Como calcular o Lucro Real? Entenda

Toda empresa precisa estar enquadrada em um regime tributário. Saiba mais sobre o modelo do Lucro Real, suas particularidades e o cálculo.

O Lucro Real é um regime tributário obrigatório para algumas empresas e que pode trazer vantagens para você. Saiba por que calcular e como ele funciona.

Toda empresa precisa estar enquadrada em um regime tributário. Saiba mais sobre o modelo do Lucro Real, suas particularidades e o cálculo.

Existem três opções de regime tributário no Brasil para as empresas. Uma delas é o Lucro Real, que se caracteriza pelo cálculo de impostos a partir do ganho efetivamente auferido pelo negócio.

Apesar de ser simples de entender, é normal ter dificuldades para fazer os cálculos dos tributos referentes ao Lucro Real. Para saber como chegar a esse objetivo, neste conteúdo apresentamos as principais informações do regime tributário e quanto sua empresa vai pagar ao Leão. Saiba mais!

O que é o Lucro Real?

Esse é um regime tributário em que a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) são calculados de acordo com o lucro real obtido pela empresa. Apesar de ser passível de enquadramento para qualquer negócio, é obrigatório para algumas pessoas jurídicas.

Apesar do CSLL e do IRPJ terem seu cálculo embasado no lucro, existem ainda os tributos sobre:

  1. faturamento, como Programa Integração Social (PIS) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins);
  2. consumo, a exemplo do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e Imposto sobre Serviços (ISS).

De toda forma, é imprescindível controlar de forma precisa os ganhos e os gastos para fazer um cálculo correto. Até porque a alíquota muda, a depender do lucro registrado.

Quais empresas se enquadram nesse regime tributário?

Qualquer companhia pode se enquadrar no Lucro Real. No entanto, aquelas com faturamento acima de R$ 78 milhões ao ano são obrigadas a adotarem esse regime tributário. Essa exigência também é válida para algumas atividades, qualquer que seja a receita bruta obtida no ano. Elas são:

  1. empresas do mercado financeiro, a exemplo de bancos, cooperativas de crédito, instituições financeiras, empresas de seguro privado, sociedades de crédito imobiliário e entidades de previdência aberta;
  2. companhias que tiveram lucros, ganhos ou rendimentos do exterior;
  3. negócios que exploram atividades de compras de direitos creditórios resultantes de prestação de serviços (factoring) ou vendas mercantis a prazo;
  4. companhias com benefícios fiscais para reduzir ou isentar impostos.

Além dessa obrigatoriedade, existem casos em que o Lucro Real tende a ser uma opção melhor para o negócio. É o caso daquelas empresas com lucro efetivo abaixo de 32% do faturamento do período, com apuração trimestral ou anual.

Como calcular o Lucro Real?

Para fazer o cálculo correto, é preciso conhecer as alíquotas. O IRPJ tem uma incidência de 15%. Caso sua empresa tenha um lucro maior que R$ 20 mil por mês, existe 10% a mais que deve ser descoberto da seguinte forma:

IR adicional = (lucro real mensal – 20.000) x 10%

A alíquota da CSLL é de 9%. Ainda é preciso considerar:

  1. PIS não cumulativo: 1,65% sobre a receita bruta mensal;
  2. Cofins não cumulativo: 7,6% sobre o faturamento bruto do mês;
  3. ISS: varia conforme a Prefeitura do município, mas costuma ficar entre 2% e 5%;
  4. ICMS: depende do estado e requer verificação.

É importante destacar que o ICMS também depende de uma fórmula para cálculo:

ICMS = (faturamento – créditos de compras) x alíquota

Por exemplo, imagine que sua empresa presta serviços e teve um faturamento bruto anual de R$ 350.000 e lucro de R$ 150.000. Primeiro, calcule o IRPJ:

IRPJ = 150.000 x 15% = R$ 22.500

Como a média de lucro mensal foi R$ 12.500, é dispensável fazer o cálculo do IRPJ adicional. Portanto, o recolhimento de IRPJ é de R$ 22.500.

Em seguida, calcule a CSLL. Para isso, aplique os valores na fórmula:

CSLL = R$ 150.000 x 9% = R$ 13.500

Para PIS e Cofins, é possível fazer os cálculos separadamente ou somar as alíquotas e chegar a 9,25% (1,65% + 7,6%). Nesse caso, temos:

PIS e Cofins = R$ 350.000 x 9,25% = R$ 32.375

Perceba que ainda seria possível deduzir custos com compras de matéria-prima, serviços de terceiros voltados para a produção e mais. Por fim, existe o ISS e o ICMS. O primeiro é calculado da seguinte forma, supondo que a alíquota fosse de 4%.

ISS = R$ 350.000 x 4% = R$ 14.000

O ICMS, por sua vez, depende do estado. Imagine que seja de 12% para a operação e que os créditos de compras sejam equivalentes a R$ 10.000. Assim, temos:

ICMS = (R$ 350.000 – R$ 10.000) x 12% = R$ 40.800

Caso sua empresa tenha tido prejuízos, ocorre isenção de IRPJ e CSLL. Essa perda pode ser compensada com os lucros apurados posteriormente, mas com limitação de 30% do Lucro Real do período.

Você também deve procurar um contador para realizar esse cálculo, se achar necessário. De toda forma, é importante diversificar as atividades e pensar em expandir para o exterior para ganhar mais.

Nesse caso, conte com uma plataforma de transferências internacionais. A Remessa Online oferece transações com prazo de 1 dia útil e custo de 1,3%, além de uma área específica para sua empresa fazer o envio de dinheiro para o exterior de forma simples e ágil.

Agora que você sabe como calcular o Lucro Real, está na hora de colocar em prática seus conhecimentos. Lembre-se de que é importante fazer a projeção anual para ver se esse regime tributário realmente vale a pena.

Agora, se você ainda tem dúvidas sobre o assunto, aproveite e saiba mais! Veja tudo sobre DRE — Demonstração do Resultado do Exercício e entenda o que compensa para o seu negócio. 

Resumindo

Qual o valor do lucro real?

Qualquer empresa pode optar por esse regime tributário. No entanto, ele é obrigatório para algumas atividades e companhias com faturamento acima de R$ 78 milhões ao ano.

Como calcular o lucro real exemplo?

É preciso contabilizar: IRPJ, IPRJ adicional (quando for o caso), CSLL, PIS, Cofins, ISS e ICMS. Para os três primeiros, é considerado o lucro efetivamente auferido e para os outros, a receita do período.

Quais são os impostos pagos no Lucro Real?

Os tributos cobrados são os mesmos que entram no cálculo, ou seja: IRPJ, IRPJ (quando for o caso), CSLL, PIS, Cofins, ISS e ICMS.