Glossário das transferências internacionais

As transferências internacionais exigem uma série de dados e informações. Você sabe tudo o que precisa colocar? Neste post, explicamos os principais termos para facilitar o processo. Confira!

Consulte esse glossário das transferências internacionais

Já aconteceu de você fazer transferências internacionais e ter dúvidas sobre o processo? Alguns termos solicitados durante a transação podem ser difíceis de serem entendidos — e isso prejudica a eficiência da operação.

Conhecer os principais termos é fundamental para evitar erros que podem comprometer o envio de dinheiro para o exterior. Por exemplo, se for pedido o código IBAN, você sabe o que colocar? E o BIC? O que pensa sobre a tecnologia blockchain? Entende qual é a melhor taxa de câmbio a utilizar?

Todas essas perguntas fazem parte das transferências internacionais. Para facilitar a compreensão desses fatores, neste post criamos um glossário com os principais termos e suas explicações.

Então, que tal conferir todos eles e garantir remessas online mais precisas? Veja, a seguir, por ordem alfabética.

As transferências internacionais têm uma série de especificidades. Veja o glossário e entenda os principais termos envolvidos na transação.
O Banco Central regula as operações bancárias no país, inclusive as transferências internacionais.

Banco Central (Bacen)

É uma das principais instituições do mercado financeiro do Brasil. O Bacen é uma autarquia, o que significa que tem administração autônoma e independente, sem se subordinar a outro órgão.

Criado em 1964, o Bacen tem como principal dever a manutenção da estabilidade econômica brasileira. Por isso, regula as taxas de juros e a inflação, além de supervisionar todo o Sistema Financeiro Nacional (SFN).

Em relação às transferências internacionais, o Bacen ainda autoriza os agentes a operarem no mercado, a fim de garantir a segurança de quem realiza as operações. A lista dos correspondentes de câmbio autorizados está descrita no site.

Mais que isso, o órgão oferece informações sobre a taxa de câmbio. Aqui, estão incluídos diferentes serviços, como:

  1. conversão de moeda;
  2. cotações e boletins;
  3. dólar americano;
  4. paridades em relação ao euro;
  5. tabela de moedas;
  6. todas as moedas.

Em resumo, o Banco Central regula o mercado de câmbio e capitais internacionais. Ainda tem o dever de fiscalizar os operadores para garantir a transparência das transações e o bom funcionamento de todo o mercado.

Bank International Code (BIC)

O código BIC consiste em um número que identifica os bancos. Ele é normatizado pela Society for Worldwide Interbank Finnancial Telecommunication (SWIFT). Por isso, também é conhecido por essa nomenclatura.

O número também serve para atender às exigências da ISO 9362. Essa norma determina como as instituições bancárias devem ser identificadas no mundo todo. Com essa padronização, as operações são mais rápidas e eficientes.

Blockchain

Muitas transferências internacionais online ocorrem por meio da tecnologia blockchain. O que esse termo significa? Para entender, é preciso lembrar do sistema peer-to-peer, ou P2P, como é mais conhecido.

Essa é uma tecnologia de rede em que os sistemas estão distribuídos de forma descentralizada. Portanto, é desnecessário ter um servidor central, porque todos os computadores são interligados e funcionam como receptores e servidores para compartilhamento de dados.

Por que essa tecnologia traz segurança às transferências internacionais? No blockchain, o P2P tem um complemento: a formação de uma cadeia de blocos — daí surgiu o nome.

Essa particularidade evita fraudes, porque todas as transações financeiras são registradas e não podem ser desfeitas. Com isso, ficam armazenadas para auditoria a qualquer momento.

Além disso, os dados e as informações pessoais ficam protegidas por sistemas de criptografia e codificação. Em outras palavras, qualquer invasor que tentar ler a mensagem será impedido.

Assim, a operação só é passível de ser executada quando chegar ao destino da forma correta. Para as operações financeiras, é sinônimo de segurança.

Quando você realiza uma transferência internacional, está realizando uma operação de câmbio.
Quando você realiza uma transferência internacional, está realizando uma operação de câmbio.

Câmbio

O câmbio se refere a operações de troca de moedas entre um país e outro. Sempre que você viajar para o exterior, é preciso ter moeda local para comprar produtos e serviços.

Essa operação apenas se torna desnecessária quando você vai para um país que tem a mesma moeda daquele originário. Por exemplo, se estiver em Portugal e for para a Espanha, não precisa fazer câmbio, porque em ambos os lugares é usado o euro.

Como somente o Brasil adota o real como moeda, é preciso sempre fazer uma operação de câmbio quando visitar outro país e também ao retornar. Somente dessa forma, é possível usar o dinheiro.

Capitais Brasileiros no Exterior (CBE)

É uma declaração obrigatória para qualquer investidor brasileiro que tenha algum bem, moeda ou direito contra não residentes. A exigência é do Banco Central e existe tanto para pessoas físicas quanto jurídicas, que sejam residentes, domiciliadas ou tenham sede no Brasil.

A solicitação é feita pelo Bacen a cada trimestre ou ano, conforme o volume de ativos no exterior. O processo ocorre a cada 3 meses quando os bens e direitos totalizam um valor superior a 100 milhões de dólares

Nesse caso, as datas-base são os dias 31 de março, 30 de junho e 30 de setembro. As respectivas datas de entrega são 5 de junho, 5 de setembro e 5 de dezembro.

Por sua vez, é preciso fazer a declaração anual do CBE quando os bens ultrapassam 100 mil dólares. A data-base é 31 de dezembro, com entrega em 5 de abril.

O formulário do CBE está disponível no site do Bacen. Existem consultorias que ajudam na declaração, pois o atraso e as informações falsas, incorretas e incompletas geram multa de até R$ 250 mil.

Código SWIFT

SWIFT é o nome dado a uma rede internacional que conecta instituições financeiras e também é a denominação para um código, o número que representa cada instituição financeira. Quando falamos de código SWIFT, podemos dizer que é a mesma coisa que BIC.

O código é universal e único. Varia de 8 a 11 caracteres. Os oito primeiros números são obrigatórios e os três últimos são opcionais. A divisão com o significado é a seguinte:

  1. as quatro primeiras letras representam o nome do banco, é o código da instituição financeira;
  2. as próximas duas são o código do país;
  3. os dois dígitos seguintes podem ser letras e/ou números e indicam a localização da sede do banco;
  4. os três últimos dígitos são o código da agência. Por isso, são opcionais.

Para encontrar o código SWIFT, basta verificar no extrato ou no contrato bancário, ou ainda na seção de transferências internacionais. Ainda é possível verificar na ferramenta de busca especializada.

Conversão de moeda

Esse termo se refere ao câmbio, ou seja, ao processo de troca de moeda entre os países. No momento de realizar o procedimento, é necessário fazer a conversão. A ideia é saber quanto aquela quantia vale na outra moeda.

A conversão usa uma moeda como referência, o dólar. Para executar uma operação de real para euro ou qualquer outra diferente da americana, é preciso realizar o processo duas vezes.

Nesse caso, o envio de dinheiro é convertido da moeda inicial para o dólar. Depois de ajustada, é realizada a segunda etapa, do dólar para a moeda de destino.

Cotação

Consiste no valor de referência usado como base para as transferências internacionais. É a cotação que determina como a conversão será feita e qual o peso de cada moeda.

Em alguns casos, o real vai “perder” e em outros vai “ganhar”. Por exemplo, a moeda brasileira é mais fraca que o dólar, mas vale mais que o peso argentino.

Quem determina a cotação da moeda é o mercado. Por isso, as variações são constantes. Mais que ter uso voltado para as remessas de dinheiro ao exterior, esse referencial serve para outras operações financeiras.

A cotação interfere no planejamento das viagens internacionais, porque implica mudanças nos preços de transporte, estada, compras e lazer. Da mesma forma, influencia o valor dos produtos importados no Brasil.

Para acompanhar o valor da cotação das principais moedas, acesse a página de cotações da Remessa Online. Lá também é possível ver o histórico das moedas ao longo da semana.

Documento de Ordem de Crédito (DOC)

DOC (Documento de Ordem de Crédito), é uma modalidade de transferência de dinheiro. O valor é repassado de um banco para outro, de acordo com os dados inseridos pelo emissor.

O limite de envio de dinheiro é de R$ 4.999,99. O procedimento pode ser realizado até às 21h59min. A quantia chega na conta do destinatário no dia útil seguinte.

Ao fazer o DOC, o banco pode cobrar uma taxa, que costuma ser de até R$ 20. Isso depende do seu pacote de serviços na instituição financeira. 

Imposto de Renda (IR)

A declaração de IR é uma exigência anual da Receita Federal para as pessoas que se enquadrarem nos limites estabelecidos pelo governo. Em 2019, foram os seguintes:

  1. ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 ou isentos, não tributáveis ou retidos exclusivamente na fonte em quantia superior a R$ 40.000;
  2. ter obtido ganho de capital na alienação de bens e direitos com sujeição à incidência do imposto;
  3. ter realizado operação na bolsa de valores, mercadorias e futuros, ou semelhantes;
  4. ter obtido a posse ou a propriedade de bens ou direitos em valor acima de R$ 300.000;
  5. ter optado pela isenção do IR incidente sobre o ganho na venda de imóveis, desde que o dinheiro seja investido na compra de outra residência no país, no prazo de até 180 dias.

Diante desses critérios, fica claro que investidores e outras pessoas que fizeram transferências internacionais, provavelmente, terão que realizar a declaração do IR. Esse imposto é cobrado sobre a sua renda e acompanha a evolução patrimonial.

A elaboração do documento segue os prazos estabelecidos pela Receita Federal. Geralmente, vai até março ou abril. A declaração pode ser feita no modelo completo ou simplificado.

Basta fazer o download do programa específico do ano no site da Receita Federal. Os dados devem ser preenchidos nos respectivos campos. O imposto a ser pago ou restituído aparece na hora e você pode escolher o modelo mais adequado.

O valor arrecadado serve para custear projetos sociais e nas áreas de educação e saúde. Também são incentivados os programas de inclusão social e geração de renda.

Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

Esse tributo federal é aplicado a transações financeiras, como o próprio nome indica. Entre as principais operações estão a de câmbio, a de crédito e a de seguro.

O objetivo desse imposto é ter um papel de regulador da economia nacional. Por isso, uma taxa é cobrada de acordo com a transação, a fim de fazer um recolhimento proporcional e sinalizar a demanda e a oferta de crédito.

O IOF é cobrado de acordo com a transação. Quando compra moeda estrangeira física ou usa o cartão internacional, a incidência é de 6,38%. Ao enviar dinheiro para o exterior, se for para uma conta de mesma titularidade, a cobrança é de 1,1%. Se for para outra pessoa, é de 0,38%.

Esse percentual é descontado direto no momento da transferência. Assim, ao enviar seu dinheiro para outro país, a quantia já é acrescentada ao Valor Efetivo Total (VET), que vamos explicar melhor a seguir.

Institution number

Institution Number é o código do banco exclusivo para instituições financeiras canadenses. Ele vem junto ao transit number, que consiste em um código exclusivo de envio para o Canadá. Esse número tem 5 dígitos, enquanto o institution number tem 3 caracteres.

O transit number identifica a agência onde a conta está aberta. Junto com o institution number, eles formam o chamado routing number canadense, que é o padrão adotado pelas instituições financeiras do país.

Para encontrar o institution number, é possível acessar o internet banking ou o app do seu banco. Caso não consiga encontrar, veja a sua folha de cheque canadense. Na parte inferior esquerda, estão descritos:

  1. número do cheque: são os 3 primeiros;
  2. transit number: são os 4 seguintes;
  3. institution number: são os próximos 3;
  4. número da conta: é o restante.

Mais uma alternativa é ligar para o banco e perguntar sobre esse código.

International Bank Account Number (IBAN)

Identifica a conta no exterior e é um código diferente para cada conta. É importante, porque diminui os erros nas transferências internacionais. Por isso, muitos países adotam esse código. Aqueles que ainda ficaram fora desse padrão, consideram o número da conta.

O IBAN é composto por 34 caracteres. As duas primeiras letras identificam o país, os dois números seguintes são dígitos de verificação. A próxima sequência é a conta básica.

Para ver o código e usar, é preciso analisar o contrato de abertura da conta ou a seção de transferências internacionais da instituição financeira.

Invoice é um documento internacional que deve ser emitido como uma fatura de pagamentos. É equivalente a uma nota fiscal a nível internacional.
Invoice é um documento internacional que deve ser emitido como uma fatura de pagamentos. É equivalente a uma nota fiscal a nível internacional.

Invoice

O termo representa uma fatura de pagamento emitida por empresas. Em algumas transferências internacionais, é preciso enviar o invoice. Por exemplo, é o caso de adquirir direitos de uso de software e depender do depósito em uma conta no exterior.

Nesse caso, o documento internacional da compra precisa ser encaminhado para garantir o pagamento. Para ser válido, é preciso que a invoice comercial tenha:

  1. nome de comprador e empresa;
  2. breve descrição do produto e do valor;
  3. forma de pagamento;
  4. dados bancários de quem receberá o dinheiro no exterior;
  5. data estimada para o envio da mercadoria.

O invoice pode ser solicitado em algumas transações específicas. É o caso de pagamento de serviços e de cursos.

Remessa

No Dicionário Michaelis Online, a palavra indica “ação ou efeito de remeter ou enviar algo (correspondência, documentos, dinheiro etc.). “Aquilo que foi remetido”. No contexto das transferências internacionais, representa o envio de dinheiro de um país para outro.

O processo ocorre a partir de um cadastro e solicitação do emissor. Ainda é preciso pagar as taxas, aguardar o processo de conversão dos valores e a chegada da quantia na conta do destinatário.

Dentro desse contexto, existem algumas diferenças. Podem ser cobradas taxas mais elevadas e demorar mais tempo para chegar. Na Remessa Online, por outro lado, demora até 1 dia útil e a cobrança é de 0,38% de IOF e a taxa de câmbio comercial, que não tem margem de lucro. 

Routing number

É o Código da Associação de Banqueiros Americanos. O número é único e identifica as agências dos Estados Unidos. Também é conhecido como ABA. Para ter essa identificação, é preciso ter uma conta vinculada ao Banco Central Americano.

O código tem 9 dígitos. Os quatro primeiros identificam o Banco Central Americano. Os quatro do meio representam a instituição financeira na ABA. O último caractere é voltado para checagem.

Para encontrar o routing number, é preciso ter uma conta bancária dos Estados Unidos. Caso atenda a esse requisito, é possível encontrá-lo no formulário de abertura da conta e no internet banking. Se ainda não achar, basta entrar em contato com o gerente ou o beneficiário. 

Single Euro Payments Area (SEPA)

A Área Única de Pagamentos em Euro é um ambiente definido pela União Europeia para facilitar as operações entre os países que fazem parte do bloco. Estão incluídos os 27 países daquela região, 3 países do Espaço Econômico Europeu, Suíça e Mônaco.

A proposta da SEPA é ter um mercado único de transações de pagamento. Assim, todos fazem e recebem dinheiro com as mesmas condições e obrigações, assim como direitos iguais. A regra é válida para qualquer origem e destino.

Sort code

É um código específico do Reino Unido usado em transferências internacionais por ser um dado bancário. Pode ser considerado a mesma coisa que o routing number, porém neste caso é aplicado apenas ao Reino Unido. Contém 6 dígitos e identifica a agência da instituição financeira.

Tarifa bancária

É um valor cobrado por bancos e instituições financeiras quando os clientes usam algum serviço, como envio de DOC e TED, saques e emissão de folhas de cheque. A tarifa incide de acordo com o contrato assinado no pacote de serviço.

É importante destacar que a tarifa bancária só pode ser cobrada com o consentimento do usuário, na assinatura de um contrato. A regra existe, porque elas são opcionais. Por isso, são diferentes das taxas, que são obrigatórias.

Em transferências internacionais, uma tarifa a ser cobrada é a despesa SWIFT. Ela varia de acordo com a instituição financeira e é aplicável ao remetente e ao beneficiário. Ainda existe a bancária, que também pode mudar. Na Remessa Online, é zerada.

Ao realizar uma transferência internacional pela Remessa Online, você vai precisar fazer uma transferência via TED para a conta da Remessa Online.
Ao realizar uma transferência internacional pela Remessa Online, você vai precisar fazer uma transferência via TED para a conta da Remessa Online.

Transferência Eletrônica Disponível (TED)

Assim como o DOC, a TED é um tipo de transferência de dinheiro. A diferença é a agilidade e a possibilidade de enviar qualquer valor. Isso significa que o banco aceita remessas desde centavos até valores bastante elevados, como milhões.

Além disso, a quantia chega na conta do destinatário no mesmo dia, em alguns minutos. Outra divergência em relação ao DOC é o período de envio. A TED só pode ser encaminhado até às 17h. Depois desse horário, o envio é feito somente no dia seguinte.

A tarifa de cobrança da TED costuma ser similar à do DOC. Em transferências internacionais, a TED é usada para pagamento das remessas.

Valor Efetivo Total (VET)

Consiste no total em reais cobrado em uma operação cambial. Inclui possíveis taxas, tarifas e a taxa de câmbio utilizada. A fórmula para cálculo do VET é:

VET = taxa de câmbio + IOF + tarifa / valor da compra

A taxa de câmbio contempla o valor comercial e o custo da transferência. No caso da Remessa Online, é de 1,3%. O IOF é de 0,38% e a tarifa bancária é zerada para transações acima de R$2.500.

Sempre que fizer uma transferência internacional, é importante avaliar o VET, em vez de considerar apenas a taxa de câmbio ou o custo da operação. Além disso, nesse percentual estão incluídos possíveis valores ocultos, que são embutidos em muitas situações.

Wallet

Na tradução literal, wallet significa “carteira”. A palavra remete exatamente a esse conceito, com a diferença de ser digital, no caso de uma transferência internacional. Assim, esse é um ambiente em que você insere seus dados bancários e cartões de crédito para fazer o pagamento de produtos e serviços.

A partir disso, em vez de usar dinheiro ou cartão de crédito, você usa um aplicativo correspondente. Suas informações são protegidas por criptografia e acessadas para compras na internet.

O uso de e-wallet é uma tendência cada vez maior. Vários e-commerces já oferecem essa alternativa de pagamento. Também é uma forma de armazenar criptomoedas com a ajuda da tecnologia blockchain.

Com todas essas informações do glossário, ficou mais fácil compreender como o envio de dinheiro para o exterior ocorre e quais dados elas solicitam, certo? Além disso, ficou claro que existem diferenças entre os países, como no caso dos Estados Unidos, que pedem o routing number, e do Reino Unido, com o sort code.

Agora você entendeu as transferências internacionais e sabe como efetuá-las. Falta só contar com uma plataforma especializada, que vai facilitar o processo e ajudar em caso de dúvidas.

Então, que tal conhecer o serviço e entender melhor como fazer o envio de dinheiro? A Remessa Online é credenciada pelo Banco Central. Realiza transações internacionais de envio e recebimento de dinheiro e opera para mais de 100 países! Além disso, a plataforma tem o menor custo de serviço do mercado: apenas 1,3%, pode comparar.

Acesse o site da Remessa Online, faça seu cadastro e aproveite as vantagens de usar a Remessa Online.