Você sabe qual é o valor mínimo para investir no Tesouro Direto?

por Remessa Online
3 minutos de leitura
Investir no tesouro direto: homem em mesa de escritório mexendo no notebook

Mas, afinal, será que vale a pena investir no Tesouro Direto? Quais são os tipos de títulos e como fazer para investir? Será que existe um valor mínimo? É necessário investir por meio de uma corretora? Neste artigo, além de encontrar a resposta para as principais dúvidas envolvendo o assunto, você vai ter acesso à informações sobre rendimento, riscos, vantagens, taxas e tributos. 

Ficou curioso? Então, continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que é o tesouro direto?

Depois da poupança, que hoje já não é considerada a melhor opção de investimento, mesmo tendo sido muito popular ao longo de muitos anos, quem ganhou espaço e popularidade foi o Tesouro Direto.

Hoje, ele é considerado um dos produtos financeiros mais populares do Brasil. Isso porque se trata de um investimento acessível no qual os interessados podem realizar a negociação de títulos públicos, além de serem considerados os títulos mais seguros do mercado.

Outra característica que faz com que o Tesouro Direto tenha ganhado muito adeptos é porque ele oferece muitas opções de títulos que podem se adequar a diferentes perfis de investidores com variados objetivos financeiros, sendo interessantes tanto em estratégias de curto quanto longo prazo. Mas afinal, o que é Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa criado em 2002 pelo Governo Federal em parceria com o Tesouro Nacional e a antiga BM&FBovespa, hoje B3. Ele foi lançado com o propósito de facilitar o acesso das pessoas físicas ao mercado de investimentos em títulos públicos por meio da internet.

Na prática, os títulos públicos são interessantes tanto para o investidor quanto para o governo, já que o segundo encontra neste mecanismo uma maneira de captar dinheiro para a sua gestão, direcionando para as áreas como a saúde, segurança, infraestrutura e educação.

Antes de 2002, além de ser difícil, era muito pouco rentável investir no Tesouro Direto, já que só era possível fazer este tipo de aplicação de forma indireta, por meio dos fundos de investimento em renda fixa.

Quais são os tipos de investimento em tesouro direto?

Como você viu, ao investir no tesouro direto você está emprestando o seu dinheiro ao governo. Em troca, o investidor recebe uma rentabilidade, ou seja, o valor corrigido com juros. 

Mas antes de começar a investir é importante saber que existem diferentes opções de investimentos em tesouro direto e é necessário avaliá-los individualmente a fim de verificar qual é o mais adequado às suas necessidades. Confira a seguir como funciona a aplicação neste investimentos nos diferentes ativos que integram o programa do Governo Federal. 

Tesouro indexado à Taxa Selic

Este investimento, chamado de Tesouro Selic tem a sua rentabilidade indexada à taxa Selic. Não é por acaso que ele é um dos produtos mais conhecidos do Tesouro Direito, tanto pela sua flexibilidade quanto pela relação com a Selic. Nenhum outro título do tesouro está atrelado à taxa Selic.

Isso significa, em termos práticos, que ele pode ser comparado com aplicações como o Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Ainda, o Tesouro Selic se destaca pela baixa volatilidade, o que reduz o risco de perda e pelo rendimento positivo, ou seja, o dinheiro tende a ter crescimento constante.

Especialistas apontam que o Tesouro Selic é um dos investimentos que devem compor as carteiras, especialmente no âmbito de estratégias de formatação de reservas de emergência.

Tesouro Prefixado

O Tesouro Prefixado por ser subdivido em dois tipos: Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais. Nesta modalidade a taxa de rentabilidade é fixa, o que significa que o investidor vai receber a porcentagem previamente estipulada até a data do vencimento.

Trata-se de uma opção de investimento interessante para quem acredita que os juros sofrerão quedas no futuro. Eles também podem ser uma boa opção para quem deseja investir para atingir um determinado valor até a data do vencimento e tem um perfil mais conservador.

Como a taxa de rendimento fixa, no momento da compra, o investidor já sabe exatamente o valor que será resgatado. 

Nas aplicações no Tesouro Prefixado com Juros Semestrais, o investidor recebe o seu rendimento semestralmente, assim, não precisa aguardar o vencimento para resgatar o capital.

Tesouro atrelado à inflação

Por fim, os os títulos vinculados à inflação são o terceiro tipo. Chamados pelos especialistas de títulos híbridos, a sua rentabilidade é composta por uma parte variável e a outra fixa.

Assim, o investidor sabe que o dinheiro investido renderá de forma fixa, mais uma parte variável. Por exemplo, se estiver atrelado ao IPCA, sofrerá variações ao longo do tempo, variações estas que podem ser positivas ou negativas.

O Tesouro atrelado à inflação é uma opção bacana para quem deseja proteger os seus recursos da desvalorização, mantendo o poder de compra. 

Como fazer para investir?

Para investir no Tesouro Direto é muito simples! O interessado pode comprar diretamente na Secretaria do Tesouro pela internet, por meio do serviço intitulado Tesouro Direto.

Para isso, basta ter uma conta em banco ou em corretora habilitada para operar o Tesouro Direto e Cadastro de Pessoa Física.

Na página oficial do Tesouro Direto você consegue acessar o passo a passo e orientações para começar a investir.

Quais são as regras e critérios para fazer esse tipo de investimento?

Qualquer pessoa física maior de idade com conta em uma instituição bancária e Cadastro de Pessoa Física pode investir no Tesouro Direto. Todo o processo pode ser feito em sua casa, basta ter acesso à internet e um computador, smartphone ou tablet.

Lembra que para investir você deve fazer um cadastro do Tesouro Direto e isso deve ser feito diretamente nos bancos e corretoras habilitados

Existe um valor mínimo para investir no Tesouro Direto?

Com apenas R$ 30,00 você já pode investir no Tesouro Direto. Antes de começar a investir é importante montar um planejamento financeiro, ter objetivos claros e traçar uma estratégia focada nos resultados que você pretende alcançar.

Como você pode ver, o Tesouro Direto é uma excelente alternativa para quem tem poucos recursos e quer começar a atuar no mercado de investimentos. Além deles, existem outras opções no mercado, por isso é importante investir em educação financeira e buscar informações sobre o assunto.

Investir no Tesouro Direto não vai te deixar rico da noite para o dia, mas com certeza é uma excelente forma de começar a aplicar seu dinheiro de forma inteligente, com total segurança e oportunidade de rentabilidade.

Agora que você já sabe como investir no Tesouro Direto que tal aproveitar para conhecer a Remessa Online e realizar o seu cadastro? É gratuito, rápido e seguro! 

Resumindo

O que é o tesouro direto?

O Tesouro Direto é considerado um dos produtos financeiros mais populares do Brasil.

Isso porque se trata de um investimento acessível e seguro no qual os interessados podem realizar a negociação de títulos públicos.

Ao investir no tesouro direto você está emprestando o seu dinheiro ao governo. Em troca, o investidor recebe uma rentabilidade, ou seja, o valor corrigido com juros. 

Quais são as regras e critérios para fazer esse tipo de investimento?

Qualquer pessoa física, maior de idade, com conta em uma instituição bancária e Cadastro de Pessoa Física pode investir no Tesouro Direto. Todo o processo pode ser feito em sua casa, basta ter acesso à internet e um computador, smartphone ou tablet.

Existe um valor mínimo para investir no Tesouro Direto?

Com apenas R$ 30,00 você já pode investir no Tesouro Direto.

Assuntos relacionados