forte que o real, mas ainda é mais fraca que o dólar americano. A cotação no dia 9 de dezembro de 2019, por exemplo, era de R$ 3,14.

Em relação aos costumes, existem algumas particularidades e diferenças para o Brasil. Por exemplo, é proibido consumir bebida alcoólica na rua. Ao mesmo tempo, a maconha é legalizada. O principal esporte é o hockey e muitas pessoas aproveitam a patinação no gelo.

No inverno, as temperaturas chegam a -50ºC e há muitos ursos polares no país — em algumas cidades, eles ultrapassam o número de humanos. O Canadá tem muitos parques e é possível ver a aurora boreal de algumas cidades. 

Na gastronomia, muitos são os pratos típicos. Os principais são:

  1. poutine: batata frita com coalhada de queijo cheddar e molho gravy;
  2. montreal smoked meat: sanduíche de pão com carne defumada marinada em especiarias e ervas;
  3. butter tarts: torta parecida com as brasileiras e bastante açucaradas. Tem recheios diversos, como nozes, maçã e blueberries;
  4. maple syrup: xarope que serve de cobertura para waffles, sorvetes e panquecas;
  5. macarrão com queijo.

Agora que você entendeu que o país tem uma cultura rica e está aberto para a chegada de imigrantes, precisa saber o que é necessário fazer para trabalhar no Canadá. É o que explicaremos a partir de agora.

Como obter permissão de trabalho (work permit)?

O primeiro passo para trabalhar no Canadá é saber como obter a permissão para exercer uma atividade. O objetivo, nesse caso, é conseguir o work permit, que está sempre vinculado a um fator. Portanto, é impossível fazer apenas uma aplicação sem ter uma vaga já atrelada.

Como conseguir a permissão de trabalho? Existem quatro principais maneiras. Veja quais são elas!

Trabalhar no Canadá tudo o que você precisa saber sobre - Trabalhar no Canadá: tudo o que você precisa saber sobre
No Canadá, você tem a opção de fazer um curso superior e trabalhar meio período ou se aplicar ao PGWP após terminar a graduação e trabalhar na área em que estudou por até três anos.

Fazendo um curso superior no país

A alternativa, aqui, é participar de estudos por meio de um programa específico. Um deles é o Co-op, que prevê parte do projeto para estudo e o restante para o trabalho. É o caso de fazer um estágio para, então, receber o certificado de conclusão.

Se você já saiu da graduação e busca um mestrado ou doutorado, também pode trabalhar no Canadá. Existem universidades que oferecem essa opção. 

Além disso, você pode oferecer uma atividade on campus — ou seja, dentro ou relacionado à instituição de ensino — ou off campus, que permite trabalhar parte do tempo e, nas folgas, é permitido fazer a carga horária integral.

Obtendo um visto de residência permanente (PR)

O Permanent Residency é um título recebido ao chegar para trabalhar em território canadense. Aqui, você tem um visto de turismo, estudo ou trabalho e realiza todo o processo de imigração. Por isso, faz um pedido específico.

Muitas vezes, o visto Permanent Residency é concedido por meio do Express Entry, um programa do governo canadense que define pessoas qualificadas para trabalharem no país. Para isso, você deve criar um perfil no site do governo e realizar testes de proficiência em inglês ou francês.

Sua pontuação servirá para definir a chance de conseguir o visto. Os mais bem colocados recebem o convite. O processo demora alguns meses e o perfil mais buscado é de estrangeiros com até 35 anos e ativos no mercado de trabalho.

Conseguindo um diploma em instituição credenciada (PGWP)

O Post-Graduation Work Permit facilita que, após a graduação, você solicite um visto de trabalho. Se você estudou um ano, conseguirá a autorização pelo mesmo período. Caso tenha feito um curso com duração de dois anos, poderá obter permissão até três anos.

Tendo uma oferta de trabalho em uma empresa canadense (LMIA)

O Labour Market Impact Assessment é usado quando os empregadores contratam um profissional do exterior por falta de especialistas no mercado canadense. O governo faz uma avaliação e permite a divulgação da vaga.

Nesse caso, o visto de trabalho é vinculado ao empregador. Assim, você só pode ficar no país enquanto trabalhar naquela empresa, sem possibilidade de mudanças.

Trabalhar no Canadá tudo o que você precisa saber - Trabalhar no Canadá: tudo o que você precisa saber sobre
Trabalhar no Canadá significa desfrutar de uma infraestrutura exemplar, além de segurança e mais oportunidades.

Por quais formas é possível conseguir trabalhar no Canadá?

Solicitar o trabalho no Canadá depende de obter o work permit, como apresentamos acima. Para concretizar esse objetivo, você precisa encontrar uma forma de atuar em uma empresa no país. Veja quais são as três principais.

Convite de emprego para o visto de trabalho

É um visto emitido para quem recebe uma oferta de emprego. Por exemplo, você vê uma vaga disponível e se encaixa nos pré-requisitos solicitados. Candidata-se à função e seu currículo é selecionado.

Aqui entramos novamente naquela situação de a autorização estar vinculada à duração do contrato de trabalho. Você pode, inclusive, procurar uma oportunidade no Job Bank, site do governo que reúne diferentes oportunidades.

Pedido de imigração

Consiste no Express Entry. O governo canadense analisa as aplicações e define quais são os mais qualificados para morar no Canadá. É preciso se cadastrar no site do Ministério da Imigração e inserir várias informações, como:

  1. habilidades;
  2. experiência profissional;
  3. nível escolar;
  4. idiomas oficiais e fluência.

Para participar do programa Express Entry, você já deve ter feito o teste de proficiência em inglês ou francês, sempre em uma instituição aprovada pelo governo do Canadá. Além disso, é necessário verificar o nível de habilidade compatível com sua experiência profissional — a National Occupational Classification (NOC) — e ter seus diplomas validados por uma instituição canadense.

Quando aprovado, entra no banco de dados e pode ficar com o perfil ativo por até um ano. Você também pode ingressar no Job Bank para concorrer a uma vaga.

Combinação entre trabalho e estudo

O Canadá conta com um programa chamado PGWP – Post-Graduation Work Permit. Ele é válido para estudantes estrangeiros que terminaram o ensino superior em uma instituição credenciada ao programa e querem passar um tempo trabalhando no Canadá para adquirir experiência (uma espécie de estágio).

Os requisitos para se candidatar ao PGWP são:

  1. Ser maior de 18 anos;
  2. Ter estudado em um curso de período integral com no mínimo 8 meses de duração;
  3. Apresentar um documento da escola confirmando que você completou e concluiu todos os requisitos do programa de estudos. Tal documento pode ser o certificado de conclusão, o diploma, o histórico escolar ou uma declaração;
  4. Ter se graduado em uma instituição credenciada ao programa;
  5. Se candidatar ao programa em até 180 dias após a conclusão dos estudos.

A validade do visto é proporcional ao período que durou seus estudos, podendo ir de um a três anos. O programa permite que a pessoa trabalhe até 20 horas por semana, desde que siga as regras estipuladas. Para ler as regras e checar as instituições participantes, visite o site do PGWP.

Cursos de idiomas não dão direito a aplicação ao PGWP.

Para estudar por mais de seis meses no Canadá, você precisa de um visto de estudo. Até esse período, a autorização de turismo é suficiente.

É importante destacar que algumas províncias também têm programas específicos de contratação de imigrantes, conhecidos pela sigla PNP. É o caso de Quebec. Por isso, você também pode ficar atento a essas oportunidades.

Quais são os tipos de vistos disponíveis?

O Canadá tem diferentes tipos de autorização de entrada no país. O visto tem um prazo de validade e, durante esse período, ele é válido para ingressar quantas vezes o brasileiro quiser

Além disso, o brasileiro que tiver uma autorização de residência temporária ou um visto válido de não imigrante dos Estados Unidos está dispensado de solicitar um novo visto desde 1º de maio de 2017. Agora é preciso ter apenas um Electronic Travel Authorization (eTA).

Se você não se enquadrar nesses requisitos e precisar de um visto, o prazo máximo de validade da autorização é a data de expiração do seu passaporte. Ainda assim, o período permitido pode ser menor que o do documento oficial.

Entre os tipos de vistos disponíveis — seja para morar, seja para trabalhar no Canadá — estão os que listamos abaixo.

Visto de turismo (V-1)

O foco é para fazer visitas ao Canadá, ou seja, é destinado para quem tem intenção de ficar por pouco tempo. Também serve para quem vai fazer um curso acadêmico de até 24 semanas e participará de uma reunião empresarial ou de um evento. No entanto, não permite exercer uma atividade remunerada.

Visto de estudante com duração de até 24 semanas (SX-1)

Essa autorização é concedida para pessoas que querem fazer cursos acadêmicos no Canadá com duração máxima de 24 semanas. É preciso apresentar a mesma documentação do visto de turismo e acrescentar a carta de aceitação escolar.

Esse visto proíbe trabalhar enquanto estiver no Canadá. A exceção é para os cursos de graduação e pós-graduação. Se for estudante de idiomas e quiser permanecer no país para fazer o Ensino Superior, é preciso solicitar uma permissão de estudos.

Visto de negócios (B-1)

O foco é autorizar a visita a empresas e a participação em conferências e eventos, assim como atuar como representante de vendas. No entanto, sempre tem uma data definida de retorno ao país de origem.

Para solicitar o B-1, você deve apresentar um comprovante de alguma empresa com negócios no Canadá ou que contrate produtos ou serviços de companhias do país. Essa exigência é necessária para confirmar que a intenção não é procurar um emprego.

Visto de trânsito (VH-1)

Essa opção é necessária sempre que você compre uma passagem aérea com conexão ou escala no Canadá. A autorização permite ficar em território canadense por até 48 horas. Para receber o visto, é preciso apresentar informações detalhadas do itinerário. A exceção, aqui, é para cruzeiros, já que, nesse caso, é preciso solicitar o documento de turismo.

Permissões

O Canadá também tem as permissões concedidas pelo governo do país. É o caso de:

  1. visto parent and grandparent (super visa): é solicitado por pais e avós de moradores do Canadá, desde que essa pessoa tenha cidadania ou residência permanente. Permite ficar por até dois anos. Para conseguir o visto, é preciso apresentar uma carta do morador alegando condições de manter os parentes;
  2. permissão de estudos (study permit): permite ficar por até 24 semanas no país. Para estudantes de graduação e pós-graduação, há possibilidade de trabalhar por 20 horas semanais;
  3. permissão de trabalho (work permit): é voltado para quem tem uma oferta de emprego, uma bolsa remunerada de um curso de graduação ou pós-graduação ou uma matrícula em cursos nos quais a grade curricular exige trainee ou estágio.
Trabalhar no Canadá tudo o que você precisa saber sobre o assunto - Trabalhar no Canadá: tudo o que você precisa saber sobre
Através do programa Express Entry, o governo canadense seleciona alguns estrangeiros para trabalharem no Canadá em áreas onde há carência de profissionais canadenses.

Como funciona o Express Entry e quais são os processos para quem deseja trabalhar no país?

Ao verificar os diferentes tipos de permissão e vistos, talvez você tenha ficado em dúvida sobre o Express Entry. Por isso, vamos explicá-lo melhor.

Esse sistema é usado pelo governo para administrar os formulários de aplicação de pessoas interessadas em trabalhar no Canadá pelas categorias Federal Skilled Worker, Federal Skilled Worker Trades, Canadian Experience Class e Provincial Nominee (PNP).

Criado em janeiro de 2015, esse programa substituiu o sistema first come, first serve. Na época, o governo abria as vagas e eram selecionados os primeiros a se candidatarem. Agora qualquer pessoa pode preencher a documentação e terá seus arquivos analisados.

Aqueles que alcançarem uma pontuação mais alta recebem a aprovação. É aí que se torna necessário fazer o teste de proficiência para conseguir o visto, se ficar bem posicionado em relação aos outros concorrentes.

A pontuação exigida pelo governo é publicada a cada draw (sorteio). Se você ultrapassar essa nota de corte, receberá um convite de aplicação (ITA), porque tem o perfil desejado para trabalhar no Canadá. O prazo total de análise leva seis meses, desde que você envie os documentos de forma correta.

Conseguindo uma nota alta no Express Entry

As duas formas para alcançar uma pontuação alta no programa são conseguir uma oferta de trabalho LMIA ou ter a nomeação de alguma província. Qualquer uma dessas alternativas já assegura 600 pontos. De toda forma, é imprescindível ter, pelo menos, um ano de experiência profissional.

Além disso, é obrigatório ter proficiência em inglês ou francês. Caso contrário, você não é qualificado pelo Express Entry, ainda que cumpra os outros pré-requisitos. A pontuação máxima atingida é de 1.200 pontos. No entanto, uma nota satisfatória fica em torno de 450 a 500 pontos. Veja como as notas são divididas:

  1. habilidades e experiência profissional: máximo de 500 pontos para solteiros e de 460 para casados e common-law;
  2. educação, idioma, experiência profissional e habilidade do cônjuge e/ou common-law: máximo de 40 pontos — solteiros não se encaixam;
  3. adaptação: máximo de 100 pontos, se já tiver morado ou estudado no Canadá por mais de um ano ou ter parentes no país;
  4. LMIA e/ou PNP: 600 pontos.

Passando pelas etapas do Express Entry

Esse processo contempla várias etapas que precisam ser cumpridas pelo candidato a uma vaga de trabalho no Canadá. Primeiro, você deve passar pelo teste de perfil. Ele consiste em responder o questionário disponível no site do governo. A partir disso, o programa de imigração mais indicado é oferecido.

Em seguida, você deve fazer a candidatura, isto é, o cadastro no banco de dados do programa. Insira suas informações profissionais, habilidades, conhecimentos em inglês e francês etc. É aqui que você precisará apresentar seu certificado de proficiência no idioma. Até esse momento não há garantia de convite nem de recebimento de visto.

A próxima etapa é fazer a inscrição, enviar os documentos e pagar as taxas. Você só chegará até aqui, se receber um convite devido à alta pontuação no estágio anterior. Após preencher as informações, será encaminhada uma lista de documentos personalizada. Entre eles estão:

  1. passaporte;
  2. resultado final dos testes de proficiência em idiomas;
  3. declaração de renda;
  4. exames médicos;
  5. histórico criminal.

Você ainda precisará pagar a taxa de processamento e de direito de residência permanente. Ainda existem outras passíveis de solicitação, como de tradução de documentos, dos testes de idiomas e dos exames médicos.

Por fim, você recebe a confirmação do Escritório de Cidadania e Imigração do Canadá (CIC), caso seu perfil seja aprovado. Ainda ganha uma Confirmação de Residência Permanente (COPR) e um visto da mesma categoria. Nesse documento estão algumas informações básicas e uma fotografia.

Quais profissões têm mais demanda no país?

Existem muita demanda por profissionais no Canadá. O trabalho é variado e nem sempre a população local atende às demandas das empresas. Por isso, as vagas com mais oportunidades para imigrantes são bastante variadas. As principais são as seguintes, com suas respectivas médias salariais:

  1. representante de vendas: entre 52 mil e 64 mil dólares canadenses;
  2. contador: entre 63 mil e 73 mil dólares canadenses;
  3. gerente de projetos de engenharia: entre 74 mil e 92 mil dólares canadenses;
  4. analista de negócios: entre 73 e 87 mil dólares canadenses;
  5. gerente de projetos de TI: entre 92 mil e 114 mil dólares canadenses;
  6. gerente de contas: entre 75 mil e 92 mil dólares canadenses;
  7. engenheiro de software: entre 83 mil e 99 mil dólares canadenses;
  8. recrutador: entre 59 mil e 71 mil dólares canadenses.

Como procurar emprego no país?

trabalhar no canada 1024x683 - Trabalhar no Canadá: tudo o que você precisa saber sobre
É possível começar a procurar emprego no Canadá sem sair do Brasil, usando sites específicos de vagas no Canadá.

A busca por uma vaga começa pela pesquisa em sites especializados em vagas de emprego. Um deles é o Job Bank, que já apresentamos. Ainda existem outros, como você poderá ver a seguir:

  1. Beyond.com Careers;
  2. CareerBuilder;
  3. Dice;
  4. Eluta;
  5. Glassdoor;
  6. Indeed;
  7. LinkedIn.

Para aumentar a chance do seu perfil ser escolhido, você precisa elaborar um bom currículo. Diferente do que é solicitado por empresas brasileiras, ele deve ser mais enxuto e nunca conter informações pessoais, como idade, gênero, status de imigração ou social number.

No cabeçalho deve constar apenas endereço, telefone e e-mail. Mantenha todas as informações em até duas páginas, se tiver bastante experiência. Caso contrário, prefira deixar em apenas uma folha.

Direcione o currículo para a vaga desejada. Nunca seja genérico, porque o recrutador precisa ter certeza de que o seu perfil está alinhado às expectativas da empresa. Portanto, opte pela personalização a cada vaga.

Se você fez trabalho voluntário, inclua essa informação. Esse tipo de atuação é valorizada nos trabalhos do Canadá. Ainda use as mídias sociais. Atualize seu LinkedIn, porque é comum o recrutador cruzar as informações.

Além disso, escolha um layout simples e use palavras-chave para descrever suas competências e habilidades. Aqui, é possível usar dois modelos. O cronológico é aquele listado de acordo com a ordem dos acontecimentos, com preferência para o mais recente.

O currículo funcional, por sua vez, é aquele focado em habilidades. É mais indicado para recém-formados, pessoas com intervalos de tempo sem trabalho ou que querem mudar sua área de atuação.

Quais idiomas são falados no Canadá?

Por sua história, o Canadá tem duas línguas oficiais: o inglês e o francês. A depender da região do país, você terá que se acostumar mais com um dos dois idiomas. Em Quebec e Montreal, por exemplo, predomina o francês.

Ainda há populações significativas de canadenses francófonos em Alberta, Ontário e Manitoba. Por sua vez, o inglês é mais comum em Toronto e Vancouver.

Para conseguir um visto para trabalhar no Canadá, é fundamental dominar um ou os dois idiomas. Esse é, inclusive, um requisito do governo para conceder a autorização de permanência.

Quais cidades têm mais demanda de serviços?

As cidades mais escolhidas pelos brasileiros para morar e trabalhar no Canadá são: Vancouver, Toronto, Calgary e Montreal. Essas são localidades com bastante demanda de serviços e escolhas certeiras na hora de encontrar uma vaga.

No entanto, existem outras boas opções fora desses centros maiores. Um exemplo é Guelph, em Ontário, que tem uma taxa de desemprego baixa, de 4,2% e um índice de empregabilidade de 72%.

Regina, em Saskatchewan, também tem bons resultados: 4,5% de desemprego e 69,8% de empregabilidade. Outras opções são:

  1. Moncton, em New Brunswick;
  2. Vancouver, na Colúmbia Britânica;
  3. Edmonton, em Alberta;
  4. Kingston, em Ontário;
  5. London, em Ontário;
  6. Winnipeg, em Manitoba.

Qual a média salarial ao trabalhar no Canadá?

O salário pago aos profissionais varia muito de acordo com a província. O cálculo é feito em horas trabalhadas. Se você quer trabalhar no Canadá, vale a pena considerar Alberta e Ontário, que oferecem uma remuneração mais elevada. Veja os valores mínimos em algumas regiões (por hora trabalhada):

  1. Alberta: 15 dólares canadenses;
  2. Colúmbia Britânica: 13,85 dólares canadenses;
  3. Manitoba: 11,35 dólares canadenses;
  4. New Brunswick: 11,50 dólares canadenses;
  5. Newfoundland & Labrador: 11,40 dólares canadenses.

A média no país é de 51 mil dólares canadenses por ano, o que resulta em 4.250 dólares canadenses por mês. Por isso, na hora de decidir se mudar, considere essa questão para evitar problemas.

Lembre-se ainda de considerar despesas com moradia, alimentação, saúde e outras. O custo de vida muda de acordo com a província, mas são menores que outros países desenvolvidos. Lembre-se de que os gastos podem variar bastante. De toda forma, é fundamental se planejar financeiramente.

Veja de quanto dinheiro você vai precisar e saiba o que fazer para realizar uma transferência internacional, em caso de imprevisto. O ideal é buscar um serviço confiável, rápido e barato para ter a quantia necessária.

Se precisar enviar dinheiro para o Canadá, use a Remessa Online. A plataforma tem o menor custo de envio do mercado e o dinheiro é enviado em apenas 1 dia útil, não só para o Canadá, mas também para mais de 100 países.

Agora que você sabe como trabalhar no Canadá e o que fazer para alcançar esse objetivo, é só começar a se preparar. Siga as dicas que repassamos, guarde dinheiro e continue. Você verá que vale a pena ter essa experiência internacional.

Resumindo:

O que é preciso para trabalhar no Canadá?

Você precisa obter o visto específico de acordo com o motivo de sua viagem. Esse visto pode estar atrelado a estudos, a trabalho ou às duas modalidades combinadas.

Quem pode trabalhar no Canadá?

Qualquer pessoa que tenha o visto e o perfil procurado pelo governo local. De modo geral, eles querem especialistas.

O que é o Express Entry?

É um programa do governo canadense que analisa as aplicações de estrangeiros que querem tralhara no páis e define quais são os mais qualificados para morar no Canadá.

Como me cadastrar no Express Entry?

Para se candidatar ao programa e tentar obter uma vaga de emprego no Canadá é preciso se cadastrar no site do Ministério da Imigração do país e inserir informações, como:
1) habilidades;
2) experiência profissional;
3) nível escolar;
4) idiomas que fala e fluência.
Caso seja aprovado, você precisará revalidar sue diploma em uma instituição de ensino superior no Canadá.

Como trabalhar e estudar no Canadá?

Estudantes que terminam o ensino superior no Canadá podem solicitar o PWGP, visto que permite que a pessoa fique no país por um período proporcional ao tempo que ela estudou (até 3 anos). Com esse visto, a pessoa pode trabalhar na área em que estudou. Estudante de cursos de idiomas não têm autorização para trabalhar no Canadá e nem se aplicar ao PGWP.

Assuntos relacionados